Todos são iguais perante a lei

É impressionante que algumas pessoas que se dizem interessadas na moralização da vida pública deste país, teimem em chamar o julgamento de Lula uma “farsa”.

Valdemir Caldas
Publicada em 25 de janeiro de 2018 às 10:42

É impressionante que algumas pessoas que se dizem interessadas na moralização da vida pública deste país, teimem em chamar o julgamento de Lula uma “farsa”. Lula perdeu em Curitiba e, agora, em Porto Alegre. E vai perder no Superior Tribunal de Justiça, no Tribunal Superior Eleitoral e no Supremo Tribunal Federal. Se correr o bicho pega, se ficar o bicho come. O placar inconfundível de três a zero deixou claro que nenhum dos julgadores acreditou na inocência do petista.

Lula e o PT acharam que um juiz de primeira instância, Sérgio Moro, jamais peitaria um ex-presidente da República. É, mas Moro peitou e levou o caso até as últimas consequências. Agora, Lula terá de pagar pelo rosário de crimes de que é acusado, porque defender-se já se viu ser tarefa que nem dez homens de ferro seriam capazes de praticar. A vantagem de viver em um país sob a égide da democracia é que todas as oportunidades vêm sendo dadas ao ex-presidente para esclarecer as acusações que lhe pesam sobre os ombros. Infelizmente, tanto Lula quanto seus advogados escolheram o caminho da tergiversação.

Até hoje, os frágeis argumentos montados pelos áulicos do ex-presidente caíram por terra. As pífias tentativas de confundir a opinião pública sucumbiram diante da verdade, restando, apenas, as diatribes que Lula e seus séquitos vêm proporcionando à Nação. Alguns, acometidos de profunda miopia mental, preferem enveredar pelo caminho perigoso da agressão pura e simples. Pobres diabos! Querem a qualquer custo que Lula saia do pântano no qual se meteu como vítima, apesar de os fatos apontarem na direção oposta.

É o fim de Lula e do PT. E ele tem consciência disso, como também tem consciência de que é responsável por esse estado de coisas deploráveis que só servem para nos amesquinhar como povo e sociedade. Acabou para Lula! E a cadeia é o único remédio para o ex-presidente, acusado de ser o mentor e beneficiário do maior esquema de corrupção da história deste país. Se Lula não for preso, que se escancarem as portas de todos os presídios do Brasil e soltem os apenados que neles se acham, porque, como ensina a Constituição Federal, todos são iguais perante a lei. Ou não?

Envie seu Comentário

 

Comentários

    Seja o primeiro a comentar

Envie Comentários utilizando sua conta do Facebook