18/04/2012 - 16h32min - Atualizado em 18/04/2012 - 16h32min

Ex-secretária-adjunta de Saúde do Governo Cahulla se diz marcada para morrer

Ela é acusada de ter participado do pagamento de R$ 2 milhões à empresa Reflexo, que seria do deputado Valter Araújo. Assista o vídeo.

Tudorondonia

 

Porto Velho, Rondônia - “Meus amigos, na vida tem momento para tudo. Tem momento em que a gente tem que chorar e tem momento para sorrir. Esse é o momento de eu chorar. Estou aqui para pedir proteção à minha vida porque hoje sou uma mulher aos 42 anos marcada para morrer precocemente sem concluir meus projetos e sem criar minhas filhas”.

Assim começa um depoimento em vídeo postado na Internet, onde a ex-assessora técnica e ex-secretária-adjunta da Saúde nos governos Cassol e Cahulla, Josefa Nunes Ramos, de 42 anos, explica que há um grupo interessado em seu silêncio e outro querendo que ela fale. Os bens dela estão indisponíveis porque ela é acusada de ter participado do pagamento de R$ 2 milhões à empresa Reflexo, que seria do deputado Valter Araújo (PTB-Porto Velho).

No vídeo, Josefa Ramos conta que apesar de haver decisão judicial determinando que nada mais fosse pago, a Reflexo recebeu o dinheiro porque havia uma decisão de governo. “Eu não depositei R$ 6 milhões na conta de Valter Araújo. O dinheiro público anda por um sistema. Ele (o dinheiro) saiu na Secretaria da Fazenda Pública e caiu no sistema de pagamento da Secretaria de Estado da Saúde. O secretário fez uma ordem bancária, que foi para o Banco do Brasil e foi paga”, contou.

Ela explicou que o processo tem assinatura de representantes de todos os órgãos capazes de validar um processo administrativo. Acrescentou que o processo foi instruído e que houve um realinhamento de preços autorizado pela Procuradoria Geral do Estado (PGE) e pela Controladoria Geral do Estado (CGE). Detalhou, ainda, que tudo foi publicado em Diário Oficial e que foi feito um acordo de governo, para que em vez de ser pago R$ 23 milhões através de um realinhamento de preços, fosse pago R$ 2 milhões em duas parcelas.

“Foi uma decisão de governo. Se ele (o deputado Valter Araújo) praticava tráfico de influencia, se ele cometeu o crime que dizem que cometeu, eu não tenho nada a ver com isso. Não tenho dinheiro para pagar banca de advogado, não tenho dinheiro para comprar a imprensa. Só tenho a minha palavra. Se eu ficar calada, dirão que faço parte do bando de Valter Araújo. Se eu falar, a sociedade vai perguntar quem foi que mandou pagar o processo, quem foi que mandou transferir o dinheiro”, contou Josefa Ramos.

Ela pede para ser ouvida pela Justiça e acusa o governo Cassol de fazer recolhimento de dinheiro para calar a boca da imprensa. “Se calavam (os veículos de comunicação, segundo ela) porque era dado grão de milho todos os meses”, afirmou. Em seguida, Josefa Ramos contou que foi envolvida, segundo ela, injustamente na Operação Termópilas, em que o presidente da Assembleia Legislativa, Valter Araújo, foi preso.

A ex-secretária-adjunta da Sesau alegou, ainda, que em outubro de 2010 o então deputado Amauri dos Santos (PMDB-Jaru) teria ido ao gabinete dela e dito que se o processo fosse pago à empresa Reflexo, ela seria envolvida em uma trama que já estaria planejada e com uma liminar pronta. Josefa Ramos disse, ainda, que Amauri foi ao gabinete para intimidá-la.

Ela afirma que está denunciando o crime organizado em Rondônia, coisa que compete ao Ministério Público. Alegou, também, que aconselhou a não pagar (o processo), porque sabia que se envolveria em uma situação na qual se prejudicaria muito, porque ficaria sem direito a apresentar defesa.

“(Essa situação) Envolve o deputado foragido Valter Araújo. Eu não tenho nenhuma ligação com ele. O que fiz foi o mesmo procedimento que adotei em mais de 20 mil processos. Dei despachos e assinei. O processo foi pago porque não caberia a mim impedir de pagar. A liminar determinava que não fosse paga a segunda parte do processo, mas houve uma decisão de governo para que fosse paga”, acrescentou Josefa Ramos.

O processo tramita na Primeira Vara da Fazenda Pública sob o número 001054, de 29/11/2011, envolvendo o ex-secretário de Estado da Saúde, Milton Moreira, a empresa Reflexo e Josefa Nunes Ramos. “Posso até estar morta amanhã, mas minhas filhas não se envergonharão de mim. A sociedade não se envergonhará de mim”, destacou.

Nilton Salina

comentários

COMENTÁRIOS


Envie Comentários utilizando sua conta do Facebook

publicidade
GERAL | matéria escrita em 31/03/2015 ás 19:32:00

Campanha de combate e prevenção à dengue é iniciada em escolas municipais

A campanha é iniciada na primeira semana de abril, período em que ainda há muitas chuvas, e segue ao longo de todo esse mês.

POLíTICA | matéria escrita em 31/03/2015 ás 19:25:00

Laerte requer ao Governo informações sobre incentivos fiscais

Parlamentar quer saber das vantagens obtidas pelo Estado para concessão de benefícios a laticínios .

POLíTICA | matéria escrita em 31/03/2015 ás 19:20:00

Ezequiel relata abandono de estradas no Vale do Jamari

Parlamentar explica que a malha viária administrada pelo DER está em péssimas condições.

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 31/03/2015 ás 19:14:00

Prerrogativas: Projeto contra violações é apresentado no Senado

Por Andrey Cavalcante

POLíTICA | matéria escrita em 31/03/2015 ás 18:03:00

Assembleia de Rondônia aperta o cerco contra JBS Friboi

Grupo, um dos maiores do país, conta com benefícios fiscais da ordem de R$ 125 milhões e sufoca os pequenos frigoríficos.

GERAL | matéria escrita em 31/03/2015 ás 17:22:00

Futebol: Projeto "Meninos do Vila" faz peneira em Rondônia

O Vila Nova FC de Goiânia promove a primeira peneirada de 2015 em Rondônia que vai selecionar atletas para a segunda avaliação nas categorias de base do clube.

POLíTICA | matéria escrita em 31/03/2015 ás 17:01:00

CCJ aprova tramitação de PEC da maioridade penal

A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) da Câmara dos Deputados aprovou nesta terça-feira o voto em separado do deputado Marcos Rogério (PDT-RO), favorável à admissibilidade da PEC 171/93, que reduz a maioridade penal de 18 para 16 anos.

POLíTICA | matéria escrita em 31/03/2015 ás 16:58:00

Agora é lei: mãe pode registrar filho no cartório sem presença do pai

Antes da publicação da lei, era exclusiva do pai a iniciativa de registrar o filho nos primeiros 15 dias desde o nascimento.

POLíTICA | matéria escrita em 31/03/2015 ás 16:56:00

Aprovada em comissão mista MP que transferiu servidores de ex-territórios para a União

O mesmo benefício já havia sido concedido em 2009 aos servidores de Rondônia, por meio da Emenda Constitucional 60.

GERAL | matéria escrita em 31/03/2015 ás 16:53:00

Receita Federal suspende mais de 160 mil CPF's em o País

Só em Rondônia foram mais de mil

POLíTICA | matéria escrita em 31/03/2015 ás 16:46:00

Secretário assume que só não faz mais porque não tem meios para trabalhar

Valdemir Caldas

POLíTICA | matéria escrita em 31/03/2015 ás 16:43:00

Vereador Dim Dim fiscaliza trabalhos de recuperação de vicinais em União Bandeirantes

A estrada do Linhão, por exemplo, já foi recuperada. Nos próximos dias serão concluídas a recuperação das Linhas 2, 4, e 9 e Travessão União da Vitória.

GERAL | matéria escrita em 31/03/2015 ás 16:41:00

Porto Velho: Prefeito decreta ponto facultativo na quinta-feira

O ponto facultativo nesta data se dá em razão do sentimento cristão do povo brasileiro por ocasião da Semana Santa.

GERAL | matéria escrita em 31/03/2015 ás 16:40:00

IFRO deve garantir igualdade para surdos em concurso

Ministério Público Federal obteve condenação para que Ifro disponibilize intérpretes suficientes para atender a candidatos com deficiência auditiva.

POLíTICA | matéria escrita em 31/03/2015 ás 16:38:00

Dr. Neidson pede drenagem em avenida de Guajará-Mirim

Segundo Dr. Neidson, a proposta visa a viabilização de todo o acesso danificado pelo grande volume de chuvas e acúmulo extenso de água.

publicidade
publicidade
© Tudo Rondônia 2005-2012 web site jornalístico - todos os direitos reservados
Editor responsável: Rubens Coutinho/ Registro Profissional 192 DRT/RO
Redação e administração: Avenida Calama com Lauro Sodré, 1118 - Salas 305 e 306 - Bairro Olaria - Porto Velho, Rondônia - CEP 76801-276 MSN/e-mail: tudorondonia@gmail.com