18/04/2012 - 16h32min - Atualizado em 18/04/2012 - 16h32min

Ex-secretária-adjunta de Saúde do Governo Cahulla se diz marcada para morrer

Ela é acusada de ter participado do pagamento de R$ 2 milhões à empresa Reflexo, que seria do deputado Valter Araújo. Assista o vídeo.

Tudorondonia

 

Porto Velho, Rondônia - “Meus amigos, na vida tem momento para tudo. Tem momento em que a gente tem que chorar e tem momento para sorrir. Esse é o momento de eu chorar. Estou aqui para pedir proteção à minha vida porque hoje sou uma mulher aos 42 anos marcada para morrer precocemente sem concluir meus projetos e sem criar minhas filhas”.

Assim começa um depoimento em vídeo postado na Internet, onde a ex-assessora técnica e ex-secretária-adjunta da Saúde nos governos Cassol e Cahulla, Josefa Nunes Ramos, de 42 anos, explica que há um grupo interessado em seu silêncio e outro querendo que ela fale. Os bens dela estão indisponíveis porque ela é acusada de ter participado do pagamento de R$ 2 milhões à empresa Reflexo, que seria do deputado Valter Araújo (PTB-Porto Velho).

No vídeo, Josefa Ramos conta que apesar de haver decisão judicial determinando que nada mais fosse pago, a Reflexo recebeu o dinheiro porque havia uma decisão de governo. “Eu não depositei R$ 6 milhões na conta de Valter Araújo. O dinheiro público anda por um sistema. Ele (o dinheiro) saiu na Secretaria da Fazenda Pública e caiu no sistema de pagamento da Secretaria de Estado da Saúde. O secretário fez uma ordem bancária, que foi para o Banco do Brasil e foi paga”, contou.

Ela explicou que o processo tem assinatura de representantes de todos os órgãos capazes de validar um processo administrativo. Acrescentou que o processo foi instruído e que houve um realinhamento de preços autorizado pela Procuradoria Geral do Estado (PGE) e pela Controladoria Geral do Estado (CGE). Detalhou, ainda, que tudo foi publicado em Diário Oficial e que foi feito um acordo de governo, para que em vez de ser pago R$ 23 milhões através de um realinhamento de preços, fosse pago R$ 2 milhões em duas parcelas.

“Foi uma decisão de governo. Se ele (o deputado Valter Araújo) praticava tráfico de influencia, se ele cometeu o crime que dizem que cometeu, eu não tenho nada a ver com isso. Não tenho dinheiro para pagar banca de advogado, não tenho dinheiro para comprar a imprensa. Só tenho a minha palavra. Se eu ficar calada, dirão que faço parte do bando de Valter Araújo. Se eu falar, a sociedade vai perguntar quem foi que mandou pagar o processo, quem foi que mandou transferir o dinheiro”, contou Josefa Ramos.

Ela pede para ser ouvida pela Justiça e acusa o governo Cassol de fazer recolhimento de dinheiro para calar a boca da imprensa. “Se calavam (os veículos de comunicação, segundo ela) porque era dado grão de milho todos os meses”, afirmou. Em seguida, Josefa Ramos contou que foi envolvida, segundo ela, injustamente na Operação Termópilas, em que o presidente da Assembleia Legislativa, Valter Araújo, foi preso.

A ex-secretária-adjunta da Sesau alegou, ainda, que em outubro de 2010 o então deputado Amauri dos Santos (PMDB-Jaru) teria ido ao gabinete dela e dito que se o processo fosse pago à empresa Reflexo, ela seria envolvida em uma trama que já estaria planejada e com uma liminar pronta. Josefa Ramos disse, ainda, que Amauri foi ao gabinete para intimidá-la.

Ela afirma que está denunciando o crime organizado em Rondônia, coisa que compete ao Ministério Público. Alegou, também, que aconselhou a não pagar (o processo), porque sabia que se envolveria em uma situação na qual se prejudicaria muito, porque ficaria sem direito a apresentar defesa.

“(Essa situação) Envolve o deputado foragido Valter Araújo. Eu não tenho nenhuma ligação com ele. O que fiz foi o mesmo procedimento que adotei em mais de 20 mil processos. Dei despachos e assinei. O processo foi pago porque não caberia a mim impedir de pagar. A liminar determinava que não fosse paga a segunda parte do processo, mas houve uma decisão de governo para que fosse paga”, acrescentou Josefa Ramos.

O processo tramita na Primeira Vara da Fazenda Pública sob o número 001054, de 29/11/2011, envolvendo o ex-secretário de Estado da Saúde, Milton Moreira, a empresa Reflexo e Josefa Nunes Ramos. “Posso até estar morta amanhã, mas minhas filhas não se envergonharão de mim. A sociedade não se envergonhará de mim”, destacou.

Nilton Salina

comentários

COMENTÁRIOS


publicidade
POLíTICA | matéria escrita em 31/07/2014 ás 18:56:00

PAINEL POLÍTICO - ALAN ALEX

Para entender a questão do registro de Expedito Júnior.

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 31/07/2014 ás 17:24:00

Mulher de procurador da República em Rondônia acusa o marido e pastora de igreja de surras de cinto e cipó, cárcere privado e outros atos de violência

Mulher contou que foi trancafiada no alojamento de uma igreja evangélica, onde apanhava, passava fome e sofria outros tipos de maus tratos , tudo com apoio do marido ou praticados por ele.

GERAL | matéria escrita em 31/07/2014 ás 16:55:00

Ministério Público de Rondônia distribui cartilha sobre a Lei Maria da Penha

O objetivo é facilitar o entendimento da Lei Maria da Penha (Lei nº 11.340/06) e onde e como as mulheres vítimas desse tipo de violência podem procurar ajuda.

GERAL | matéria escrita em 31/07/2014 ás 16:16:00

Segundo Arom, Planalto apoia prorrogação do prazo para extinção de lixões

Marinho da Caerd, informou que o Congresso e o governo federal já se sensibilizaram com a questão e sinalizam o interesse em aprovar uma medida prorrogativa ao prazo.

POLíTICA | matéria escrita em 31/07/2014 ás 12:02:00

PRE quer a impugnação do pedido de registro de candidatura de Romeu Reolon, ex-prefeito de Alto Paraíso

A fundamentação jurídica da PRE baseia-se no fato de que Romeu Reolon teve contas julgadas irregulares pelo Tribunal de Contas do Estado.

GERAL | matéria escrita em 31/07/2014 ás 10:51:00

Sindsaúde cobra retroativo das progressões e insalubridade na Searh

O pedido de mudança na forma de pagamento está nas mãos da PGE para emissão de Parecer.

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 31/07/2014 ás 10:06:00

Justiça revoga mandado de prisão de um dos acusados de participar do estupro e morte de Naiara Karine

Até agora persistem vários pontos obscuros sobre o assassinato da jovem, que trabalhava na loja da advogada e empresária Jaqueline Cassol , hoje candidata ao Governo pelo PR do senador Ivo Cassol.

GERAL | matéria escrita em 31/07/2014 ás 09:30:00

Semed abre 400 vagas no Ensino de Jovens e Adultos

A matrícula pode ser feita de segunda a sexta-feira, no período da noite, até o dia 30 de agosto, nas secretarias das escolas municipais que participam do projeto.

POLíTICA | matéria escrita em 31/07/2014 ás 09:27:00

Aluízio Vidal abre campanha pública de arrecadação de fundos para sua corrida ao senado

Ao analisar a importância da participação financeira da sociedade em sua campanha Aluízio Vidal disse que esta campanha para senador em Rondônia.

POLíTICA | matéria escrita em 31/07/2014 ás 09:25:00

TRE e FECOMÉRCIO firmam parceria para ‘conscientizar eleitores’

A Fecomércio vai apoiar esse trabalho, ajudando na impressão e distribuição dos cartazes. A parceria foi anunciada nesta segunda-feira (28).

GERAL | matéria escrita em 31/07/2014 ás 09:23:00

Curta Amazônia marca de empreendimento cultural rondoniense

A visibilidade positiva de uma marca é super importante, e requer muitos desafios.

POLíTICA | matéria escrita em 31/07/2014 ás 09:07:00

TJ Rondônia vai ouvir depoimento de deputado estadual acusado de embolsar dinheiro de assessora

A assessora tomou conhecimento de que, na verdade, esteve nomeada para o cargo no período de 2003/2004, sem nunca tê-lo exercido ou recebido qualquer valor do erário.

GERAL | matéria escrita em 31/07/2014 ás 08:38:00

Rondônia: LACEN investiga caso de doença de Chagas em paciente

Conhecida por tripanossomíase, a doença está sendo tratada no Centro de Medicina Tropical (Cemetron), em Porto Velho.

POLíTICA | matéria escrita em 31/07/2014 ás 08:36:00

Transposição: a culpa é do governo federal e da bancada de Rondônia

Valdemir Caldas

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 31/07/2014 ás 08:32:00

Rondônia: Denunciada por matar idoso será submetida a júri popular

De acordo com o que foi apurado, o crime teria sido praticado pelo fato de a vítima não ter assinado um falso contrato de compra e venda do imóvel em que residia.

publicidade
publicidade
© Tudo Rondônia 2005-2012 web site jornalístico - todos os direitos reservados
Editor responsável: Rubens Coutinho/ Registro Profissional 192 DRT/RO
Redação e administração: Avenida Calama com Lauro Sodré, 1118 - Salas 305 e 306 - Bairro Olaria - Porto Velho, Rondônia - CEP 76801-276 MSN/e-mail: tudorondonia@gmail.com