13/02/2012 - 22h59min - Atualizado em 13/02/2012 - 22h59min

Relator: previdência do servidor só deve ir a voto depois do Carnaval

A votação do projeto que cria uma fundação para gerir os recursos do fundo de pensão para os servidores públicos.

A votação do projeto que cria uma fundação para gerir os recursos do fundo de pensão para os servidores públicos (Funpresp, PL 1992/07) deverá ficar para depois do Carnaval. A avaliação foi feita nesta segunda-feira pelo relator da proposta na Comissão de Seguridade Social e Família, deputado Rogério Carvalho (PT-SE). Ele é autor do substitutivo que vai nortear a votação no Plenário. Para facilitar a aprovação do texto, Carvalho informou que deverá acolher novas emendas de Plenário, fora as três já incorporadas ao texto.

Os deputados apresentaram 36 destas emendas. Carvalho deverá reuni-las em uma única “subemenda de relator”. Na opinião dele, não restam mais pontos complexos para negociação. A disputa em torno da votação se dá mais por motivos políticos do que técnicos. “O texto reflete o entendimento da maioria dos parlamentares e partidos”, disse o relator.
Figura jurídica 

Apesar de acolher novas emendas, ele adiantou que o cerne do seu substitutivo, lido no Plenário em dezembro, não deverá ser alterado. O ponto principal a ser mantido é a figura jurídica da Funpresp, que será uma fundação de natureza pública e regime jurídico privado. Alguns partidos, como PDT e PCdoB, pressionam para que o fundo complementar seja criado na forma de fundação pública. É uma disputa que envolve o entendimento do texto constitucional.

O artigo 40, parágrafo 15, determina que o regime de previdência complementar dos servidores tenha “natureza pública”. 
Para os críticos do projeto, somente uma fundação pública cumpre o requisito constitucional. Para o relator, uma fundação pública de direito privado atende a norma. Além disso, ele ressaltou que o Congresso não pode alterar a figura jurídica de um órgão cuja criação é de exclusividade do Executivo, como determina a Constituição no mesmo artigo e parágrafo.
Três fundos 

O parecer de Rogério Carvalho cria três fundos de pensão para os servidores públicos, divididos em Executivo, Legislativo e Judiciário, este último incorporando o funcionalismo do Ministério Público da União (MPU) e do Tribunal de Contas da União (TCU). O texto do Executivo institui um único fundo de pensão.

A divisão por poder vinha sendo reclamada por setores do Judiciário e do Legislativo. Os três fundos vão receber um aporte inicial de R$ 100 milhões da União, para início das atividades. Os recursos, que não estão contemplados no Orçamento deste ano, vão ser criados por meio de projeto de crédito adicional a ser enviado pelo Executivo para a Comissão Mista de Orçamento, segundo o relator.
Modelo mantido 

O substitutivo mantém o modelo de contribuição definida para servidores e órgãos públicos, e eleva de 7,5% para 8,5% a alíquota máxima de contribuição dos órgãos – o servidor vai escolher a sua. O acréscimo de um ponto percentual será usado para compor o Fundo de Cobertura de Benefícios Extraordinários (FCBE), considerado pelo relator como um dos principais pontos do parecer.

O fundo vai custear aposentadoria por invalidez; pensão para os dependentes do participante; aposentadoria especial de portadores de deficiência, mulheres e pessoas que exerçam atividades de risco ou sob condições especiais. O texto do Executivo só garante o financiamento da aposentadoria por idade, o chamado “benefício programado”. Para os “não programados”, como pensão e invalidez, remete à regulamentação. A ampliação, segundo o relator, dá mais segurança jurídica para os servidores que ingressarem na Funpresp.

Outra mudança importante foi a inclusão de representantes dos servidores e pensionistas no conselho deliberativo da Funpresp, instância máxima do fundo de pensão, antes restrito apenas a representantes indicados pelos patrocinadores. A paridade também foi estendida ao conselho fiscal e à diretoria executiva, órgão colegiado que vai cuidar o dia-a-dia da fundação.

Portabilidade
Rogério Carvalho retirou dois pontos do texto original: suprimiu a portabilidade e o direito de estados e municípios também entrarem na Funpresp. No primeiro caso, ele entende que a possibilidade de os participantes retirarem os recursos do fundo e migrarem para similares na iniciativa privada “caracteriza privatização” e viola o preceito constitucional de que o regime complementar do servidor deve ter natureza pública. A exclusão de estados e municípios decorre do entendimento de que estes devem ter autonomia para criar seus próprios fundos de pensão.

Fonte: Agência Câmara

comentários

COMENTÁRIOS


publicidade
RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 24/08/2016 ás 17:08:00

Justiça do Trabalho interdita hospital em Guajará-Mirim após inspeção judicial

A decisão foi motivada após inspeção judicial, que constatou a existência de grave e iminente risco à saúde e à manutenção dos trabalhadores que atuam na unidade.

POLíTICA | matéria escrita em 24/08/2016 ás 17:05:00

Um choque DIGESTÃO

Professor Nazareno

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 24/08/2016 ás 15:37:00

É nula cláusula de arrendamento rural que fixa preço em quantidade de produtos

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) possui decisões que consideram nula cláusula contratual que fixa o preço do arrendamento rural em produtos agrícolas ou o equivalente a eles em dinheiro.

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 24/08/2016 ás 15:31:00

Negado recurso em HC para vereador que alegava ausência de cela especial

A defesa do parlamentar alegava inexistência de cela especial e de condições mínimas de salubridade para o cumprimento da pena.

POLíTICA | matéria escrita em 24/08/2016 ás 15:05:00

CCJR ouve cooperativas de garimpeiros e pede laudo de estudos no Madeira

Cooperados explicam que estão buscando trabalhar dentro da legalidade.

POLíTICA | matéria escrita em 24/08/2016 ás 14:58:00

Ezequiel ressalta importância da regularização fundiária em Rondônia

Parlamentar afirma que 90 mil proprietários de terra precisam da documentação.

POLíTICA | matéria escrita em 24/08/2016 ás 14:54:00

Follador quer informações sobre estudos no Rio Madeira

O deputado ressaltou o requerimento encaminhado ao Ibama, onde solicitou cópia das atas das audiências realizadas nos últimos dias 12 e 13 de agosto em Jacy-Paraná e Porto Velho...

POLíTICA | matéria escrita em 24/08/2016 ás 14:39:00

Governo encaminha projeto da paridade dos policiais militares e bombeiros

Chefe da Casa Civil apresentou matéria, que já foi discutida com a categoria.

POLíTICA | matéria escrita em 24/08/2016 ás 14:27:00

Ezequiel Júnior cobra reativação bancária dos Correios

População cobra volta dos serviços bancários nas agências dos Correios.

POLíTICA | matéria escrita em 24/08/2016 ás 14:13:00

Jesuíno agradece ao governo por encaminhar projeto

Matéria assegura paridade dos vencimentos dos policiais e bombeiros da reserva.

POLíTICA | matéria escrita em 24/08/2016 ás 14:10:00

Redano quer vedar cobrança no fornecimento de bolsas de sangue

Para o parlamentar, sangue é coletado gratuitamente e sua distribuição também não pode ser cobrada.

POLíTICA | matéria escrita em 24/08/2016 ás 14:03:00

Assembleia aprova projeto que garante garimpagem no rio Madeira

Projetos dos deputados Hermínio Coelho e Jesuíno Boabaid foram aprovados por unanimidade.

GERAL | matéria escrita em 24/08/2016 ás 14:00:00

Prazo de inscrições para o Prêmio Boas Ideias encerra no dia 4 de setembro

“Essa é a hora do servidor dar sua contribuição para melhorar a gestão pública e ainda ser recompensado financeiramente por isso”, disse a superintendente Estadual de Assuntos Estratégicos, Rosana Cristina Vieira de Souza.

GERAL | matéria escrita em 24/08/2016 ás 12:35:00

Mais de 100 pessoas serão capacitadas para ações da Superintendência de Políticas sobre Drogas em Rondônia

Na capital, as equipes trabalham com pessoas em fase de acolhimento e com aquelas que já passaram por comunidades terapêuticas, e por não se adaptarem retornaram ao Crepad.

GERAL | matéria escrita em 24/08/2016 ás 12:28:00

Governo de Rondônia investe em maquinário para otimizar recuperação de rodovias estaduais

Servidores que antes cortavam asfalto com picareta, agora trabalham com máquinas especializadas para este tipo de serviço.

publicidade
publicidade
© Tudo Rondônia 2005-2012 web site jornalístico - todos os direitos reservados
Editor responsável: Rubens Coutinho/ Registro Profissional 192 DRT/RO
Redação e administração: Avenida Calama com Lauro Sodré, 1118 - Salas 305 e 306 - Bairro Olaria - Porto Velho, Rondônia - CEP 76801-276 MSN/e-mail: tudorondonia@gmail.com