Equipes da Agevisa orientam população sobre forma correta de agir em caso de sintomas do coronavírus

Após sentir possíveis sintomas de coronavírus, ou em casos de dúvidas, basta entrar em contato com o Cievs através dos números: 0800 642 5398 e 0800 647 1010

Anayr Celina Fotos: Frank Nery, Daiane Mendonça e Gaia Bentes
Publicada em 25 de março de 2020 às 11:44
Equipes da Agevisa orientam população sobre forma correta de agir em caso de sintomas do coronavírus

A recomendação é para não aglomerar as Unidades Básicas de Saúde evitando a propagação do coronavírus

O cenário de pandemia tem causado medo, dúvidas e incertezas na população, levando muitos a procurar as Unidades Básicas de Saúde (UBS) até mesmo sem apresentar quaisquer sintomas relacionados ao coronavírus (Covid-19). Dessa forma, descumprem a principal recomendação médica de permanecer na quarentena, e, ao invés de protegidos, acabam expondo-se ao vírus, é o que alerta a biomédica Flávia Serrano, da Gerência Técnica de Vigilância epidemiológica (Gtvep) da Agência Estadual de Vigilância em Saúde (Agevisa).

“Nós temos três quadros sintomáticos do coronavírus: leve, moderado e grave. A recomendação é não sair de casa, mesmo apresentando sintomas. Deve-se, antes, procurar o Centro de Informações Estratégicas em Saúde (Cievs), disponível 24 horas por dia”, ressaltou a biomédica. 

Além da quarentena, lavar as mãos com sabão e usar álcool em gel ajudam na prevenção do vírus

As equipes do Cievs orientam a população sobre a forma correta de agir em caso de sintomas. O centro disponibiliza vários canais de comunicação com informações sobre como se proteger diante de um cenário de pandemia.

Segundo a biomédica, os sintomas considerados leves a moderados são: febre leve, coriza, tosse, espirros e dor no corpo. Já os graves são febre acima de 38º, falta de ar, e possuir alguma outra doença.

“Se o individuo apresentar algum destes sintomas deve primeiro procurar o Cievs através dos números: (0800 642 5398 ou 0800 647 1010 ) e seguir as devidas orientações. Vale ressaltar que o isolamento é uma barreira de evitar que o vírus contamine mais pessoas”, destacou Flávia.

MEDO: O INIMIGO DA MENTE

De acordo com a psicóloga Anne, devido às inúmeras informações diárias que a população tem recebido, muitos acabam agindo movidos pelo medo. “O medo distorce a percepção das pessoas, levando-as a agir sem pensar. Se uma pessoa alimenta-se de várias informações negativas o tempo todo, qualquer sintoma semelhante ao do coronavírus, como um espirro, por exemplo, pode virar um tormento e trazer consequências como medo da morte, solidão, ansiedade entre outros. O ideal, neste momento, é adotar ações de prevenção e acrescentar à rotina atividades prazerosas que estimulem o cérebro”, ressaltou a psicóloga.

PROCURANDO AJUDA CERTA

Após sentir possíveis sintomas de coronavírus, ou em casos de dúvidas, basta entrar em contato com o Cievs através dos números: 0800 642 5398  e 0800 647 1010.

O Cievs conta com equipes capacitadas e tecnologia que monitora diariamente emergências da saúde pública.

Envie seu Comentário

 

Comentários

    Seja o primeiro a comentar

Envie Comentários utilizando sua conta do Facebook