13/02/2012 - 22h59min - Atualizado em 13/02/2012 - 22h59min

Relator: previdência do servidor só deve ir a voto depois do Carnaval

A votação do projeto que cria uma fundação para gerir os recursos do fundo de pensão para os servidores públicos.

A votação do projeto que cria uma fundação para gerir os recursos do fundo de pensão para os servidores públicos (Funpresp, PL 1992/07) deverá ficar para depois do Carnaval. A avaliação foi feita nesta segunda-feira pelo relator da proposta na Comissão de Seguridade Social e Família, deputado Rogério Carvalho (PT-SE). Ele é autor do substitutivo que vai nortear a votação no Plenário. Para facilitar a aprovação do texto, Carvalho informou que deverá acolher novas emendas de Plenário, fora as três já incorporadas ao texto.

Os deputados apresentaram 36 destas emendas. Carvalho deverá reuni-las em uma única “subemenda de relator”. Na opinião dele, não restam mais pontos complexos para negociação. A disputa em torno da votação se dá mais por motivos políticos do que técnicos. “O texto reflete o entendimento da maioria dos parlamentares e partidos”, disse o relator.
Figura jurídica 

Apesar de acolher novas emendas, ele adiantou que o cerne do seu substitutivo, lido no Plenário em dezembro, não deverá ser alterado. O ponto principal a ser mantido é a figura jurídica da Funpresp, que será uma fundação de natureza pública e regime jurídico privado. Alguns partidos, como PDT e PCdoB, pressionam para que o fundo complementar seja criado na forma de fundação pública. É uma disputa que envolve o entendimento do texto constitucional.

O artigo 40, parágrafo 15, determina que o regime de previdência complementar dos servidores tenha “natureza pública”. 
Para os críticos do projeto, somente uma fundação pública cumpre o requisito constitucional. Para o relator, uma fundação pública de direito privado atende a norma. Além disso, ele ressaltou que o Congresso não pode alterar a figura jurídica de um órgão cuja criação é de exclusividade do Executivo, como determina a Constituição no mesmo artigo e parágrafo.
Três fundos 

O parecer de Rogério Carvalho cria três fundos de pensão para os servidores públicos, divididos em Executivo, Legislativo e Judiciário, este último incorporando o funcionalismo do Ministério Público da União (MPU) e do Tribunal de Contas da União (TCU). O texto do Executivo institui um único fundo de pensão.

A divisão por poder vinha sendo reclamada por setores do Judiciário e do Legislativo. Os três fundos vão receber um aporte inicial de R$ 100 milhões da União, para início das atividades. Os recursos, que não estão contemplados no Orçamento deste ano, vão ser criados por meio de projeto de crédito adicional a ser enviado pelo Executivo para a Comissão Mista de Orçamento, segundo o relator.
Modelo mantido 

O substitutivo mantém o modelo de contribuição definida para servidores e órgãos públicos, e eleva de 7,5% para 8,5% a alíquota máxima de contribuição dos órgãos – o servidor vai escolher a sua. O acréscimo de um ponto percentual será usado para compor o Fundo de Cobertura de Benefícios Extraordinários (FCBE), considerado pelo relator como um dos principais pontos do parecer.

O fundo vai custear aposentadoria por invalidez; pensão para os dependentes do participante; aposentadoria especial de portadores de deficiência, mulheres e pessoas que exerçam atividades de risco ou sob condições especiais. O texto do Executivo só garante o financiamento da aposentadoria por idade, o chamado “benefício programado”. Para os “não programados”, como pensão e invalidez, remete à regulamentação. A ampliação, segundo o relator, dá mais segurança jurídica para os servidores que ingressarem na Funpresp.

Outra mudança importante foi a inclusão de representantes dos servidores e pensionistas no conselho deliberativo da Funpresp, instância máxima do fundo de pensão, antes restrito apenas a representantes indicados pelos patrocinadores. A paridade também foi estendida ao conselho fiscal e à diretoria executiva, órgão colegiado que vai cuidar o dia-a-dia da fundação.

Portabilidade
Rogério Carvalho retirou dois pontos do texto original: suprimiu a portabilidade e o direito de estados e municípios também entrarem na Funpresp. No primeiro caso, ele entende que a possibilidade de os participantes retirarem os recursos do fundo e migrarem para similares na iniciativa privada “caracteriza privatização” e viola o preceito constitucional de que o regime complementar do servidor deve ter natureza pública. A exclusão de estados e municípios decorre do entendimento de que estes devem ter autonomia para criar seus próprios fundos de pensão.

Fonte: Agência Câmara

comentários

COMENTÁRIOS


publicidade
RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 29/09/2014 ás 16:51:00

MP vai pedir condenação por homicídio qualificado de filho que matou pai idoso para comprar drogas

Como no dia do crime o pai se recusou a dar dinheiro para manter seu vício, Franjhoni desferiu diversas facadas pelo corpo no ancião.

GERAL | matéria escrita em 29/09/2014 ás 16:06:00

Seas discute metodologia para as inscrições de 1456 moradias em Ji-Paraná

Para Sônia Reigota, a presença do estado na execução dos programas é a segurança que o município tem para atuar com mais estrutura e corpo técnico.

GERAL | matéria escrita em 29/09/2014 ás 16:00:00

Instituto Abaitará realiza Seminário de Agroecologia

O Abaitará tem uma estrutura muito boa e eles estão de parabéns pela organização do seminário”.

GERAL | matéria escrita em 29/09/2014 ás 15:55:00

População aprova estrutura do Teatro das Artes

Nossa reportagem ouviu a opinião de algumas pessoas, principalmente sobre a estrutura de acomodação, iluminação e acústica na visão de cada um.

POLíTICA | matéria escrita em 29/09/2014 ás 15:53:00

Faltam 6 dias: boca de urna é proibida durante a votação

No dia da votação, também são proibidos o uso de alto-falantes e amplificadores de som, a promoção de comício ou carreata e a divulgação de qualquer espécie de propaganda...

POLíTICA | matéria escrita em 29/09/2014 ás 15:52:00

Transposição: consulta ao TCU está pronta para ir ao pleno semana que vem

Desde que assumiu o mandato como deputado federal, Amir Lando foi procurado por servidores para abraçar a causa da transposição.

POLíTICA | matéria escrita em 29/09/2014 ás 15:45:00

Senador Odacir Soares repudia declarações da presidenciável Marina Silva sobre BR-319

O que é incompreensível é sua postura radical contra estradas que comprovem sua indiscutível importância para os povos dos estados onde elas se situam”, criticou o congressista.

GERAL | matéria escrita em 29/09/2014 ás 14:49:00

Homem mantém refém com explosivos amarrados ao corpo em hotel em Brasília

Vinte de cinco homens do Corpo de Bombeiros estão no Hotel Saint Peter.

RONDôNIA JURíDICO | matéria escrita em 29/09/2014 ás 11:35:00

Prefeito de Porto Velho luta na justiça para inverter o sentido da Sete de Setembro...e perde novamente

A única justificativa do prefeito para colocar em prática sua ideia é que “os portovelhenses devem ficar de frente para o Rio Madeira”.

GERAL | matéria escrita em 29/09/2014 ás 11:13:00

Diretores de escolas municipais participam de palestras sobre o centenário de Porto Velho

As ações da Semed relativas à comemoração do centenário já foram iniciadas em algumas escolas.

POLíTICA | matéria escrita em 29/09/2014 ás 11:09:00

Presidente da Assembleia repudia ataque covarde a servidores da Justiça Eleitoral

O deslocamento foi realizado em dois veículos, sendo um conduzido pela magistrada e ou outro pelo servidor da Justiça Eleitoral.

POLíTICA | matéria escrita em 29/09/2014 ás 11:04:00

Saúde melhorou e Estado está fortalecido, afirma Confúcio na Rádio Meridional de Pimenta

Educação, pavimentação, habitação, segurança pública foram assuntos abordados na entrevista.

GERAL | matéria escrita em 29/09/2014 ás 10:59:00

Greve dos bancários começa nesta terça em todo o país

A greve nacional dos bancários começa a zero hora de amanhã, terça-feira, 30 de setembro, em todo o país.

POLíTICA | matéria escrita em 29/09/2014 ás 10:57:00

Expedito denuncia armação nas mídias sociais

De acordo com o tucano, a postagem tem como objetivo colocá-lo contra uma concorrente antes da realização do próximo debate da TV Rondônia, visto que o truque já foi tentado sem sucesso.

GERAL | matéria escrita em 29/09/2014 ás 10:47:00

Projeto de extensão da UNIR realiza palestras sobre Economia em escola pública de Porto Velho

O PET é um Programa do Ministério da Educação (MEC) que existe desde a década de 1980. É composto por mais de 900 grupos distribuídos em Instituições de Ensino.

publicidade
publicidade
© Tudo Rondônia 2005-2012 web site jornalístico - todos os direitos reservados
Editor responsável: Rubens Coutinho/ Registro Profissional 192 DRT/RO
Redação e administração: Avenida Calama com Lauro Sodré, 1118 - Salas 305 e 306 - Bairro Olaria - Porto Velho, Rondônia - CEP 76801-276 MSN/e-mail: tudorondonia@gmail.com