13/02/2012 - 22h59min - Atualizado em 13/02/2012 - 22h59min

Relator: previdência do servidor só deve ir a voto depois do Carnaval

A votação do projeto que cria uma fundação para gerir os recursos do fundo de pensão para os servidores públicos.

A votação do projeto que cria uma fundação para gerir os recursos do fundo de pensão para os servidores públicos (Funpresp, PL 1992/07) deverá ficar para depois do Carnaval. A avaliação foi feita nesta segunda-feira pelo relator da proposta na Comissão de Seguridade Social e Família, deputado Rogério Carvalho (PT-SE). Ele é autor do substitutivo que vai nortear a votação no Plenário. Para facilitar a aprovação do texto, Carvalho informou que deverá acolher novas emendas de Plenário, fora as três já incorporadas ao texto.

Os deputados apresentaram 36 destas emendas. Carvalho deverá reuni-las em uma única “subemenda de relator”. Na opinião dele, não restam mais pontos complexos para negociação. A disputa em torno da votação se dá mais por motivos políticos do que técnicos. “O texto reflete o entendimento da maioria dos parlamentares e partidos”, disse o relator.
Figura jurídica 

Apesar de acolher novas emendas, ele adiantou que o cerne do seu substitutivo, lido no Plenário em dezembro, não deverá ser alterado. O ponto principal a ser mantido é a figura jurídica da Funpresp, que será uma fundação de natureza pública e regime jurídico privado. Alguns partidos, como PDT e PCdoB, pressionam para que o fundo complementar seja criado na forma de fundação pública. É uma disputa que envolve o entendimento do texto constitucional.

O artigo 40, parágrafo 15, determina que o regime de previdência complementar dos servidores tenha “natureza pública”. 
Para os críticos do projeto, somente uma fundação pública cumpre o requisito constitucional. Para o relator, uma fundação pública de direito privado atende a norma. Além disso, ele ressaltou que o Congresso não pode alterar a figura jurídica de um órgão cuja criação é de exclusividade do Executivo, como determina a Constituição no mesmo artigo e parágrafo.
Três fundos 

O parecer de Rogério Carvalho cria três fundos de pensão para os servidores públicos, divididos em Executivo, Legislativo e Judiciário, este último incorporando o funcionalismo do Ministério Público da União (MPU) e do Tribunal de Contas da União (TCU). O texto do Executivo institui um único fundo de pensão.

A divisão por poder vinha sendo reclamada por setores do Judiciário e do Legislativo. Os três fundos vão receber um aporte inicial de R$ 100 milhões da União, para início das atividades. Os recursos, que não estão contemplados no Orçamento deste ano, vão ser criados por meio de projeto de crédito adicional a ser enviado pelo Executivo para a Comissão Mista de Orçamento, segundo o relator.
Modelo mantido 

O substitutivo mantém o modelo de contribuição definida para servidores e órgãos públicos, e eleva de 7,5% para 8,5% a alíquota máxima de contribuição dos órgãos – o servidor vai escolher a sua. O acréscimo de um ponto percentual será usado para compor o Fundo de Cobertura de Benefícios Extraordinários (FCBE), considerado pelo relator como um dos principais pontos do parecer.

O fundo vai custear aposentadoria por invalidez; pensão para os dependentes do participante; aposentadoria especial de portadores de deficiência, mulheres e pessoas que exerçam atividades de risco ou sob condições especiais. O texto do Executivo só garante o financiamento da aposentadoria por idade, o chamado “benefício programado”. Para os “não programados”, como pensão e invalidez, remete à regulamentação. A ampliação, segundo o relator, dá mais segurança jurídica para os servidores que ingressarem na Funpresp.

Outra mudança importante foi a inclusão de representantes dos servidores e pensionistas no conselho deliberativo da Funpresp, instância máxima do fundo de pensão, antes restrito apenas a representantes indicados pelos patrocinadores. A paridade também foi estendida ao conselho fiscal e à diretoria executiva, órgão colegiado que vai cuidar o dia-a-dia da fundação.

Portabilidade
Rogério Carvalho retirou dois pontos do texto original: suprimiu a portabilidade e o direito de estados e municípios também entrarem na Funpresp. No primeiro caso, ele entende que a possibilidade de os participantes retirarem os recursos do fundo e migrarem para similares na iniciativa privada “caracteriza privatização” e viola o preceito constitucional de que o regime complementar do servidor deve ter natureza pública. A exclusão de estados e municípios decorre do entendimento de que estes devem ter autonomia para criar seus próprios fundos de pensão.

Fonte: Agência Câmara

comentários

COMENTÁRIOS


Envie Comentários utilizando sua conta do Facebook

publicidade
GERAL | matéria escrita em 29/06/2015 ás 18:03:00

FESTA JUNINA PARA PACIENTES DO BARRETINHO ACONTECE AMANHÃ, DIA 30

No dia 18 de julho haverá um outro arraial, desta vez para os pacientes e acompanhantes que estão na Casa de Apoio do Hospital e para a comunidade em geral.

GERAL | matéria escrita em 29/06/2015 ás 17:59:00

É de Ji-Paraná a Exposição Agropecuária mais barata de Rondônia

Quanto menor a feria agropecuária, mais caro é o valor ingresso; enquanto isso, a expojipa se tornou depois do Natal, a data mais importante para as vendas do comércio.

POLíTICA | matéria escrita em 29/06/2015 ás 17:53:00

Assembleia aprova paridade entre Ministério Público e Magistratura

Projeto de lei está em conformidade com entendimentos do STF, CNMP e CNJ.

POLíTICA | matéria escrita em 29/06/2015 ás 16:31:00

Assembleia Legislativa intermedia impasse entre Sedam e madeireiros

Movimento paredista sinaliza até mesmo com possibilidade de interdição da BR 364.

GERAL | matéria escrita em 29/06/2015 ás 16:27:00

IRPF 2015: Receita alerta sobre o vencimento da terceira quota do imposto amanhã (30)

O cálculo da quota do IRPF e o Darf podem ser gerados no aplicativo Sicalc, na página da Receita na Internet.

GERAL | matéria escrita em 29/06/2015 ás 16:23:00

ACIA reforça intervenção da bancada federal para encerramento da greve dos servidores da SUFRAMA

diretor da ACIA , Antônio Custódio , mantém contato com deputados e senadores cobrando solução para o impasse que prejudica empresários de Rondônia, uma vez que o estado é Zona de Livre Comércio.

POLíTICA | matéria escrita em 29/06/2015 ás 16:21:00

Janot diz que corrupção investigada pela Lava Jato é enorme e descomunal

Segundo Janot, as mudanças internas promovidas por ele na Procuradoria-Geral da República ajudaram no trabalho de investigação da Lava Jato.

POLíTICA | matéria escrita em 29/06/2015 ás 16:17:00

Em Nova York, Dilma diz que não respeita delatores

A presidenta contou ter aprendido na escola, em Minas Gerais, a não gostar da figura de pessoas que traem algum movimento e entregam colegas, como a do delator da Inconfidência Mineira (Joaquim Silvério dos Reis).

POLíCIA | matéria escrita em 29/06/2015 ás 15:59:00

Polícia Civil desmonta organização criminosa que agia nos presídios de Rondônia e prende 98 pessoas

A operação foi denominada Último Comando, que significa que a última palavra é a do estado e a obrigação do estado é prender criminosos, segundo o delegado Pedro Mancebo, diretor geral da Polícia Civil.

GERAL | matéria escrita em 29/06/2015 ás 15:53:00

Título Já inicia cadastro para mais três bairros de Ji-Paraná

Até o momento o Governo do Estado, em parceria com a Prefeitura de Ji Paraná, já realizou cerca de 1.500 cadastros em 13 bairros.

GERAL | matéria escrita em 29/06/2015 ás 15:49:00

Junta Comercial atua para reduzir de 102 para 5 dias o registro de empresas em Rondônia

O presidente da Jucer, Vladmir Oliane, fala da preocupação em simplificar os processos de registro.

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 29/06/2015 ás 15:46:00

OAB/RO solicita à Corregedoria do TJ melhorarias no atendimento do arquivo geral

O Corregedor-Geral do TJ-RO, Daniel Lagos, concordou que o direito às vistas processuais é prerrogativa essencial ao advogado e não deve ser cerceada, e garantiu que o referido setor será informado para que tal ato não mais ocorra.

POLíCIA | matéria escrita em 29/06/2015 ás 14:59:00

Operação “Último Comando”: crime organizado agia dentro de presídio em Vilhena

Helicóptero foi usado na ação que começou nas primeira horas da manhã.

POLíCIA | matéria escrita em 29/06/2015 ás 14:54:00

Operação Integrada cumpre 18 mandados de prisão em Vilhena

As investigações chegaram até ao presídio de segurança máxima Cone Sul, onde identificaram dois presos que já cumprem penas como sendo os cabeças das organizações criminosas.

GERAL | matéria escrita em 29/06/2015 ás 14:49:00

Capacitação e oportunidade de trabalho possibilitam a reinserção de reeducandos à sociedade, destaca Sejus

O atual quadro dessa situação foi mostrado nesta sexta-feira (26) pelo secretário-adjunto de Justiça, João Bosco Costa, com ênfase para objetivos pedagógicos da política penitenciária estadual.

publicidade
publicidade
© Tudo Rondônia 2005-2012 web site jornalístico - todos os direitos reservados
Editor responsável: Rubens Coutinho/ Registro Profissional 192 DRT/RO
Redação e administração: Avenida Calama com Lauro Sodré, 1118 - Salas 305 e 306 - Bairro Olaria - Porto Velho, Rondônia - CEP 76801-276 MSN/e-mail: tudorondonia@gmail.com