Follador critica falta de peritos do INSS em Ariquemes e no Estado

Consultas vão sendo remarcadas e os pacientes acabam morrendo antes de receber o benefício, diz deputado.

Assessoria
Publicada em 14 de março de 2018 às 12:35
Follador critica falta de peritos do INSS em Ariquemes e no Estado

O deputado Adelino Follador (DEM) criticou nesta terça-feira (13) a completa inoperância do Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) em Ariquemes, que está submetendo a população a uma verdadeira via sacra, tendo em vista que, por falta de peritos, obriga as pessoas que necessitam deste atendimento a se deslocarem às cidades de Jaru ou Porto Velho para a realização de exames.

Segundo o deputado esta é uma situação que já perdura por anos, e vem piorando gradativamente a ponto de exigir uma solução imediata e definitiva, em respeito ao cidadão que paga impostos neste País e não merece e nem pode ser tratado como indigente. Ele disse que já esteve várias vezes no órgão e que tem feito gestões juntos às autoridades ligadas ao setor, não vendo da parte delas qualquer gesto para resolver a situação.

O deputado chamou atenção dessas autoridades, sublinhando que, em alguns casos, há famílias que se juntam, vendem o que possuem – galinhas, porcos, etc -, para custear o deslocamento até o INSS e a manutenção em Porto Velho até ser atendido, processo que demanda dinheiro, muita boa vontade e a própria necessidade do paciente/cidadão.

Adelino Follador disse que a situação do INSS em Ariquemes é muito pior do que se pode imaginar. Ele disse recebeu denúncia de que mais de 300 pacientes da região tiveram que buscar atendimento em outros municípios, visto que ali não há atendimento básico, elementar, e muito menos peritos para a realização de exames.

MAIS DE 12 MIL RONDOINIENSES NA FILA

O deputado lamentou a situação do povo rondoniense, que desde 2010 já forma uma fila com mais de 12 pessoas aguardando por um atendimento pericial do INSS, uma situação de completo desprezo, que na sua visão além de desrespeitoso chega a ser desumano para o cidadão idoso ou inválido.

Follador disse que sabe que o drama vivido em Rondônia é similar a outros estados, incluindo o Amazonas, que com os demais sofrem com os desfalques resultantes dos pedidos de aposentadorias, e até mesmo de exonerações por motivos pessoais, eis muitos são enviados para trabalhar em regiões inóspitas, longe dos familiares, e sem a correspondente compensação financeira.

3.128 MÉDICOS SAEM DO INSS

Por este motivo, segundo o deputado, o INSS perdeu de 2010 a 2017 em todo o País nada menos de 3.128 médicos peritos, sem que o Governo Federal adote uma providência gerencial para o instituto, capaz de reorganizar e reordenar a gestão e o atendimento aos segurados, promovendo melhorias para os servidores que estão trabalhando, e a realização de concurso público para provimento das vagas abertas com tantas exonerações e aposentadorias.

Follador explicou que por causa desta situação de crise do instituto, milhares pessoas do Estado de Rondônia, muitas das quais acometidas de doenças graves, não conseguem ser atendidas para receber o auxílio doenças. “As consultas vão sendo remarcadas e remarcadas, e muitas dessas pessoas acabam morrendo sem receber o benefício, o que muito lamentável e vergonhoso para o País”, disse.

O deputado fez ver que, embora esta seja uma situação que aflige de forma mais aguda a região do Vale do Jamari (Grande Ariquemes), por suas dimensões, é também semelhante a situação vivida nos municípios de Ouro Preto, Ji-Paraná, Cacoal, Pimenta Bueno, Nova Brasilândia, Vilhena, Jaru e Machadinho do Oeste, e de resto em todo Estado de Rondônia, onde se constata a desesperança da população com o INSS, disse Follador.

Comentários

  • 1
    image
    Pedro Lima 14/03/2018

    Parabesn deputado, estes perito sao criminosos, eles estao deixando de conceder amparo aos cancerosos.

Envie seu Comentário

Envie seu Comentário

Envie Comentários utilizando sua conta do Facebook