13/02/2012 - 22h59min - Atualizado em 13/02/2012 - 22h59min

Relator: previdência do servidor só deve ir a voto depois do Carnaval

A votação do projeto que cria uma fundação para gerir os recursos do fundo de pensão para os servidores públicos.

A votação do projeto que cria uma fundação para gerir os recursos do fundo de pensão para os servidores públicos (Funpresp, PL 1992/07) deverá ficar para depois do Carnaval. A avaliação foi feita nesta segunda-feira pelo relator da proposta na Comissão de Seguridade Social e Família, deputado Rogério Carvalho (PT-SE). Ele é autor do substitutivo que vai nortear a votação no Plenário. Para facilitar a aprovação do texto, Carvalho informou que deverá acolher novas emendas de Plenário, fora as três já incorporadas ao texto.

Os deputados apresentaram 36 destas emendas. Carvalho deverá reuni-las em uma única “subemenda de relator”. Na opinião dele, não restam mais pontos complexos para negociação. A disputa em torno da votação se dá mais por motivos políticos do que técnicos. “O texto reflete o entendimento da maioria dos parlamentares e partidos”, disse o relator.
Figura jurídica 

Apesar de acolher novas emendas, ele adiantou que o cerne do seu substitutivo, lido no Plenário em dezembro, não deverá ser alterado. O ponto principal a ser mantido é a figura jurídica da Funpresp, que será uma fundação de natureza pública e regime jurídico privado. Alguns partidos, como PDT e PCdoB, pressionam para que o fundo complementar seja criado na forma de fundação pública. É uma disputa que envolve o entendimento do texto constitucional.

O artigo 40, parágrafo 15, determina que o regime de previdência complementar dos servidores tenha “natureza pública”. 
Para os críticos do projeto, somente uma fundação pública cumpre o requisito constitucional. Para o relator, uma fundação pública de direito privado atende a norma. Além disso, ele ressaltou que o Congresso não pode alterar a figura jurídica de um órgão cuja criação é de exclusividade do Executivo, como determina a Constituição no mesmo artigo e parágrafo.
Três fundos 

O parecer de Rogério Carvalho cria três fundos de pensão para os servidores públicos, divididos em Executivo, Legislativo e Judiciário, este último incorporando o funcionalismo do Ministério Público da União (MPU) e do Tribunal de Contas da União (TCU). O texto do Executivo institui um único fundo de pensão.

A divisão por poder vinha sendo reclamada por setores do Judiciário e do Legislativo. Os três fundos vão receber um aporte inicial de R$ 100 milhões da União, para início das atividades. Os recursos, que não estão contemplados no Orçamento deste ano, vão ser criados por meio de projeto de crédito adicional a ser enviado pelo Executivo para a Comissão Mista de Orçamento, segundo o relator.
Modelo mantido 

O substitutivo mantém o modelo de contribuição definida para servidores e órgãos públicos, e eleva de 7,5% para 8,5% a alíquota máxima de contribuição dos órgãos – o servidor vai escolher a sua. O acréscimo de um ponto percentual será usado para compor o Fundo de Cobertura de Benefícios Extraordinários (FCBE), considerado pelo relator como um dos principais pontos do parecer.

O fundo vai custear aposentadoria por invalidez; pensão para os dependentes do participante; aposentadoria especial de portadores de deficiência, mulheres e pessoas que exerçam atividades de risco ou sob condições especiais. O texto do Executivo só garante o financiamento da aposentadoria por idade, o chamado “benefício programado”. Para os “não programados”, como pensão e invalidez, remete à regulamentação. A ampliação, segundo o relator, dá mais segurança jurídica para os servidores que ingressarem na Funpresp.

Outra mudança importante foi a inclusão de representantes dos servidores e pensionistas no conselho deliberativo da Funpresp, instância máxima do fundo de pensão, antes restrito apenas a representantes indicados pelos patrocinadores. A paridade também foi estendida ao conselho fiscal e à diretoria executiva, órgão colegiado que vai cuidar o dia-a-dia da fundação.

Portabilidade
Rogério Carvalho retirou dois pontos do texto original: suprimiu a portabilidade e o direito de estados e municípios também entrarem na Funpresp. No primeiro caso, ele entende que a possibilidade de os participantes retirarem os recursos do fundo e migrarem para similares na iniciativa privada “caracteriza privatização” e viola o preceito constitucional de que o regime complementar do servidor deve ter natureza pública. A exclusão de estados e municípios decorre do entendimento de que estes devem ter autonomia para criar seus próprios fundos de pensão.

Fonte: Agência Câmara

comentários
publicidade

COMENTÁRIOS


Envie Comentários utilizando sua conta do Facebook

publicidade
POLíTICA | matéria escrita em 22/12/2014 ás 11:55:00

Mariana Carvalho: “Ainda é cedo para falar sobre campanha para prefeita”

Mas deputada federal eleita não descarta possibilidade de se candidatar para suceder o prefeito Mauro Nazif.

POLíTICA | matéria escrita em 22/12/2014 ás 11:53:00

OAB lembra criação do Estado de Rondônia

A instalação do Estado foi em 4 de janeiro de 1982, sendo nomeado, então, o coronel Jorge Teixeira como seu primeiro governador.

GERAL | matéria escrita em 22/12/2014 ás 11:18:00

Valor de verbas de pescadores prejudicados por Jirau deve ser revisto, diz MPF

Verbas devem levar em consideração o padrão de vida anterior dos pescadores.

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 22/12/2014 ás 11:11:00

Réu que acusou magistrado de já estar com sentença pronta contra ele não consegue suspender ação penal

Em audiência na Vara de Tóxicos ,Da Gata teria ofendido o juiz Arlen José Silva ao afirmar “que ele é amigo pessoal do governador, que ele estava comprado, que a sentença já estava pronta”.

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 22/12/2014 ás 10:17:00

Rondônia: Judiciário reintegra família separada há 27 anos

Após buscas por irmã, homem encontra sobrinha vivendo num abrigo em São Paulo; guarda foi concedida pela Justiça de Rondônia.

POLíTICA | matéria escrita em 22/12/2014 ás 10:14:00

Retrospectiva infernal em 2014

Professor Nazareno*

POLíTICA | matéria escrita em 22/12/2014 ás 10:07:00

O Brasil tem cura – III por Andrey Cavalcante

As propostas da OAB começam pela reconhecidamente necessária reforma política, com o fim das campanhas milionárias, financiamento empresarial e limitação das doações privadas.

POLíTICA | matéria escrita em 22/12/2014 ás 10:04:00

Em Linhas Gerais: Melhor presente de natal é a faxina das instituições, afastando a bandidagem

Gessi Taborda

POLíTICA | matéria escrita em 22/12/2014 ás 10:02:00

Desistir, jamais!

Valdemir Caldas

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 22/12/2014 ás 09:44:00

Suspenso julgamento sobre paridade no pagamento de pensão por morte

No RE, os recorrentes sustentam a impossibilidade de se estender aos pensionistas os aumentos concedidos aos servidores da ativa (paridade) .

GERAL | matéria escrita em 22/12/2014 ás 09:42:00

Teste da linguinha em recém-nascidos passa a ser obrigatório em todo o país

De acordo com a assessoria do ministério, mesmo sem a regulamentação, a aplicação da lei está valendo e a norma vai reforçar o que já é feito hoje.

GERAL | matéria escrita em 20/12/2014 ás 14:30:00

Professor lança livro sobre Educação Tecnológica no auditório da Uniron-Shopping neste sábado.

Para Sérgio, que é Doutor em Educação, o estudo foi uma forma de contribuir com as diversas formas de tratar sobre tecnologia e sua influente inserção na educação.

GERAL | matéria escrita em 20/12/2014 ás 14:28:00

LIVRO VAI CONTAR HISTÓRIAS DO PRÉDIO DA VELHA CÂMARA

O lançamento de “Resgate da História” será no próprio prédio na Ladeira Comendador Centeno, onde funcionou desde 1924 a prefeitura ...

GERAL | matéria escrita em 20/12/2014 ás 14:17:00

Toma posse nova diretoria do Sindicato dos Auditores Fiscais de Rondônia

Foram empossados o auditor Mauro Roberto da Silva – como presidente - e os demais integrantes da diretoria executiva, além dos titulares dos Conselhos Fiscal e de Ética.

POLíTICA | matéria escrita em 20/12/2014 ás 14:15:00

O médico e o deputado

Valdemir Caldas

publicidade
publicidade
© Tudo Rondônia 2005-2012 web site jornalístico - todos os direitos reservados
Editor responsável: Rubens Coutinho/ Registro Profissional 192 DRT/RO
Redação e administração: Avenida Calama com Lauro Sodré, 1118 - Salas 305 e 306 - Bairro Olaria - Porto Velho, Rondônia - CEP 76801-276 MSN/e-mail: tudorondonia@gmail.com