Doria irá à Justiça se Anvisa barrar a Coronavac

O governo de São Paulo já tem um plano B para o caso de a Anvisa barrar ou simplesmente não avaliar a liberação da vacina CoronaVac até o próximo domingo

Brasil 247
Publicada em 13 de janeiro de 2021 às 11:22
Doria irá à Justiça se Anvisa barrar a Coronavac

(Foto: GOVSP | ABr)

O governo de São Paulo já tem um plano B para o caso de a Anvisa barrar ou simplesmente não avaliar a liberação da vacina CoronaVac até o próximo domingo e acionará a justiça para começar já a aplicar a vacina na próxima semana.

Prevendo entraves políticos com o Governo Federal ou a demora da Anvisa para liberar a vacina Coronavac para uso emergencial, o governo do estado de São Paulo decidiu ter uma carta na manga e irá acionar a justiça se até o próximo até o domingo o órgão sanitário não der um parecer a respeito do imunizante fabricado no Instituto Butatan com a fabricante chinesa Sinovac. 

Segundo reportagem do portal Poder 360, Receba a newsletter do Poder360, o Butantan tem um estoque de 10,8 milhões de doses do imunizante, sendo 6 milhões para uso imediato. Há capacidade de produzir mais 1 milhão por dia com insumos importados que chegarão em até 15 dias.

Foram encomendadas da China 49,2 milhões de doses. Mas também podem vir como insumo para produção no Brasil. Em até 15 dias chegará o próximo carregamento.

O especialista em epidemiologia Márcio Sommer Bittencourt, cardiologista do Hospital Israelita Albert Einstein e pesquisador da Clínica Epidemiológica do Hospital Universitário da USP, traz uma explicação bastante clara no Twitter. Em resumo, ele diz que, com a vacina, “a Covid vira uma gripinha na maior parte dos casos”.

Envie seu Comentário

 

Comentários

    Seja o primeiro a comentar

Envie Comentários utilizando sua conta do Facebook