Setores ligados à pecuária reforçam debates para a manutenção da zona livre de febre aftosa em Rondônia

O assunto será debatido no 6º Fórum Rondoniense, que acontece dia 23 de maio, no espaço da Rondônia Rural Show em Jí-Paraná

Fonte: Texto: Toni Francis Fotos: Marco Schutte/Idaron Secom - Governo de Rondônia - Publicada em 14 de maio de 2024 às 15:46

Setores ligados à pecuária reforçam debates para a manutenção da zona livre de febre aftosa em Rondônia

Fórum é realizado pela Idaron, em atenção às orientações da Organização Mundial de Saúde Animal

Produtores rurais, autoridades políticas e as diversas entidades ligadas à pecuária rondoniense, são convidados a reforçar os debates sobre os compromissos e desafios de Rondônia para manutenção da zona livre de febre aftosa sem vacinação.

O tema, um dos mais importantes quando se fala em agronegócio, será abordado em exposições, debates e palestras durante o 6º Fórum Rondoniense para Manutenção da Zona Livre de Febre Aftosa Sem Vacinação, que será realizado pela Agência de Defesa Sanitária Agrosilvopastoril (Idaron), dia 23 de maio, das 9h30 às 12h, no espaço da 11ª Rondônia Rural Show, em Ji-Paraná.

Segundo o presidente da Idaron, Julio Cesar Rocha Peres o Fórum é uma das exigências da Organização Mundial de Saúde Animal (OMSA) e tem por objetivo o alinhamento de estratégias, entre estado e iniciativas privadas, para que cumpramos todas as medidas de defesa sanitária e de biosseguridade, evitando assim, doenças que ponham em risco o status sanitário que foi alcançado com muito trabalho pela pecuária de Rondônia.

Considerando o potencial crescente do setor produtivo do estado, que hoje figura, em nível de Brasil, como o maior rebanho bovino dentro das áreas livres de aftosa sem vacinação, o governador de Rondônia, Marcos Rocha destacou o crescimento das exportações, apontando maior participação da indústria frigorífica na balança comercial de Rondônia e reforçou o convite aos setores ligados à pecuária, para que participem do Fórum realizado pela Idaron. “Não podemos por em risco as conquistas da nossa pecuária. Vamos, sim, participar dos debates promovidos pela Idaron e reforçar o compromisso em favor desse, que é um dos mais importantes fatores econômicos do estado”, enfatizou.

PROGRAMAÇÃO

O Fórum terá uma programação variada e iniciará com uma fala do presidente da Idaron, Julio Cesar Peres, que, dentre outros assuntos, destacará a conquista do status sanitário de livre de febre aftosa sem vacinação.

Em seguida haverá palestra sobre “Rastreabilidade bovina: a visão do produtor”, com o presidente de Comissão Nacional de Bovinocultura de Corte da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), Francisco Olavo Pugliesi de Castro.

A segunda palestra será com Luis Gustavo Corbellini, consultor do Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa) para o Programa de Vigilância Baseada em Risco (PVBR/aftosa). O assunto será “Biosseguridade: por que é tão importante para mantermos o status de livre de febre aftosa sem vacinação?”. Em seguida ocorrerá mesa redonda, com os palestrantes e participação do público, para discussão, esclarecimentos e perguntas aos palestrantes.

Setores ligados à pecuária reforçam debates para a manutenção da zona livre de febre aftosa em Rondônia

O assunto será debatido no 6º Fórum Rondoniense, que acontece dia 23 de maio, no espaço da Rondônia Rural Show em Jí-Paraná

Texto: Toni Francis Fotos: Marco Schutte/Idaron Secom - Governo de Rondônia
Publicada em 14 de maio de 2024 às 15:46
Setores ligados à pecuária reforçam debates para a manutenção da zona livre de febre aftosa em Rondônia

Fórum é realizado pela Idaron, em atenção às orientações da Organização Mundial de Saúde Animal

Produtores rurais, autoridades políticas e as diversas entidades ligadas à pecuária rondoniense, são convidados a reforçar os debates sobre os compromissos e desafios de Rondônia para manutenção da zona livre de febre aftosa sem vacinação.

O tema, um dos mais importantes quando se fala em agronegócio, será abordado em exposições, debates e palestras durante o 6º Fórum Rondoniense para Manutenção da Zona Livre de Febre Aftosa Sem Vacinação, que será realizado pela Agência de Defesa Sanitária Agrosilvopastoril (Idaron), dia 23 de maio, das 9h30 às 12h, no espaço da 11ª Rondônia Rural Show, em Ji-Paraná.

Segundo o presidente da Idaron, Julio Cesar Rocha Peres o Fórum é uma das exigências da Organização Mundial de Saúde Animal (OMSA) e tem por objetivo o alinhamento de estratégias, entre estado e iniciativas privadas, para que cumpramos todas as medidas de defesa sanitária e de biosseguridade, evitando assim, doenças que ponham em risco o status sanitário que foi alcançado com muito trabalho pela pecuária de Rondônia.

Considerando o potencial crescente do setor produtivo do estado, que hoje figura, em nível de Brasil, como o maior rebanho bovino dentro das áreas livres de aftosa sem vacinação, o governador de Rondônia, Marcos Rocha destacou o crescimento das exportações, apontando maior participação da indústria frigorífica na balança comercial de Rondônia e reforçou o convite aos setores ligados à pecuária, para que participem do Fórum realizado pela Idaron. “Não podemos por em risco as conquistas da nossa pecuária. Vamos, sim, participar dos debates promovidos pela Idaron e reforçar o compromisso em favor desse, que é um dos mais importantes fatores econômicos do estado”, enfatizou.

PROGRAMAÇÃO

O Fórum terá uma programação variada e iniciará com uma fala do presidente da Idaron, Julio Cesar Peres, que, dentre outros assuntos, destacará a conquista do status sanitário de livre de febre aftosa sem vacinação.

Em seguida haverá palestra sobre “Rastreabilidade bovina: a visão do produtor”, com o presidente de Comissão Nacional de Bovinocultura de Corte da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), Francisco Olavo Pugliesi de Castro.

A segunda palestra será com Luis Gustavo Corbellini, consultor do Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa) para o Programa de Vigilância Baseada em Risco (PVBR/aftosa). O assunto será “Biosseguridade: por que é tão importante para mantermos o status de livre de febre aftosa sem vacinação?”. Em seguida ocorrerá mesa redonda, com os palestrantes e participação do público, para discussão, esclarecimentos e perguntas aos palestrantes.

Comentários

    Seja o primeiro a comentar

Envie seu Comentário

 
Winz

Envie Comentários utilizando sua conta do Facebook