13/02/2012 - 22h59min - Atualizado em 13/02/2012 - 22h59min

Relator: previdência do servidor só deve ir a voto depois do Carnaval

A votação do projeto que cria uma fundação para gerir os recursos do fundo de pensão para os servidores públicos.

A votação do projeto que cria uma fundação para gerir os recursos do fundo de pensão para os servidores públicos (Funpresp, PL 1992/07) deverá ficar para depois do Carnaval. A avaliação foi feita nesta segunda-feira pelo relator da proposta na Comissão de Seguridade Social e Família, deputado Rogério Carvalho (PT-SE). Ele é autor do substitutivo que vai nortear a votação no Plenário. Para facilitar a aprovação do texto, Carvalho informou que deverá acolher novas emendas de Plenário, fora as três já incorporadas ao texto.

Os deputados apresentaram 36 destas emendas. Carvalho deverá reuni-las em uma única “subemenda de relator”. Na opinião dele, não restam mais pontos complexos para negociação. A disputa em torno da votação se dá mais por motivos políticos do que técnicos. “O texto reflete o entendimento da maioria dos parlamentares e partidos”, disse o relator.
Figura jurídica 

Apesar de acolher novas emendas, ele adiantou que o cerne do seu substitutivo, lido no Plenário em dezembro, não deverá ser alterado. O ponto principal a ser mantido é a figura jurídica da Funpresp, que será uma fundação de natureza pública e regime jurídico privado. Alguns partidos, como PDT e PCdoB, pressionam para que o fundo complementar seja criado na forma de fundação pública. É uma disputa que envolve o entendimento do texto constitucional.

O artigo 40, parágrafo 15, determina que o regime de previdência complementar dos servidores tenha “natureza pública”. 
Para os críticos do projeto, somente uma fundação pública cumpre o requisito constitucional. Para o relator, uma fundação pública de direito privado atende a norma. Além disso, ele ressaltou que o Congresso não pode alterar a figura jurídica de um órgão cuja criação é de exclusividade do Executivo, como determina a Constituição no mesmo artigo e parágrafo.
Três fundos 

O parecer de Rogério Carvalho cria três fundos de pensão para os servidores públicos, divididos em Executivo, Legislativo e Judiciário, este último incorporando o funcionalismo do Ministério Público da União (MPU) e do Tribunal de Contas da União (TCU). O texto do Executivo institui um único fundo de pensão.

A divisão por poder vinha sendo reclamada por setores do Judiciário e do Legislativo. Os três fundos vão receber um aporte inicial de R$ 100 milhões da União, para início das atividades. Os recursos, que não estão contemplados no Orçamento deste ano, vão ser criados por meio de projeto de crédito adicional a ser enviado pelo Executivo para a Comissão Mista de Orçamento, segundo o relator.
Modelo mantido 

O substitutivo mantém o modelo de contribuição definida para servidores e órgãos públicos, e eleva de 7,5% para 8,5% a alíquota máxima de contribuição dos órgãos – o servidor vai escolher a sua. O acréscimo de um ponto percentual será usado para compor o Fundo de Cobertura de Benefícios Extraordinários (FCBE), considerado pelo relator como um dos principais pontos do parecer.

O fundo vai custear aposentadoria por invalidez; pensão para os dependentes do participante; aposentadoria especial de portadores de deficiência, mulheres e pessoas que exerçam atividades de risco ou sob condições especiais. O texto do Executivo só garante o financiamento da aposentadoria por idade, o chamado “benefício programado”. Para os “não programados”, como pensão e invalidez, remete à regulamentação. A ampliação, segundo o relator, dá mais segurança jurídica para os servidores que ingressarem na Funpresp.

Outra mudança importante foi a inclusão de representantes dos servidores e pensionistas no conselho deliberativo da Funpresp, instância máxima do fundo de pensão, antes restrito apenas a representantes indicados pelos patrocinadores. A paridade também foi estendida ao conselho fiscal e à diretoria executiva, órgão colegiado que vai cuidar o dia-a-dia da fundação.

Portabilidade
Rogério Carvalho retirou dois pontos do texto original: suprimiu a portabilidade e o direito de estados e municípios também entrarem na Funpresp. No primeiro caso, ele entende que a possibilidade de os participantes retirarem os recursos do fundo e migrarem para similares na iniciativa privada “caracteriza privatização” e viola o preceito constitucional de que o regime complementar do servidor deve ter natureza pública. A exclusão de estados e municípios decorre do entendimento de que estes devem ter autonomia para criar seus próprios fundos de pensão.

Fonte: Agência Câmara

comentários

COMENTÁRIOS


publicidade
RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 22/07/2014 ás 11:29:00

Comarca de Ji-Paraná realiza 1º Mutirão DPVAT

O mutirão reuniu processos de quatro Varas Cíveis daquela comarca, todos movidos em face da Seguradora Líder dos Consórcios de Seguro DPVAT S/A.

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 22/07/2014 ás 11:28:00

Emeron realiza palestra "Os Magistrados e a Judicialização do Direito à Saúde"

Tem publicações sobre Direito Ambiental e outros ramos do Direito, livros e artigos em revistas especializadas no Brasil e no exterior.

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 22/07/2014 ás 11:27:00

Negado provimento à apelação de réu condenado por roubo

Ele terá de cumprir mais de sete anos de reclusão..

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 22/07/2014 ás 11:25:00

2ª Câmara Criminal do TJRO mantém preso acusado de matar sua companheira

No habeas corpus, a defesa alegou que seu cliente é primário, trabalhador rural, possui residência fixa e bons antecedentes.

GERAL | matéria escrita em 22/07/2014 ás 11:19:00

Sema apresenta projetos para comunidade do Lago Cuniã

No ano passado, com a diminuição da espécie na região, a Cooperativa dos Agricultores e Pescadores do Lago do Cuniã.

GERAL | matéria escrita em 22/07/2014 ás 11:15:00

Emdur conclui serviços no Nacional e envia equipes para o Bairro Cohab

Ainda nesta semana é esperada a finalização dos serviços no Bairro Cohab e o início dos trabalhos no Bairro Lagoinha, previstos para inicio no dia 23.

GERAL | matéria escrita em 22/07/2014 ás 10:19:00

MPF recomenda que Superintendência do Trabalho faça Mutirão do Trabalhador

Mutirão deve ser realizado no máximo 45 dias para atender de forma urgente os usuários da Superintendência Regional do Trabalho em Ariquemes.

GERAL | matéria escrita em 22/07/2014 ás 11:01:00

Da Ferrovia do Diabo a Construção das Usinas do Madeira

Mais de um século depois... Estão terminando duas grandes Usinas... Por cima de parte dos restos mortais da estrada Madeira Mamoré... Estão sendo erguidas as duas meninas...

GERAL | matéria escrita em 22/07/2014 ás 10:09:00

Prefeito recebe comissão de moradores do Bairro Floresta

O prefeito de Porto Velho, Mauro Nazif, junto ao secretário Edemilson Lemos e uma equipe técnica da Secretaria Municipal de Regularização Fundiária (Semur).

GERAL | matéria escrita em 22/07/2014 ás 10:01:00

Projeto inovador integra criação de pirarucu com fertirrigação

Em meio a plantações de frutas, verduras e legumes, ele cuida de uma unidade demonstrativa de criação de um dos maiores peixes de água doce do mundo: o pirarucu.

POLíTICA | matéria escrita em 21/07/2014 ás 22:41:00

PAINEL POLÍTICO - ALAN ALEX

Julgamento de Expedito é o mais aguardado dessa eleição.

GERAL | matéria escrita em 21/07/2014 ás 16:43:00

Câncer institucional - Governo de Rondônia descumpre lei federal e expõe servidores a risco de morte

Servidores são expostos à radiação ionizante além do recomendado e ficam suscetíveis a alterações genéticas e ao desenvolvimento de doenças como câncer, anemia, pneumonia...

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 21/07/2014 ás 16:24:00

Datafolha: OAB é a instituição de maior credibilidade

“O índice elevado de aprovação demonstra que a entidade está num bom caminho”, avalia Marcus Vinicius Furtado Coêlho, presidente nacional da OAB.

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 21/07/2014 ás 16:20:00

Liminar autoriza candidato a prestar prova em horário diferenciado por motivos religiosos

Para o conselheiro Fabiano Silveira, o direito de agir de acordo com sua crença religiosa está ligado a um importante paradigma expressado no princípio constitucional da dignidade da pessoa humana.

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 21/07/2014 ás 16:04:00

Projeto cria carreira de assistente de advocacia para graduados não aprovados no Exame da OAB

O Exame da OAB é tema de vários projetos em tramitação no Senado.

publicidade
publicidade
© Tudo Rondônia 2005-2012 web site jornalístico - todos os direitos reservados
Editor responsável: Rubens Coutinho/ Registro Profissional 192 DRT/RO
Redação e administração: Avenida Calama com Lauro Sodré, 1118 - Salas 305 e 306 - Bairro Olaria - Porto Velho, Rondônia - CEP 76801-276 MSN/e-mail: tudorondonia@gmail.com