13/02/2012 - 22h59min - Atualizado em 13/02/2012 - 22h59min

Relator: previdência do servidor só deve ir a voto depois do Carnaval

A votação do projeto que cria uma fundação para gerir os recursos do fundo de pensão para os servidores públicos.

A votação do projeto que cria uma fundação para gerir os recursos do fundo de pensão para os servidores públicos (Funpresp, PL 1992/07) deverá ficar para depois do Carnaval. A avaliação foi feita nesta segunda-feira pelo relator da proposta na Comissão de Seguridade Social e Família, deputado Rogério Carvalho (PT-SE). Ele é autor do substitutivo que vai nortear a votação no Plenário. Para facilitar a aprovação do texto, Carvalho informou que deverá acolher novas emendas de Plenário, fora as três já incorporadas ao texto.

Os deputados apresentaram 36 destas emendas. Carvalho deverá reuni-las em uma única “subemenda de relator”. Na opinião dele, não restam mais pontos complexos para negociação. A disputa em torno da votação se dá mais por motivos políticos do que técnicos. “O texto reflete o entendimento da maioria dos parlamentares e partidos”, disse o relator.
Figura jurídica 

Apesar de acolher novas emendas, ele adiantou que o cerne do seu substitutivo, lido no Plenário em dezembro, não deverá ser alterado. O ponto principal a ser mantido é a figura jurídica da Funpresp, que será uma fundação de natureza pública e regime jurídico privado. Alguns partidos, como PDT e PCdoB, pressionam para que o fundo complementar seja criado na forma de fundação pública. É uma disputa que envolve o entendimento do texto constitucional.

O artigo 40, parágrafo 15, determina que o regime de previdência complementar dos servidores tenha “natureza pública”. 
Para os críticos do projeto, somente uma fundação pública cumpre o requisito constitucional. Para o relator, uma fundação pública de direito privado atende a norma. Além disso, ele ressaltou que o Congresso não pode alterar a figura jurídica de um órgão cuja criação é de exclusividade do Executivo, como determina a Constituição no mesmo artigo e parágrafo.
Três fundos 

O parecer de Rogério Carvalho cria três fundos de pensão para os servidores públicos, divididos em Executivo, Legislativo e Judiciário, este último incorporando o funcionalismo do Ministério Público da União (MPU) e do Tribunal de Contas da União (TCU). O texto do Executivo institui um único fundo de pensão.

A divisão por poder vinha sendo reclamada por setores do Judiciário e do Legislativo. Os três fundos vão receber um aporte inicial de R$ 100 milhões da União, para início das atividades. Os recursos, que não estão contemplados no Orçamento deste ano, vão ser criados por meio de projeto de crédito adicional a ser enviado pelo Executivo para a Comissão Mista de Orçamento, segundo o relator.
Modelo mantido 

O substitutivo mantém o modelo de contribuição definida para servidores e órgãos públicos, e eleva de 7,5% para 8,5% a alíquota máxima de contribuição dos órgãos – o servidor vai escolher a sua. O acréscimo de um ponto percentual será usado para compor o Fundo de Cobertura de Benefícios Extraordinários (FCBE), considerado pelo relator como um dos principais pontos do parecer.

O fundo vai custear aposentadoria por invalidez; pensão para os dependentes do participante; aposentadoria especial de portadores de deficiência, mulheres e pessoas que exerçam atividades de risco ou sob condições especiais. O texto do Executivo só garante o financiamento da aposentadoria por idade, o chamado “benefício programado”. Para os “não programados”, como pensão e invalidez, remete à regulamentação. A ampliação, segundo o relator, dá mais segurança jurídica para os servidores que ingressarem na Funpresp.

Outra mudança importante foi a inclusão de representantes dos servidores e pensionistas no conselho deliberativo da Funpresp, instância máxima do fundo de pensão, antes restrito apenas a representantes indicados pelos patrocinadores. A paridade também foi estendida ao conselho fiscal e à diretoria executiva, órgão colegiado que vai cuidar o dia-a-dia da fundação.

Portabilidade
Rogério Carvalho retirou dois pontos do texto original: suprimiu a portabilidade e o direito de estados e municípios também entrarem na Funpresp. No primeiro caso, ele entende que a possibilidade de os participantes retirarem os recursos do fundo e migrarem para similares na iniciativa privada “caracteriza privatização” e viola o preceito constitucional de que o regime complementar do servidor deve ter natureza pública. A exclusão de estados e municípios decorre do entendimento de que estes devem ter autonomia para criar seus próprios fundos de pensão.

Fonte: Agência Câmara

comentários
publicidade

COMENTÁRIOS


Envie Comentários utilizando sua conta do Facebook

publicidade
GERAL | matéria escrita em 31/10/2014 ás 17:59:00

Outubro Rosa é celebrado em Porto Velho com sustentabilidade

O mês está chegando ao fim e o Outubro Rosa em Porto Velho propiciou um encontro de duas causas nobres.

GERAL | matéria escrita em 31/10/2014 ás 17:57:00

Seminário de Sustentabilidade reúne especialistas de várias partes do mundo para discutir os novos rumos para uma economia verde

O seminário, que acontecerá em Porto Velho (RO), no dia 17 de novembro, das 9 às 17 horas, tem sido, ao longo dos anos, referência nas temáticas de sustentabilidade e meio ambiente.

GERAL | matéria escrita em 31/10/2014 ás 17:56:00

MP move ação contra ex-prefeito de Cujubim e mais três pessoas por desfalque em conta do Fundeb

Conforme é relatado na ação, o então prefeito Ernan Amorim encerrou o ano de 2012 com um saldo financeiro a menor do que deveria apresentar nas prestações de contas do Fundeb.

GERAL | matéria escrita em 31/10/2014 ás 17:52:00

Ministério Público de Rondônia homenageia membros e servidores com a Medalha de Bons Serviços

O Ministério Público de Rondônia prestou homenagem aos colaboradores da Instituição na manhã desta sexta-feira, dia 31 de outubro

GERAL | matéria escrita em 31/10/2014 ás 17:49:00

Semob inicia limpeza do Canal do Areal

ambém é preciso mais conscientização dos próprios moradores. Muitos jogam lixo e entulho nesse buraco, o que piora a alagação.

GERAL | matéria escrita em 31/10/2014 ás 17:46:00

Porto Velho será cidade piloto em implantação do Sistema de Alerta de Inundação Urbana

Os estudos acerca das bacias urbanas foi um enorme avanço. Cerca de 90% da área urbana está toda mapeada quanto às áreas de risco

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 31/10/2014 ás 17:41:00

Núcleo de Prática Jurídica da UNIR atua como assistente de acusação no Tribunal do Júri

Participaram do julgamento os acadêmicos do 9º período de Direito e integrantes do NPJ-UNIR, Pablo de Oliveira Martins, Ítalo José Marinho de Oliveira e Gustavo Leismann.

GERAL | matéria escrita em 31/10/2014 ás 17:37:00

Prefeitura do Vale do Paraíso deve controlar estoque de remédios, recomenda MPF

No mês passado, foram encontradas caixas de medicamentos vencidos no Hospital Municipal de Pequeno Porte Isabel Batista de Oliveira.

GERAL | matéria escrita em 31/10/2014 ás 17:34:00

Espetáculo Infantil “Leonardo – O Pequeno Gênio da Vinci” chega a Porto Velho

A montagem conta a história de um garoto chamado Leonardo, morador do pequeno e atrasado vilarejo de Vinci, fascinado pelos pássaros e pela possibilidade de construir uma máquina de voar.

GERAL | matéria escrita em 31/10/2014 ás 17:29:00

Ações preventivas do câncer envolvem comunidade em Médici

A mesma estrutura de pessoal e estratégia de atuação está sendo operacionalizada na campanha Novembro Azul, em Médici.

GERAL | matéria escrita em 31/10/2014 ás 17:26:00

RONDÔNIA: 10 ANOS SEM APOENA MEIRELES

Josélia Gomes Neves/ Cristovão Teixeira Abrantes

GERAL | matéria escrita em 31/10/2014 ás 17:23:00

Jogos do Instituto Federal de Rondônia (JIFRO 2014) encerram dia 1º

Mais de 400 alunos-atletas competem em várias modalidades esportivas

POLíTICA | matéria escrita em 31/10/2014 ás 17:18:00

STF deve julgar em breve ADI que visa vetar instalação de novos Tribunais Federais no Brasil

O ministro Luiz Fux garantiu ao senador Odacir Soares (PP-RO) que concluirá o quanto antes o relatório para que os demais membros da Corte Suprema...

GERAL | matéria escrita em 31/10/2014 ás 17:16:00

Eletrobras tem 60 dias para levar energia elétrica à comunidade quilombola

Comunidade quilombola Santo Antônio não têm energia elétrica adequada e corre riscos pela falta de serviço profissional.

GERAL | matéria escrita em 31/10/2014 ás 17:13:00

Faculdade Porto/FGV abrirá novas turmas de MBA

A Faculdade Porto/FGV também abrirá turma de Gestão Empresarial com previsão de início para o dia 28 de novembro.

publicidade
publicidade
© Tudo Rondônia 2005-2012 web site jornalístico - todos os direitos reservados
Editor responsável: Rubens Coutinho/ Registro Profissional 192 DRT/RO
Redação e administração: Avenida Calama com Lauro Sodré, 1118 - Salas 305 e 306 - Bairro Olaria - Porto Velho, Rondônia - CEP 76801-276 MSN/e-mail: tudorondonia@gmail.com