20/06/2009 - 08h46min - Atualizado em 20/06/2009 - 08h46min

Lenha na Fogueira

A origem das festas juninas

A partir da decisão do Supremo Tribunal Federal (STF).

********
Nós jornalistas, estamos aptos a assumir como chefes de cozinha dos mais sofisticados restaurantes no Brasil.

*******
Sem que seja preciso saber fritar, sequer, um ovo (caso da maioria dos colegas).

*******
Partindo do exemplo proferido pelo Ministro do Supremo Gilmar Mendes.

*******
Jornalista é como cozinheiro, ninguém precisa de diploma para preparar um prato de comida.

*******
Basta ter habilidade e até levar jeito para se portar a beira de um fogão.

*******
Um bom cozinheiro depende muito da mão.

********
Saibam que o paladar tem tudo a ver com a mão de quem prepara o prato.

*******
Assim como o bom texto jornalístico, depende do cérebro de quem o produz que depende nesse caso não da mão, mas, dos dedos para digitar o que o cérebro cria.

********
Diante dessa aberração proferida pelo ministro chefe do STF, só nos resta dividir as várias editorias do jornal em cozinhas.

*******
Por exemplo:

*******
A editoria de cultura fica responsável pela preparação dos pratos, “Típicos Regionais”.

*******
A editoria de política: será a responsável em servir as “Pizza”.

*******
A editoria de polícia: vai preparar os pratos com Carne de “Caça”.

*******
A editoria de esportes: vai preparar os pratos com “Frango”.

*******
A editoria social: serve as iguarias mais sofisticadas tipo “skago”.

********
E a editoria geral: será a responsável em montar as “Saladas”.

*******

Apesar da decisão do STF em deixar para as empresas a exigência ou não do diploma de jornalista.

*******
A decisão com certeza vai causar danos às faculdades, com certeza a procura pelo curso de jornalismo vai diminuir e muito.

*******
A não ser que as grandes empresas de comunicação divulguem nota, dizendo que só aceitam em seus quadros portadores de diploma de jornalista.

*******
O que pode, a partir da decisão do STF, acarretar em processo judicial já que o diploma não é obrigatório.

*******
Gostaria que o STF também aprovasse a não exigência de diploma para a profissão de advogados, dentistas e outros.

*******
Provocassem a volta da figura do Rábula, ou seja, do advogado provisionado, do dentista provisionado etc.

*******
Aos alunos dos cursos de jornalismo que continuem os estudos.


********
Com certeza essa decisão do STF sói vai valer para os que já estão trabalhando nas redações.

*******
Pois, com certeza, essas empresas só contratarão quem estiver de posse do “Canudo”.

*******
Por gentileza: Escolha seu prato em nosso cardápio!

A origem das festas juninas

Depois do Carnaval, as Festas Juninas são um dos eventos mais consagrados no território nacional. As ruas, praças e escolas de muitas cidades são decoradas com bandeirinhas coloridas e, em barracas montadas ao ar livre, são servidas comidas e bebidas típicas.
Entre os quitutes, estão a paçoca, o pé-de-moleque, rapadura, pipoca, o milho verde, pamonha, banana assada na brasa, canjica, mungunzá, arroz doce e, para os adultos, quentão e vinho quente. Também são comuns brincadeiras como pescaria, argolas e tiro ao alvo e as tradicionais adivinhações além de danças tradicionais, como a quadrilha e boi-bumbá.

O ciclo das festas juninas começa meados do mês de junho, quando se festejam quatro santos muito conhecidos no Brasil: Santo Antônio, no dia 13; São João, 24; e São Pedro e São Paulo, no dia 29 de junho.


História das Festas Juninas


Nos países europeus católicos, a festa era inicialmente chamada de "joanina" (em homenagem a São João). Trazida pelos portugueses para o Brasil, virou festa "junina" e foi incorporada aos costumes locais, com a introdução de alimentos, como a macaxeira, o milho e também os cantos e danças, como o forró, o boi-bumbá e o tambor-de-crioulo.

Mas não foi somente a influência portuguesa que caracterizou as comemorações. A quadrilha, por exemplo, foi uma adaptação de uma dança da nobreza européia (quadrille), muito presente nos salões franceses do século 18.

Os jesuítas portugueses, a princípio, comemoravam o dia de São João. As primeiras referências às festas de São João no Brasil datam de 1603. As festas de Santo Antônio e de São Pedro só vieram mais tarde, mas como aconteciam no mesmo mês, foram incluídas nas chamadas festas juninas.


A fogueira e os rojões


Uma lenda católica conta que Isabel, prima de Maria, mãe de Jesus, na noite do nascimento de João Batista, ascendeu uma fogueira para avisar a novidade à Maria. Por isso a fogueira é um elemento fundamental da festa e costuma ser acesa às 18h, hora da Ave Maria.


Modelo de fogueira


Na festa de Santo Antonio, a fogueira tem formato quadrangular; na de São Pedro, triangular e na de São João possui formato arredondado na base, formando uma pirâmide.

Os fogos de artifício eram utilizados na celebração para "despertar" São João e chamá-lo para a comemoração de seu aniversário. O barulho de bombas e rojões podia espantar os maus espíritos. O costume de soltar balões surgiu da idéia de que eles levariam os pedidos dos devotos aos céus e a São João. Essa prática foi proibida devido ao alto risco de os balões provocarem incêndios.
A cerimônia de levantamento do mastro de São João é chamada de "Puxada do mastro". Além da bandeira de São João, o mastro pode ter as de Santo Antonio e São Pedro.



Lenha na Fogueira


A partir da decisão do Supremo Tribunal Federal (STF).


********

Nós jornalistas, estamos aptos a assumir como chefes de cozinha dos mais sofisticados restaurantes no Brasil.


*******

Sem que seja preciso saber fritar, sequer, um ovo (caso da maioria dos colegas).


*******

Partindo do exemplo proferido pelo Ministro do Supremo Gilmar Mendes.


*******

Jornalista é como cozinheiro, ninguém precisa de diploma para preparar um prato de comida.


*******

Basta ter habilidade e até levar jeito para se portar a beira de um fogão.


*******

Um bom cozinheiro depende muito da mão.


********

Saibam que o paladar tem tudo a ver com a mão de quem prepara o prato.


*******

Assim como o bom texto jornalístico, depende do cérebro de quem o produz que depende nesse caso não da mão, mas, dos dedos para digitar o que o cérebro cria.


********

Diante dessa aberração proferida pelo ministro chefe do STF, só nos resta dividir as várias editorias do jornal em cozinhas.


*******

Por exemplo:


*******

A editoria de cultura fica responsável pela preparação dos pratos, “Típicos Regionais”.


*******

A editoria de política: será a responsável em servir as “Pizza”.


*******

A editoria de polícia: vai preparar os pratos com Carne de “Caça”.


*******

A editoria de esportes: vai preparar os pratos com “Frango”.


*******

A editoria social: serve as iguarias mais sofisticadas tipo “skago”.


********

E a editoria geral: será a responsável em montar as “Saladas”.


*******


Apesar da decisão do STF em deixar para as empresas a exigência ou não do diploma de jornalista.


*******

A decisão com certeza vai causar danos às faculdades, com certeza a procura pelo curso de jornalismo vai diminuir e muito.


*******

A não ser que as grandes empresas de comunicação divulguem nota, dizendo que só aceitam em seus quadros portadores de diploma de jornalista.


*******

O que pode, a partir da decisão do STF, acarretar em processo judicial já que o diploma não é obrigatório.


*******

Gostaria que o STF também aprovasse a não exigência de diploma para a profissão de advogados, dentistas e outros.


*******

Provocassem a volta da figura do Rábula, ou seja, do advogado provisionado, do dentista provisionado etc.


*******

Aos alunos dos cursos de jornalismo que continuem os estudos.



********

Com certeza essa decisão do STF sói vai valer para os que já estão trabalhando nas redações.


*******

Pois, com certeza essas empresas só contratarão que estiver de posse do “Canudo”.


*******

Por gentileza: Escolha seu prato em nosso cardápio!

comentários

COMENTÁRIOS


Envie Comentários utilizando sua conta do Facebook

publicidade
RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 02/09/2015 ás 19:40:00

TJRO coordena encontro nacional para definição de metas

Para o coordenador do Comitê Gestor da Justiça Estadual, desembargador Alexandre Miguel, é importante a troca de ideias e experiências entre os Tribunais de Justiça para criação de um Poder Judiciário mais moderno e eficaz.

GERAL | matéria escrita em 02/09/2015 ás 19:27:00

Servidores da prefeitura de Porto Velho são transpostos para a União

No total, cerca de 200 trabalhadores serão transpostos nessa primeira fase, mas a prefeitura vai pleitear para beneficiar outros servidores.

GERAL | matéria escrita em 02/09/2015 ás 17:56:00

Mídia Elitista a Serviço da Direita Golpista

A grande imprensa brasileira... Tem uma história oportunista... Na maioria das fases da República... Foi instrumento das oligarquias agrarista

GERAL | matéria escrita em 02/09/2015 ás 15:41:00

Peritos do INSS anunciam greve para a próxima sexta-feira

A perícia médica é requisito para benefícios como auxílío-doença, aposentadoria por invalidez, aposentadoria especial e, para reconhecimento de acidentes de trabalho.

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 02/09/2015 ás 15:35:00

CCJ aprova mudanças no Código de Defesa do Consumidor

Ferraço chamou atenção , em seu parecer, para o esforço em reforçar a proteção administrativa concedida pelo CDC, por meio de norma para fortalecimento dos Procons.

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 02/09/2015 ás 15:26:00

Machadinho do Oeste: mulher que matou cunhado para defender marido é absolvida sumariamente

O caso ocorreu durante uma festa familiar, onde a vítima, embriagada, armou-se com uma faca e começou ameaçar os familiares presentes no evento.

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 02/09/2015 ás 15:23:00

Empresa reduz indenização de operador de caixa impedido de usar banheiro

No processo trabalhista, ficou constatado que o profissional chegou a vomitar diversas vezes na frente de clientes e de colegas de trabalho, dentro da sacola do mercado, por ser impedido de ir ao banheiro pelos supervisores.

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 02/09/2015 ás 15:15:00

CNJ afasta juiz do TJMS para apurar suspeitas de irregularidades

Aldo Ferreira da Silva Júnior já vinha sendo alvo de apurações da Corregedoria Nacional de Justiça, que havia instaurado reclamação disciplinar contra o juiz em 2014.

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 02/09/2015 ás 15:13:00

Terceira Seção aprova súmula sobre violência doméstica

No enunciado aprovado, ficou definido que “a ação penal relativa ao crime de lesão corporal resultante de violência doméstica contra a mulher é pública incondicionada”.

GERAL | matéria escrita em 02/09/2015 ás 15:02:00

TRANSPOSIÇÃO: Comissão de Rondônia trará de Brasília notificações devolvidas pelos Correios

As correspondências que retornaram a Brasília, por razões como incorreção e não atualização de endereços, devem ser entregues ainda na nesta quarta-feira ao Procurador de Rondônia ,Luciano Alve.

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 02/09/2015 ás 14:56:00

O PROCESSO JUDICIAL ELETRÔNICO E O ATRASO DO AVANÇO TECNOLÓGICO DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE RONDÔNIA

Ernande Segismundo (*)

POLíTICA | matéria escrita em 02/09/2015 ás 14:51:00

Em Linhas Gerais

Gessi Taborda

POLíTICA | matéria escrita em 02/09/2015 ás 13:47:00

Justiça condena jornalista acusado de difamar e caluniar Jaqueline Cassol

Outros dois jornalistas também foram responsabilizados, este ano, pela Justiça rondoniense por publicarem notícias difamatórias e caluniosas contra Jaqueline Cassol.

POLíTICA | matéria escrita em 02/09/2015 ás 11:21:00

Léo Moraes quer redução do ICMS embutido na tarifa de energia para reduzir preço da conta de luz em Rondônia

Segundo ele, de acordo com a equipe do Ministério de Minas e Energia, a tarifa de Rondônia estaria entre as mais caras e mais altas do país porque teria "uma boa contrapartida de serviços públicos oferecidos pela Eletrobrás".

POLíTICA | matéria escrita em 02/09/2015 ás 11:16:00

FARRA CONTINUA: vereadores de Cerejeiras gastam mais de R$ 96 mil em oito meses

O resultado dessas viagens, na maioria das vezes, dificilmente é observado.

publicidade
publicidade
© Tudo Rondônia 2005-2012 web site jornalístico - todos os direitos reservados
Editor responsável: Rubens Coutinho/ Registro Profissional 192 DRT/RO
Redação e administração: Avenida Calama com Lauro Sodré, 1118 - Salas 305 e 306 - Bairro Olaria - Porto Velho, Rondônia - CEP 76801-276 MSN/e-mail: tudorondonia@gmail.com