11/10/2010 - 10h10min - Atualizado em 11/10/2010 - 10h10min

Advogado que falsificou assinatura em cheque e ficou com dinheiro dos clientes é condenado

Advogado ficou com dinheiro da indenização de casal que perdeu o filho atropelado. Ele advogou para o causador do acidente e registrou queixa contra as vítimas acusando-as de extorsão.

Da reportagem do TUDORONDONIA

Porto Velho, Rondônia - A Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Rondônia manteve a condenação do advogado Reginaldo Ferreira Lima, acusado pelo Ministério Público Estadual de se apropriar de dinheiro pertencente aos clientes.

Segundo a decisão do TJ, “resta caracterizada a apropriação indébita majorada quando o agente, na qualidade de advogado da vítima, recebe quantia a ela pertencente, decorrente do sucesso em ação de indenização de seguro DPVAT, e deixa de repassá-la integralmente ao ofendido, retendo parte dos valores, denotando o dolo direto e pré-ordenado de tornar injusta a posse precária sobre o bem”.

O Tribunal entendeu também que “configura o delito de falsidade ideológica a inserção de falsa assinatura no verso de cheques nominais às vítimas, forjando assim o ‘endosso’ a fim de sacar os numerários descritos nas cártulas”.

ENTENDA O CASO
Reginaldo Ferreira Lima ingressou com recurso de apelação visando a reforma da sentença proferida pelo 2ª Vara Criminal da comarca de Guajará-Mirim/RO, que o condenou às penas de um ano e quatro meses de reclusão e 13 dias-multa pelo delito de apropriação indébita qualificada em razão da sua profissão de advogado, e mais um ano e dez dias-multas pelo delito de falsidade ideológica, perfazendo o total de dois anos de reclusão em regime aberto e 20 dias-multas, fixados à base de ¼ do salário mínimo vigente à época dos fatos.

A pena privativa de liberdade foi substituída por duas restritivas de direitos, quais sejam, na prestação de serviço à comunidade em entidade a ser especificada pelo Juízo da Execução e na prestação pecuniária, consistente no pagamento de R$2.000,00 às vítimas.

O advogado pediu sua absolvição ao argumento de que “não concorreu para a infração penal, e que não há provas suficientes para sua condenação”.

FALSIFICAÇÃO

De acordo com o Ministério Público, em meados de 2004, na cidade de Nova Mamoré/RO, o Reginaldo Ferreira de Lima, na qualidade de advogado, falsificou dois cheques, emitidos nominalmente às vítimas Ivanilda Ramos e Francisco Vieira, seus clientes , que haviam recebido os valores a título de pagamento de indenização de seguro, concedido judicialmente, tendo o advogado contrafeito a assinatura das vítimas no verso das cártulas (falso endosso), conseguindo com esse expediente sacar os respectivos valores, dos quais se apropriou em parte.

Segundo consta, à época dos fatos Reginaldo Ferreira de Lima foi contratado pelo casal/vítima para ajuizar ação civil de cunho condenatório, visando ao recebimento do seguro DPVAT que, em tese, lhes era devido em virtude da morte do filho Francelino Almeida da Silva, vítima de atropelamento.

ADVOGOU DO CAUSADOR DO ACIDENTEContudo, como Reginaldo já estava advogando para o motorista causador do desastre, a demanda foi de fato patrocinada por outros advogados, mas sob a sua orientação.

Após o ganho de causa reconhecido por sentença definitiva, o pagamento da indenização foi finalmente realizado por intermédio de dois cheques nominais às vítimas/pais do falecido, e apesar de sequer representá-los formalmente, o réu ficou responsável de repassar-lhes os cheques no valor da indenização, mas em vez disso forjou endossos em branco. Agindo assim, o advogado praticou o crime de falsidade ideológica.

Ainda conforme o MP, tendo Reginaldo forjado a assinatura das vítimas no verso das cártulas (falso endosso), conseguiu, com esse expediente, em data incerta no ano de 2005, sacar os valores ali encartados, apropriando-se da quantia de R$8.500,00 de que tinha posse, em razão da sua profissão, incorrendo assim, no delito de apropriação indébita qualificada.

Relator do recurso de apelação do advogado no TJ, o juiz convocado Valdecir Castelar Citon anotou: “ não merece prosperar a pretensão do apelante, tendo em vista que o acervo probatório dos autos demonstra de forma robusta a sua responsabilidade pelos crimes que lhe foram imputados”.

Para o juiz, “ observa-se que a materialidade delitiva encontra-se suficientemente comprovada pelas cópias dos cheques nominais às vítimas , pelos extratos bancários, recibos e contrato de honorários , pelo recibo de pagamento, em que as vítimas ludibriadas deram quitação dos valores de indenização pela cópia do cheque de indenização do seguro no valor de R$28.000,00 , documento de procuração judicial conferido pelas vítimas ao réu , documento de substalecimento do réu a outros advogados , documentos do veículo negociado com as vítimas , documento da motocicleta das vítimas, o qual entrou na negociação do veículo, cópia de cheque no valor de R$6.000,00 e pelas provas testemunhais apuradas”.

PAPEL DE VÍTIMA“De igual forma, a autoria também restou perfeitamente evidenciada, pois o contexto probatório demonstrou que o apelante, na qualidade de advogado das vítimas Ivanilda Ramos e Francisco Vieira, falsificou o endosso de dois cheques emitidos nominalmente a estas a título de pagamento de indenização de seguro DPVAT, contrafazendo as assinaturas de ambas no verso das cártulas, conseguindo assim sacar os respectivos valores dos quais se apropriou em parte”. anota o magistrado em sua decisão que denegou o recurso impetrado pelo advogado.

Segundo o juiz Valdecir Castelar Citon, “as vítimas, ludibriadas, ainda foram persuadidas a dar quitação dos valores indenizatórios, como se tivessem vendido tal direito ao réu, conforme recibo.Na fase policial, o apelante ainda tentou colocar-se na situação de vítima, ao registrar uma ocorrência policial contra seus clientes, acusando-os de extorsão, quando na verdade as vítimas se queixavam pelo não recebimento do valor complementar da indenização que tinham direito”.

comentários

COMENTÁRIOS


publicidade
POLíTICA | matéria escrita em 23/09/2014 ás 16:16:00

Em compromissos na região Central do Estado, Jaqueline apresenta solução para limpar os pátios do Detran

O produtor rural Raimundo Damasceno, morador do distrito de Pacarana, localizado 90 quilômetros de Espigão do Oeste, também disse estar sofrendo prejuízos em razão das quantidades de blitz.

POLíTICA | matéria escrita em 23/09/2014 ás 16:12:00

Confúcio recebe apoio de funcionários do Detran

Candidato destacou a vitalidade econômica do Estado na sua administração.

POLíTICA | matéria escrita em 23/09/2014 ás 16:05:00

Padre Ton diz que pesquisas pagas não refletem a vontade dos trabalhadores

O candidato disse ter a convicção de que estará no segundo turno.

POLíTICA | matéria escrita em 23/09/2014 ás 15:58:00

Confúcio diz a funcionários da Dydyo que investiu mais de R$ 300 milhões na saúde

Recursos foram aplicados em hospitais, equipamentos, UTIs e modernização do sistema.

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 23/09/2014 ás 15:55:00

Justiça condena acusado de tráfico de drogas próximo à escola em Machadinho

O réu possuía um patrimônio relevante, muito além do rendimento de mil reais que recebia como marceneiro.

GERAL | matéria escrita em 23/09/2014 ás 15:13:00

O Lula é meu Amigo bulio com ele bulio Comigo

O Brasil é um país jovem... Porém, seu povo tem caráter atencioso... Temos pouco mais de 500 anos... Nossa brasilidade nos deixa orgulhoso...

POLíTICA | matéria escrita em 23/09/2014 ás 10:57:00

Transposição: Deputado denuncia que a consulta da AGU ao TCU está literalmente parada

Amir pretende fazer defesa oral quando a consulta ao Tribunal de Contas for ao plenário com o parecer do ministro que relatar o processo.

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 23/09/2014 ás 09:37:00

OAB e CEF firmam convênio que oferece benefícios aos advogados

Dentre as principais vantagens destinadas aos advogados que optarem pela Caixa estão: linhas de crédito especiais para aquisição de imóveis, subsídios para equipar escritórios, cartão de crédito...

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 23/09/2014 ás 09:31:00

Assessora será indenizada por ser dispensada após depor a favor de colega

A empregada sofreu represálias e foi dispensada no dia seguinte ao que prestou depoimento em juízo como testemunha convidada de ex-colega em ação trabalhista.

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 23/09/2014 ás 09:27:00

Projeto do TJRO estimula apadrinhamento de crianças e adolescentes

O projeto será coordenado pelo juízo da Vara da Infância e da Juventude, com o auxílio de uma equipe técnica.

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 23/09/2014 ás 09:23:00

Segundo juízes, proibicionismo não é solução para combate ao tráfico de drogas

- Se eu uso maconha aumenta em dez vezes a chance de eu ter esquizofrenia – alertou.

POLíTICA | matéria escrita em 23/09/2014 ás 09:20:00

Debate mostra complexidade da decisão sobre regulamentação da maconha

Ela contou o drama da filha, hoje com 26 anos, dependente de drogas desde os 14 anos e submetida à sétima internação em uma clínica de reabilitação.

POLíTICA | matéria escrita em 23/09/2014 ás 08:51:00

Faltam 12 dias: emissão de segunda via do título pode ser feita até esta quinta (25)

Os interessados em solicitar a reimpressão do título devem comparecer a qualquer cartório eleitoral, mesmo que não seja na cidade onde mora, e apresentar um documento oficial com foto.

POLíTICA | matéria escrita em 22/09/2014 ás 18:08:00

Justiça Eleitoral proíbe Padre Ton de levar ao ar informações falsas sobre Expedito

Em seu despacho, o juiz assinalou que “analisando a mídia do programa veiculado, resta evidenciada a indevida montagem, com o nítido propósito de distorcer a realidade dos fatos”.

POLíTICA | matéria escrita em 22/09/2014 ás 17:33:00

PAINEL POLÍTICO - ALAN ALEX

Iphones apreendidos em operação desaparecem na delegacia.

publicidade
publicidade
© Tudo Rondônia 2005-2012 web site jornalístico - todos os direitos reservados
Editor responsável: Rubens Coutinho/ Registro Profissional 192 DRT/RO
Redação e administração: Avenida Calama com Lauro Sodré, 1118 - Salas 305 e 306 - Bairro Olaria - Porto Velho, Rondônia - CEP 76801-276 MSN/e-mail: tudorondonia@gmail.com