13/02/2012 - 22h59min - Atualizado em 13/02/2012 - 22h59min

Relator: previdência do servidor só deve ir a voto depois do Carnaval

A votação do projeto que cria uma fundação para gerir os recursos do fundo de pensão para os servidores públicos.

A votação do projeto que cria uma fundação para gerir os recursos do fundo de pensão para os servidores públicos (Funpresp, PL 1992/07) deverá ficar para depois do Carnaval. A avaliação foi feita nesta segunda-feira pelo relator da proposta na Comissão de Seguridade Social e Família, deputado Rogério Carvalho (PT-SE). Ele é autor do substitutivo que vai nortear a votação no Plenário. Para facilitar a aprovação do texto, Carvalho informou que deverá acolher novas emendas de Plenário, fora as três já incorporadas ao texto.

Os deputados apresentaram 36 destas emendas. Carvalho deverá reuni-las em uma única “subemenda de relator”. Na opinião dele, não restam mais pontos complexos para negociação. A disputa em torno da votação se dá mais por motivos políticos do que técnicos. “O texto reflete o entendimento da maioria dos parlamentares e partidos”, disse o relator.
Figura jurídica 

Apesar de acolher novas emendas, ele adiantou que o cerne do seu substitutivo, lido no Plenário em dezembro, não deverá ser alterado. O ponto principal a ser mantido é a figura jurídica da Funpresp, que será uma fundação de natureza pública e regime jurídico privado. Alguns partidos, como PDT e PCdoB, pressionam para que o fundo complementar seja criado na forma de fundação pública. É uma disputa que envolve o entendimento do texto constitucional.

O artigo 40, parágrafo 15, determina que o regime de previdência complementar dos servidores tenha “natureza pública”. 
Para os críticos do projeto, somente uma fundação pública cumpre o requisito constitucional. Para o relator, uma fundação pública de direito privado atende a norma. Além disso, ele ressaltou que o Congresso não pode alterar a figura jurídica de um órgão cuja criação é de exclusividade do Executivo, como determina a Constituição no mesmo artigo e parágrafo.
Três fundos 

O parecer de Rogério Carvalho cria três fundos de pensão para os servidores públicos, divididos em Executivo, Legislativo e Judiciário, este último incorporando o funcionalismo do Ministério Público da União (MPU) e do Tribunal de Contas da União (TCU). O texto do Executivo institui um único fundo de pensão.

A divisão por poder vinha sendo reclamada por setores do Judiciário e do Legislativo. Os três fundos vão receber um aporte inicial de R$ 100 milhões da União, para início das atividades. Os recursos, que não estão contemplados no Orçamento deste ano, vão ser criados por meio de projeto de crédito adicional a ser enviado pelo Executivo para a Comissão Mista de Orçamento, segundo o relator.
Modelo mantido 

O substitutivo mantém o modelo de contribuição definida para servidores e órgãos públicos, e eleva de 7,5% para 8,5% a alíquota máxima de contribuição dos órgãos – o servidor vai escolher a sua. O acréscimo de um ponto percentual será usado para compor o Fundo de Cobertura de Benefícios Extraordinários (FCBE), considerado pelo relator como um dos principais pontos do parecer.

O fundo vai custear aposentadoria por invalidez; pensão para os dependentes do participante; aposentadoria especial de portadores de deficiência, mulheres e pessoas que exerçam atividades de risco ou sob condições especiais. O texto do Executivo só garante o financiamento da aposentadoria por idade, o chamado “benefício programado”. Para os “não programados”, como pensão e invalidez, remete à regulamentação. A ampliação, segundo o relator, dá mais segurança jurídica para os servidores que ingressarem na Funpresp.

Outra mudança importante foi a inclusão de representantes dos servidores e pensionistas no conselho deliberativo da Funpresp, instância máxima do fundo de pensão, antes restrito apenas a representantes indicados pelos patrocinadores. A paridade também foi estendida ao conselho fiscal e à diretoria executiva, órgão colegiado que vai cuidar o dia-a-dia da fundação.

Portabilidade
Rogério Carvalho retirou dois pontos do texto original: suprimiu a portabilidade e o direito de estados e municípios também entrarem na Funpresp. No primeiro caso, ele entende que a possibilidade de os participantes retirarem os recursos do fundo e migrarem para similares na iniciativa privada “caracteriza privatização” e viola o preceito constitucional de que o regime complementar do servidor deve ter natureza pública. A exclusão de estados e municípios decorre do entendimento de que estes devem ter autonomia para criar seus próprios fundos de pensão.

Fonte: Agência Câmara

comentários

COMENTÁRIOS


Envie Comentários utilizando sua conta do Facebook

publicidade
RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 27/04/2015 ás 12:27:00

Justiça do Trabalho reconhece vínculo de policial militar que fazia segurança para igreja

Súmula do TST reconhece a relação de emprego entre policial militar e empresa privada independentemente do eventual cabimento de penalidade disciplinar imposta pela corporação devido ao acúmulo de funções.

POLíCIA | matéria escrita em 27/04/2015 ás 12:18:00

Polícia investiga morte de professor do IFRO e delegado pede a prisão de suspeito

Informações apontam que ele teria fugido para Porto Velho e qualquer informação que leve ao suspeito deve ser dada pelo telefone 197 da Polícia Civil, ou 3322-3001/3322-5213.

POLíTICA | matéria escrita em 27/04/2015 ás 11:36:00

Raupp quer regular atuação de menores em atividades esportivas e artísticas

A proposta, que por enquanto aguarda a sugestão de emendas, na prática libera o trabalho dos artistas e desportistas com menos de 14 anos, desde que haja sempre a presença de um dos pais ou de um responsável ao local da atividade.

POLíCIA | matéria escrita em 27/04/2015 ás 11:30:00

Polícia Militar promove oficiais e praças da região do Vale do Jamari

Na ocasião foi entregue a promoção por ato de bravura à família do cabo Sérgio Campos , do Núcleo de Inteligência do 7º BPM. O policial morreu no estrito cumprimento do dever.

GERAL | matéria escrita em 27/04/2015 ás 11:28:00

Sepog realiza Semana da Saúde para atender servidores do Palácio Rio Madeira

O evento, realizado todos os anos pela Secretaria de Estado do Planejamento, Orçamento e Gestão (Sepog), inicia no dia 5 de maio, no próprio palácio, e prossegue até o dia 8.

GERAL | matéria escrita em 27/04/2015 ás 11:26:00

Programa de Aquisição de Alimentos 2015 é lançado em Colorado do Oeste

O PAA é desenvolvido pelo governo federal, por meio do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) e Ministério de Desenvolvimento Social (MDS), em parceria com o governo do Estado de Rondônia.

GERAL | matéria escrita em 27/04/2015 ás 11:21:00

Governo e instituições definem ações sociais e de saúde nas comunidades terapêuticas de Porto Velho

Os internos das instituições Giliard, Confrontando Gigantes, Apatox e Refúgio Canaã serão os primeiros a receber, na fase inicial do Projeto, atendimentos psicossocial, médico, odontológico, aferição de pressão arterial e ...

GERAL | matéria escrita em 27/04/2015 ás 11:16:00

Rondônia é o 12º produtor nacional de mandioca; Emater apóia mais de dez mil famílias produtoras

No cômputo nacional das safras rondonienses, a mandioca está à da frente da soja (14º), milho e feijão (18º) e banana (19º).

GERAL | matéria escrita em 27/04/2015 ás 11:12:00

Malária tem que ter diagnóstico perfeito, alerta Agência Estadual de Vigilância em Saúde

A boa notícia: o percentual rondoniense de malária baixou.

GERAL | matéria escrita em 27/04/2015 ás 11:07:00

Governo de Rondônia inaugura Parque Açaí e transfere espaço para a prefeitura de Ariquemes

O Projeto Canal da Cidadania foi idealizado pelo governador Confúcio Moura e tem por objetivo revitalizar regiões pouco valorizadas nas periferias das cidades, a exemplo da área onde foi construído o Parque Açaí.

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 27/04/2015 ás 10:55:00

Reformada decisão que considerou abusivo aumento de plano de saúde em razão da idade

Noronha afirmou que a discriminação, fomentada pelo preconceito, é ato coibido pelo ordenamento jurídico, mas no caso dos reajustes de planos de saúde não se está onerando uma pessoa pelo simples fato de ser idosa...

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 27/04/2015 ás 10:52:00

Divulgação de pesquisa sobre preferência de leitores não gera dano moral a jornal citado

A editora jornalística que ajuizou a ação por danos morais sustentou não ter autorizado a menção ao seu nome, muito menos a divulgação do desempenho que lhe foi atribuído na pesquisa.

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 27/04/2015 ás 10:46:00

ESPECIAL - O encontro fortuito de provas na jurisprudência do STJ

A descoberta de provas ao acaso tem sido valiosa para as autoridades policiais desvendarem a ação criminosa. Um exemplo recente é a operação Lava Jato.

GERAL | matéria escrita em 27/04/2015 ás 10:37:00

Lutando pela vida, homem precisa de ajuda para tratar câncer no fígado

Para fazer o tratamento em São Paulo, ele precisa de apoio para custear as despesas, já que o Tratamento Fora do Domicílio (TFD) não cobre os gastos do acompanhante.

POLíTICA | matéria escrita em 27/04/2015 ás 10:22:00

Luiz Cláudio garante carteira de habilitação as pessoas de baixa renda

O parlamentar apresentou a Lei 3017/2013 que trata do Programa popular de formação, qualificação e habilitação profissional de condutores de veículos automotores e escola pública estadual de trânsito de Rondônia.

publicidade
publicidade
© Tudo Rondônia 2005-2012 web site jornalístico - todos os direitos reservados
Editor responsável: Rubens Coutinho/ Registro Profissional 192 DRT/RO
Redação e administração: Avenida Calama com Lauro Sodré, 1118 - Salas 305 e 306 - Bairro Olaria - Porto Velho, Rondônia - CEP 76801-276 MSN/e-mail: tudorondonia@gmail.com