Deputado Anderson lamenta morte de Tenente e Sargento da PM em distrito de Porto Velho

A sociedade precisa dessa resposta do governo de Rondônia. Esperamos que a resposta seja a altura do fato acontecido!”, finalizou Anderson Pereira

Assessoria
Publicada em 05 de outubro de 2020 às 09:14
Deputado Anderson lamenta morte de Tenente e Sargento da PM em distrito de Porto Velho

O presidente da Comissão de Segurança Pública da ALE/RO, deputado Anderson Pereira (PROS), lamenta profundamente o falecimento do 2° tenente PM RR Figueiredo e do 3° Sargento Rodrigues da Polícia Militar, ambos assassinados a tiros no sábado (3) em uma fazenda localizada na BR-364, cerca de 20 quilômetros após o distrito de Nova Mutum Paraná, em Porto Velho.

De acordo com informações preliminares, tenente Figueiredo estava na companhia de outras pessoas pescando em uma área da região quando um grupo de sem terras teria atacado as vítimas. O tenente acabou levando um tiro na cabeça. Os acompanhantes do PM ficaram feridos. As vítimas foram levadas para o posto de saúde local. O tenente Figueiredo morreu na fazenda. Os demais feridos foram transferidos para o hospital João Paulo II.

Guarnições da PM foram ao local resgatar o corpo e tentar localizar os criminosos, mas o resultado da operação, segundo a própria polícia, foi catastrófico. Confronto a tiros entre Polícia Militar e supostos sem-terras terminou também com a morte do sargento Rodrigues, da Força Tática do 5° Batalhão.

“É inadmissível que agentes da segurança pública sejam atacados de forma covarde e os autores fiquem impunes, bandidos que se dizem sem terras executaram o oficial a sangue frio, humilharam seus familiares, além de alvejá-los e na tentativa do resgate do corpo do militar, guarnições sejam atacadas com tiros de grosso calibre. O sargento Rodrigues foi morto defendendo a sociedade, isso não pode jamais ser esquecido”, desabafou o parlamentar.

“Ficam aqui nossas condolências às famílias do 2° tenente Figueiredo e o 3° Sargento Rodrigues e esperamos que os assassinos sejam identificados e presos o quanto antes. A sociedade precisa dessa resposta do governo de Rondônia. Esperamos que a resposta seja a altura do fato acontecido!”, finalizou Anderson Pereira.

Envie seu Comentário

 

Comentários

    Seja o primeiro a comentar

Envie Comentários utilizando sua conta do Facebook