18/04/2012 - 16h32min - Atualizado em 18/04/2012 - 16h32min

Ex-secretária-adjunta de Saúde do Governo Cahulla se diz marcada para morrer

Ela é acusada de ter participado do pagamento de R$ 2 milhões à empresa Reflexo, que seria do deputado Valter Araújo. Assista o vídeo.

Tudorondonia

 

Porto Velho, Rondônia - “Meus amigos, na vida tem momento para tudo. Tem momento em que a gente tem que chorar e tem momento para sorrir. Esse é o momento de eu chorar. Estou aqui para pedir proteção à minha vida porque hoje sou uma mulher aos 42 anos marcada para morrer precocemente sem concluir meus projetos e sem criar minhas filhas”.

Assim começa um depoimento em vídeo postado na Internet, onde a ex-assessora técnica e ex-secretária-adjunta da Saúde nos governos Cassol e Cahulla, Josefa Nunes Ramos, de 42 anos, explica que há um grupo interessado em seu silêncio e outro querendo que ela fale. Os bens dela estão indisponíveis porque ela é acusada de ter participado do pagamento de R$ 2 milhões à empresa Reflexo, que seria do deputado Valter Araújo (PTB-Porto Velho).

No vídeo, Josefa Ramos conta que apesar de haver decisão judicial determinando que nada mais fosse pago, a Reflexo recebeu o dinheiro porque havia uma decisão de governo. “Eu não depositei R$ 6 milhões na conta de Valter Araújo. O dinheiro público anda por um sistema. Ele (o dinheiro) saiu na Secretaria da Fazenda Pública e caiu no sistema de pagamento da Secretaria de Estado da Saúde. O secretário fez uma ordem bancária, que foi para o Banco do Brasil e foi paga”, contou.

Ela explicou que o processo tem assinatura de representantes de todos os órgãos capazes de validar um processo administrativo. Acrescentou que o processo foi instruído e que houve um realinhamento de preços autorizado pela Procuradoria Geral do Estado (PGE) e pela Controladoria Geral do Estado (CGE). Detalhou, ainda, que tudo foi publicado em Diário Oficial e que foi feito um acordo de governo, para que em vez de ser pago R$ 23 milhões através de um realinhamento de preços, fosse pago R$ 2 milhões em duas parcelas.

“Foi uma decisão de governo. Se ele (o deputado Valter Araújo) praticava tráfico de influencia, se ele cometeu o crime que dizem que cometeu, eu não tenho nada a ver com isso. Não tenho dinheiro para pagar banca de advogado, não tenho dinheiro para comprar a imprensa. Só tenho a minha palavra. Se eu ficar calada, dirão que faço parte do bando de Valter Araújo. Se eu falar, a sociedade vai perguntar quem foi que mandou pagar o processo, quem foi que mandou transferir o dinheiro”, contou Josefa Ramos.

Ela pede para ser ouvida pela Justiça e acusa o governo Cassol de fazer recolhimento de dinheiro para calar a boca da imprensa. “Se calavam (os veículos de comunicação, segundo ela) porque era dado grão de milho todos os meses”, afirmou. Em seguida, Josefa Ramos contou que foi envolvida, segundo ela, injustamente na Operação Termópilas, em que o presidente da Assembleia Legislativa, Valter Araújo, foi preso.

A ex-secretária-adjunta da Sesau alegou, ainda, que em outubro de 2010 o então deputado Amauri dos Santos (PMDB-Jaru) teria ido ao gabinete dela e dito que se o processo fosse pago à empresa Reflexo, ela seria envolvida em uma trama que já estaria planejada e com uma liminar pronta. Josefa Ramos disse, ainda, que Amauri foi ao gabinete para intimidá-la.

Ela afirma que está denunciando o crime organizado em Rondônia, coisa que compete ao Ministério Público. Alegou, também, que aconselhou a não pagar (o processo), porque sabia que se envolveria em uma situação na qual se prejudicaria muito, porque ficaria sem direito a apresentar defesa.

“(Essa situação) Envolve o deputado foragido Valter Araújo. Eu não tenho nenhuma ligação com ele. O que fiz foi o mesmo procedimento que adotei em mais de 20 mil processos. Dei despachos e assinei. O processo foi pago porque não caberia a mim impedir de pagar. A liminar determinava que não fosse paga a segunda parte do processo, mas houve uma decisão de governo para que fosse paga”, acrescentou Josefa Ramos.

O processo tramita na Primeira Vara da Fazenda Pública sob o número 001054, de 29/11/2011, envolvendo o ex-secretário de Estado da Saúde, Milton Moreira, a empresa Reflexo e Josefa Nunes Ramos. “Posso até estar morta amanhã, mas minhas filhas não se envergonharão de mim. A sociedade não se envergonhará de mim”, destacou.

Nilton Salina

comentários
publicidade

COMENTÁRIOS


Envie Comentários utilizando sua conta do Facebook

publicidade
POLíTICA | matéria escrita em 05/02/2016 ás 14:45:00

Conta de luz ficará 7% mais barata; Mosquini quer reduçāo ainda maior em 2016

Mosquini está confiante de que a conta de luz continue caindo ao longo de 2016.

GERAL | matéria escrita em 05/02/2016 ás 10:24:00

De atleta a jornalista: conheça histórias de pessoas que vivem com microcefalia

A jornalista Ana Carolina Dias Cárcere, 24 anos, fala com propriedade sobre como é a vida com microcefalia.

GERAL | matéria escrita em 05/02/2016 ás 10:21:00

Fiocruz confirma presença do vírus zika em amostras de saliva e urina

Até então, a única via de transmissão do vírus, confirmada por autoridades sanitárias, é pela picada do mosquito Aedes aegypit

GERAL | matéria escrita em 05/02/2016 ás 10:19:00

Bancos fecham hoje e só reabrem na quarta-feira de cinzas, ao meio-dia

A Febraban lembra que as contas de consumo (água, energia, telefone etc) e carnês que tiverem os dias 8 ou 9 como data de vencimento poderão ser pagas no primeiro dia útil após o feriado (10), sem acréscimo de juros.

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 05/02/2016 ás 10:13:00

OAB vai ao MPT por pleno funcionamento da Justiça Trabalhista

“Um tribunal fechar durante todo um turno e alegar que a medida e necessária para economizar gastos com energia é um completo absurdo".

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 05/02/2016 ás 10:09:00

CNJ Serviço: Conheça as ações judiciais contra crimes ambientais

Qualquer cidadão pode denunciar um crime ambiental por meio do serviço de linha verde do Ibama, que funciona por telefone ou e-mail.

GERAL | matéria escrita em 05/02/2016 ás 09:55:00

Governo de Rondônia decreta situação de emergência e declara guerra ao Aedes aegypti nos 52 municípios

A Sesau registra sinais de aumento em quase cem por cento de dengue no mês de janeiro, a chikungunya está controlada e quatro casos de zika foram confirmados em Rondônia.

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 05/02/2016 ás 09:51:00

JBS tem de reajustar salários com base em convenção coletiva mais favorável ao trabalhador

Em reclamação ajuizada na Vara do Trabalho de Cacoal (RO), o sindicato pedia que a JBS observasse o piso de R$ 792 e o reajuste de 6,5% aos trabalhadores com salário superior a este valor a partir de 1º/1/2014, data de início da vigência da convenção.

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 05/02/2016 ás 09:46:00

STF decide que há prescrição em danos à Fazenda Pública decorrentes de ilícito civil

A maioria dos ministros acompanhou o voto do relator, ministro Teori Zavascki, que negou provimento ao recurso, bem como a tese proposta pelo ministro Luís Roberto Barroso no sentido de que, em se tratando de ilícitos civis, há a incidência da prescrição.

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 05/02/2016 ás 09:41:00

Suspenso julgamento sobre pagamento de férias e 13º para prefeitos e vices

O recurso teve repercussão geral reconhecida pelo Plenário Virtual da Corte.

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 05/02/2016 ás 09:39:00

Rondônia: 2ª Câmara Cível determina pagamento de indenização por desapropriação de posse

A ESBR contestou e disse que o sitiante é não identificado como proprietário ou possuidor de imóvel, logo não passível de desapropriação. Afirma que a área se trata de bem público dominical (que pertence ao Estado).

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 05/02/2016 ás 09:38:00

Emeron divulga lista de inscrições deferidas para o curso de Gestão da Qualidade

A Emeron informa que os inscritos deverão enviar via PROTOS o formulário de diárias e a Declaração de que atua na função, assinados pelo Juiz responsável da vara, até sexta-feira 05/02/2016.

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 05/02/2016 ás 09:36:00

Rondônia: Acusada de falsificar documento não consegue trancar ação penal

...diante dos reiterados pedidos, chamando à atenção do Judiciário, o juízo de primeiro grau encaminhou o caso à promotoria de Justiça do Ministério Público de Rondônia para averiguações.

GERAL | matéria escrita em 04/02/2016 ás 19:23:00

MPF/RO ajuíza ações civil e criminal contra ex-prefeita de Primavera de Rondônia por fraude em licitação

Ex-prefeita e outros responderão por fraude na compra de medicamentos e materiais odontológicos.

POLíTICA | matéria escrita em 04/02/2016 ás 19:16:00

Secretário diz que sofre retaliações por não ceder à propostas indecorosas

Para o contrato emergencial, objeto de outra denúncia, o grupo ofertou outro preço que não dava nenhuma condição de ser executado, “inclusive com ofertas anteriores de propinas às pessoas que movimentam esses contratos aqui na prefeitura”.

publicidade
publicidade
© Tudo Rondônia 2005-2012 web site jornalístico - todos os direitos reservados
Editor responsável: Rubens Coutinho/ Registro Profissional 192 DRT/RO
Redação e administração: Avenida Calama com Lauro Sodré, 1118 - Salas 305 e 306 - Bairro Olaria - Porto Velho, Rondônia - CEP 76801-276 MSN/e-mail: tudorondonia@gmail.com