13/02/2012 - 22h59min - Atualizado em 13/02/2012 - 22h59min

Relator: previdência do servidor só deve ir a voto depois do Carnaval

A votação do projeto que cria uma fundação para gerir os recursos do fundo de pensão para os servidores públicos.

A votação do projeto que cria uma fundação para gerir os recursos do fundo de pensão para os servidores públicos (Funpresp, PL 1992/07) deverá ficar para depois do Carnaval. A avaliação foi feita nesta segunda-feira pelo relator da proposta na Comissão de Seguridade Social e Família, deputado Rogério Carvalho (PT-SE). Ele é autor do substitutivo que vai nortear a votação no Plenário. Para facilitar a aprovação do texto, Carvalho informou que deverá acolher novas emendas de Plenário, fora as três já incorporadas ao texto.

Os deputados apresentaram 36 destas emendas. Carvalho deverá reuni-las em uma única “subemenda de relator”. Na opinião dele, não restam mais pontos complexos para negociação. A disputa em torno da votação se dá mais por motivos políticos do que técnicos. “O texto reflete o entendimento da maioria dos parlamentares e partidos”, disse o relator.
Figura jurídica 

Apesar de acolher novas emendas, ele adiantou que o cerne do seu substitutivo, lido no Plenário em dezembro, não deverá ser alterado. O ponto principal a ser mantido é a figura jurídica da Funpresp, que será uma fundação de natureza pública e regime jurídico privado. Alguns partidos, como PDT e PCdoB, pressionam para que o fundo complementar seja criado na forma de fundação pública. É uma disputa que envolve o entendimento do texto constitucional.

O artigo 40, parágrafo 15, determina que o regime de previdência complementar dos servidores tenha “natureza pública”. 
Para os críticos do projeto, somente uma fundação pública cumpre o requisito constitucional. Para o relator, uma fundação pública de direito privado atende a norma. Além disso, ele ressaltou que o Congresso não pode alterar a figura jurídica de um órgão cuja criação é de exclusividade do Executivo, como determina a Constituição no mesmo artigo e parágrafo.
Três fundos 

O parecer de Rogério Carvalho cria três fundos de pensão para os servidores públicos, divididos em Executivo, Legislativo e Judiciário, este último incorporando o funcionalismo do Ministério Público da União (MPU) e do Tribunal de Contas da União (TCU). O texto do Executivo institui um único fundo de pensão.

A divisão por poder vinha sendo reclamada por setores do Judiciário e do Legislativo. Os três fundos vão receber um aporte inicial de R$ 100 milhões da União, para início das atividades. Os recursos, que não estão contemplados no Orçamento deste ano, vão ser criados por meio de projeto de crédito adicional a ser enviado pelo Executivo para a Comissão Mista de Orçamento, segundo o relator.
Modelo mantido 

O substitutivo mantém o modelo de contribuição definida para servidores e órgãos públicos, e eleva de 7,5% para 8,5% a alíquota máxima de contribuição dos órgãos – o servidor vai escolher a sua. O acréscimo de um ponto percentual será usado para compor o Fundo de Cobertura de Benefícios Extraordinários (FCBE), considerado pelo relator como um dos principais pontos do parecer.

O fundo vai custear aposentadoria por invalidez; pensão para os dependentes do participante; aposentadoria especial de portadores de deficiência, mulheres e pessoas que exerçam atividades de risco ou sob condições especiais. O texto do Executivo só garante o financiamento da aposentadoria por idade, o chamado “benefício programado”. Para os “não programados”, como pensão e invalidez, remete à regulamentação. A ampliação, segundo o relator, dá mais segurança jurídica para os servidores que ingressarem na Funpresp.

Outra mudança importante foi a inclusão de representantes dos servidores e pensionistas no conselho deliberativo da Funpresp, instância máxima do fundo de pensão, antes restrito apenas a representantes indicados pelos patrocinadores. A paridade também foi estendida ao conselho fiscal e à diretoria executiva, órgão colegiado que vai cuidar o dia-a-dia da fundação.

Portabilidade
Rogério Carvalho retirou dois pontos do texto original: suprimiu a portabilidade e o direito de estados e municípios também entrarem na Funpresp. No primeiro caso, ele entende que a possibilidade de os participantes retirarem os recursos do fundo e migrarem para similares na iniciativa privada “caracteriza privatização” e viola o preceito constitucional de que o regime complementar do servidor deve ter natureza pública. A exclusão de estados e municípios decorre do entendimento de que estes devem ter autonomia para criar seus próprios fundos de pensão.

Fonte: Agência Câmara

comentários

COMENTÁRIOS


publicidade
POLíTICA | matéria escrita em 01/09/2014 ás 20:46:00

Mosquini esclarece que carro da Ceplac fotografado transportando placas de sua propaganda estava a serviço da Justiça Eleitoral

O veículo foi requisitado pelo juiz eleitoral de Jaru para transportar placas irregulares que foram recolhidas naquele município.

GERAL | matéria escrita em 01/09/2014 ás 20:44:00

Corpo de Bombeiros de Ji-Paraná recebe equipamentos

Os equipamentos possibilitam o resgate seguro de vítimas, ao mesmo tempo em que propiciam segurança para que os bombeiros atuem eficazmente.

GERAL | matéria escrita em 01/09/2014 ás 20:42:00

Evento marca o início da Semana da Pátria em Rondônia

Os alunos campeões dos Jogos Escolares (Joer) acompanhados por militares das forças armadas, além de policiais e bombeiros militares.

GERAL | matéria escrita em 01/09/2014 ás 20:40:00

UNIR e UFAM - Gestão, propriedade intelectual e tecnologia serão abordados em evento nesta semana

No dia 3 de setembro, a diretora do Departamento de Gestão da Inovação, Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia (DePT/PROTEC) da UFAM.

GERAL | matéria escrita em 01/09/2014 ás 20:37:00

Especialista ministra minicurso sobre Fonoaudiologia do Autismo

O minicurso terá como público alvo pais, professores, profissionais e acadêmicos. Serão abordadas as seguintes temáticas: Avaliação Fonoaudiológica.

GERAL | matéria escrita em 01/09/2014 ás 20:35:00

Força Tática do 5o BPM prende mais um foragido da Justiça, virou rotina, diz comandante

“Só quem perde são eles,pois certamente saem com um beneficio da lei e não retornam para cumpri suas penas”.

GERAL | matéria escrita em 01/09/2014 ás 20:32:00

Policiais do 5o BPM tiram de circulação mais dois traficantes

s policiais localizaram no bolso do primeiro elemento três porções de maconha.

GERAL | matéria escrita em 01/09/2014 ás 20:30:00

​Homem é preso por policiais do 5° BPM com revólver em exposição agropecuária em União Bandeirantes

O homem foi identificado como sendo Everaldo Dias Pego. Com ele foi encontrado um revólver calibre 38.

GERAL | matéria escrita em 01/09/2014 ás 20:08:00

Eletrobras Distribuição Rondônia promove Revoada de Pipas/2014 com sucesso

A Eletrobras Distribuição Rondônia agradece a presença e a participação da comunidade e o apoio da imprensa na disseminação de informações. . .

POLíTICA | matéria escrita em 01/09/2014 ás 20:27:00

Porto Velho: Ame-a ou deixa-a!

Valdemir Caldas

POLíTICA | matéria escrita em 01/09/2014 ás 20:18:00

Confúcio anuncia manutenção de incentivos fiscais para indústrias se instalarem no interior

Fábrica de pré-moldados tem dificuldades para contratar mão- de- obra qualificada.

POLíTICA | matéria escrita em 01/09/2014 ás 20:11:00

População de Extrema pede a Jaqueline Cassol compromisso com a emancipação do distrito

Em Extrema, onde esteve no sábado, Jaqueline encontrou a população frustrada, indignada com o veto presidencial do projeto que emancipa o distrito, tornando-o município.

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 01/09/2014 ás 20:06:00

Presidente do Comitê de implantação do PJe participa do Congresso

Durante quase uma hora de palestra, Benevides demonstrou preocupação com relação aos custos operacionais para a implementação do PJe nos tribunais estaduais.

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 01/09/2014 ás 20:02:00

Ação Civil Pública na Justiça do Trabalho beneficia escolas municipais de Porto Velho

A procuradora do trabalho ressaltou o papel social desta decisão. “Na verdade é resultado da condenação em uma ação civil pública proposta pelo MPT.

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 01/09/2014 ás 20:03:00

Congresso aborda questões de cooperativismo médico e de planos de saúde

O Superior Tribunal de Justiça também fez um levantamento no qual aponta que nos últimos dez anos, o Brasil teve um aumento de 1.600% no número de processos judiciais envolvendo médicos

publicidade
publicidade
© Tudo Rondônia 2005-2012 web site jornalístico - todos os direitos reservados
Editor responsável: Rubens Coutinho/ Registro Profissional 192 DRT/RO
Redação e administração: Avenida Calama com Lauro Sodré, 1118 - Salas 305 e 306 - Bairro Olaria - Porto Velho, Rondônia - CEP 76801-276 MSN/e-mail: tudorondonia@gmail.com