Humberto Costa diz que falta competência ao governo Bolsonaro para sair da crise

Humberto Costa criticou os projetos encaminhados ao Congresso por Bolsonaro, como o pacote anticrime do ministro da Justiça, Sérgio Moro, e a reforma da Previdência Social que, segundo o senador, violenta direitos sociais e a própria dignidade humana.

Agência Senado / Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado
Publicada em 13 de março de 2019 às 16:30
Humberto Costa diz que falta competência ao governo Bolsonaro para sair da crise

A paralisia que toma conta do país se reflete na agenda legislativa, dada a ausência de projetos substantivos do Poder Executivo, lamenta o senador Humberto Costa

O senador Humberto Costa (PT-PE) criticou o governo do presidente Jair Bolsonaro a quem acusou de falta de competência para a formatação de uma pauta prioritária que contribua para o equacionamento dos problemas nacionais. Em pronunciamento nesta quarta-feira (13), em Plenário, apontou como os mais urgentes a estagnação econômica, o desemprego e o avanço da pobreza.

— Este atoleiro em que o Brasil está metido há mais de 70 dias tende a se agravar com a forma absolutamente atabalhoada com que o Planalto toca as suas relações com este Congresso Nacional. A paralisia que toma conta do país também se reflete na nossa agenda legislativa, dada a ausência de projetos substantivos do Poder Executivo para assumir as rédeas daquilo que lhe cabe: governar.

Humberto Costa criticou os projetos encaminhados ao Congresso por Bolsonaro, como o pacote anticrime do ministro da Justiça, Sérgio Moro, e a reforma da Previdência Social que, segundo o senador, violenta direitos sociais e a própria dignidade humana.

— Uma reforma que cobra dos mais pobres a fatura de um torto ajuste econômico que sequer se pretende fazer. Uma reforma que estabelece em apenas R$ 400 por mês o benefício de prestação continuada dos idosos a partir dos 60 anos; que aumenta a idade mínima; que desrespeita a condição das mulheres; que eleva o tempo de contribuição; que reduz a transição; que acaba com o regime especial dos professores; que, enfim, leva os brasileiros a trabalharem mais, a contribuírem mais e no fim a receberem menos.

A intenção do Governo Federal de alterar as regras de vinculação de gastos no Orçamento da União para ajudar os governos estudais e municipais também sofreu várias críticas do senador.

— O que esse governo perdido tem que fazer é governar, é trabalhar em conjunto com o Congresso Nacional estabelecendo uma pauta robusta à altura dos desafios do país e não com bravatas que mais atrapalham do que ajudam o Brasil a sair da imensa crise em que se encontra. Todos estamos sentido na pele esse desgoverno generalizado.

Envie seu Comentário

 

Comentários

  • 1
    image
    damião 14/03/2019

    Esse kra, não tem moral p/criticar o presidente Jair Bolsonaro, e deputado é atraso p/o Brasil

Envie Comentários utilizando sua conta do Facebook