18/04/2012 - 16h32min - Atualizado em 18/04/2012 - 16h32min

Ex-secretária-adjunta de Saúde do Governo Cahulla se diz marcada para morrer

Ela é acusada de ter participado do pagamento de R$ 2 milhões à empresa Reflexo, que seria do deputado Valter Araújo. Assista o vídeo.

Tudorondonia

 

Porto Velho, Rondônia - “Meus amigos, na vida tem momento para tudo. Tem momento em que a gente tem que chorar e tem momento para sorrir. Esse é o momento de eu chorar. Estou aqui para pedir proteção à minha vida porque hoje sou uma mulher aos 42 anos marcada para morrer precocemente sem concluir meus projetos e sem criar minhas filhas”.

Assim começa um depoimento em vídeo postado na Internet, onde a ex-assessora técnica e ex-secretária-adjunta da Saúde nos governos Cassol e Cahulla, Josefa Nunes Ramos, de 42 anos, explica que há um grupo interessado em seu silêncio e outro querendo que ela fale. Os bens dela estão indisponíveis porque ela é acusada de ter participado do pagamento de R$ 2 milhões à empresa Reflexo, que seria do deputado Valter Araújo (PTB-Porto Velho).

No vídeo, Josefa Ramos conta que apesar de haver decisão judicial determinando que nada mais fosse pago, a Reflexo recebeu o dinheiro porque havia uma decisão de governo. “Eu não depositei R$ 6 milhões na conta de Valter Araújo. O dinheiro público anda por um sistema. Ele (o dinheiro) saiu na Secretaria da Fazenda Pública e caiu no sistema de pagamento da Secretaria de Estado da Saúde. O secretário fez uma ordem bancária, que foi para o Banco do Brasil e foi paga”, contou.

Ela explicou que o processo tem assinatura de representantes de todos os órgãos capazes de validar um processo administrativo. Acrescentou que o processo foi instruído e que houve um realinhamento de preços autorizado pela Procuradoria Geral do Estado (PGE) e pela Controladoria Geral do Estado (CGE). Detalhou, ainda, que tudo foi publicado em Diário Oficial e que foi feito um acordo de governo, para que em vez de ser pago R$ 23 milhões através de um realinhamento de preços, fosse pago R$ 2 milhões em duas parcelas.

“Foi uma decisão de governo. Se ele (o deputado Valter Araújo) praticava tráfico de influencia, se ele cometeu o crime que dizem que cometeu, eu não tenho nada a ver com isso. Não tenho dinheiro para pagar banca de advogado, não tenho dinheiro para comprar a imprensa. Só tenho a minha palavra. Se eu ficar calada, dirão que faço parte do bando de Valter Araújo. Se eu falar, a sociedade vai perguntar quem foi que mandou pagar o processo, quem foi que mandou transferir o dinheiro”, contou Josefa Ramos.

Ela pede para ser ouvida pela Justiça e acusa o governo Cassol de fazer recolhimento de dinheiro para calar a boca da imprensa. “Se calavam (os veículos de comunicação, segundo ela) porque era dado grão de milho todos os meses”, afirmou. Em seguida, Josefa Ramos contou que foi envolvida, segundo ela, injustamente na Operação Termópilas, em que o presidente da Assembleia Legislativa, Valter Araújo, foi preso.

A ex-secretária-adjunta da Sesau alegou, ainda, que em outubro de 2010 o então deputado Amauri dos Santos (PMDB-Jaru) teria ido ao gabinete dela e dito que se o processo fosse pago à empresa Reflexo, ela seria envolvida em uma trama que já estaria planejada e com uma liminar pronta. Josefa Ramos disse, ainda, que Amauri foi ao gabinete para intimidá-la.

Ela afirma que está denunciando o crime organizado em Rondônia, coisa que compete ao Ministério Público. Alegou, também, que aconselhou a não pagar (o processo), porque sabia que se envolveria em uma situação na qual se prejudicaria muito, porque ficaria sem direito a apresentar defesa.

“(Essa situação) Envolve o deputado foragido Valter Araújo. Eu não tenho nenhuma ligação com ele. O que fiz foi o mesmo procedimento que adotei em mais de 20 mil processos. Dei despachos e assinei. O processo foi pago porque não caberia a mim impedir de pagar. A liminar determinava que não fosse paga a segunda parte do processo, mas houve uma decisão de governo para que fosse paga”, acrescentou Josefa Ramos.

O processo tramita na Primeira Vara da Fazenda Pública sob o número 001054, de 29/11/2011, envolvendo o ex-secretário de Estado da Saúde, Milton Moreira, a empresa Reflexo e Josefa Nunes Ramos. “Posso até estar morta amanhã, mas minhas filhas não se envergonharão de mim. A sociedade não se envergonhará de mim”, destacou.

Nilton Salina

comentários

COMENTÁRIOS


publicidade
POLíTICA | matéria escrita em 29/09/2016 ás 22:28:00

Germano Soares, Presidente da FEBRAFISCO, afirma que a Previdência Social do Brasil não está “quebrada"

" O cidadão precisa conhecer alguns conceitos básicos para entender as inverdades que o governo divulga, pois só assim terá condições de se posicionar frente às reformas propostas".

POLíTICA | matéria escrita em 29/09/2016 ás 22:16:00

Léo Moraes pediu à justiça participação de Pimenta de Rondônia em debate de logo mais; juiz indeferiu

Rede Amazônica, promotora do evento , proibiu a participação de candidato do PSOL que está atrás nas pesquisas.

POLíTICA | matéria escrita em 29/09/2016 ás 22:07:00

MP do ensino médio já recebeu mais de 500 emendas. Conheça algumas das mudanças propostas

A MP cria a Política de Fomento à Implantação de Escolas de Ensino Médio em Tempo Integral.

POLíTICA | matéria escrita em 29/09/2016 ás 22:01:00

Militares devem ser diferenciados na reforma da Previdência, diz ministro

“Antes de tudo, militar não tem Previdência [mas um sistema de proteção social]. Entendo que a Constituição trabalha com duas categorias: o servidor e o militar, com suas distinções e singularidades”, disse.

POLíTICA | matéria escrita em 29/09/2016 ás 21:57:00

STF pede manifestação do Congresso e da Presidência sobre MP do Ensino Médio

Após receber as informações, o ministro deverá levar a questão para julgamento na Corte.

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 29/09/2016 ás 21:55:00

“Não concedi habeas corpus em troca de pecúnia”, diz magistrado investigado

“A notícia me pegou de surpresa e, porque não dizer, me trouxe certa indignação. Eu desafio a quem quer que seja que comprove ou sequer afirme que eu, no meu exercício profissional, em algum momento, concedi habeas corpus em troca de pecúnia..."

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 29/09/2016 ás 21:53:00

STJ determina que rótulos avisem sobre variação nutricional de 20%

A decisão foi tomada esta semana pela Segunda Turma do STJ a partir de ação civil pública do Ministério Público Federal (MPF).

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 29/09/2016 ás 21:46:00

Supremo recebe ação contra MP que institui reforma do ensino médio

Segundo o PSOL, as alterações promovidas pela MP apresentam vícios formais e materiais. Sob o aspecto formal, alega ofensa ao artigo 62, caput, da Constituição Federal, que prevê os requisitos da urgência e relevância para a edição de medidas provisórias.

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 29/09/2016 ás 21:42:00

Tribunal de Justiça determina a eliminação de 1.036 processos

No edital, publicado no Diário da Justiça dessa quarta-feira, 28, está previsto que serão eliminados, no prazo de 45 dias, por meio de máquina fragmentadora de papel, 1.036 processos, que tiveram sua origem no 2ª grau (TJRO).

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 29/09/2016 ás 21:38:00

Quase 500 servidores treinados para operar o SEI no TJRO

Turmas diárias aprendem na prática como funciona o novo Sistema Eletrônico de Informações.

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 29/09/2016 ás 21:36:00

Suspensas ações sobre início do prazo recursal do MP após intimação em audiência

O assunto foi catalogado como Tema 959 e está disponível para consulta na área de recursos repetitivos do site do STJ.

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 29/09/2016 ás 21:35:00

Procedimentos Contábeis Patrimoniais é tema de formação destinada a servidores

A partir da formação, os participantes estarão aptos a iniciar a aplicação das novas técnicas contábeis no judiciário rondoniense.

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 29/09/2016 ás 12:46:00

Justiça Eleitoral alerta para mudança em locais de votação

O eleitor pode fazer a consulta ao local de votação através do Disque-Eleição 0800 148 0148, do Portal do TRE-RO ou do aplicativo “Onde votar ou justificar” da Justiça Eleitoral.

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 29/09/2016 ás 12:41:00

Artigo: “Açodamento”, por Andrey Cavalcante

Permito-me, com a devida vênia e para situar adequadamente o raciocínio, recorrer ao “futebolês”...

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 29/09/2016 ás 12:39:00

Servidores de tecnologia do TJRO ganham certificação internacional de boas práticas

O curso foi ministrado na última semana aos servidores da Coinf - Coordenadoria de Informática, pelo especialista Luiz Gimenez, especialmente contratado pelo TJRO para aplicar a certificação adotada em todo mundo.

publicidade
publicidade
© Tudo Rondônia 2005-2012 web site jornalístico - todos os direitos reservados
Editor responsável: Rubens Coutinho/ Registro Profissional 192 DRT/RO
Redação e administração: Avenida Calama com Lauro Sodré, 1118 - Salas 305 e 306 - Bairro Olaria - Porto Velho, Rondônia - CEP 76801-276 MSN/e-mail: tudorondonia@gmail.com