TST ganha mais uma obra de arte para seu acervo permanente

Escultura do personagem Dom Quixote de la Mancha foi doada pelo Instituto Justiça e Cidadania

TST
Publicada em 13 de maio de 2022 às 11:19
TST ganha mais uma obra de arte para seu acervo permanente

Dentro da programação do “Seminário Internacional 80 anos da Justiça do Trabalho”, o Tribunal Superior do Trabalho (TST) recebeu, nesta quinta-feira, a estátua de Dom Quixote de la Mancha, personagem criado em 1605 pelo escritor espanhol Miguel de Cervantes. A obra foi doada pelo Instituto Justiça e Cidadania, em comemoração aos 23 anos de existência da Revista Justiça e Cidadania, lançada em 1999 por Orpheu Salles.

O presidente do TST, ministro Emmanoel Pereira, agradeceu o presente e destacou que o personagem da literatura espanhola ficou marcado no imaginário popular como símbolo da ética, da determinação, da generosidade e da busca por justiça. “Que essa obra de arte possa nos inspirar e que reacenda, a cada dia, a chama do guerreiro fidalgo, para defesa do que nos é mais sagrado: o direito e a justiça”, enfatizou.

Segundo o presidente do Instituto Justiça e Cidadania, Tiago Salles, os personagens Cervantes foram escolhidos por seu pai, Orpheu Salles, justamente por representarem a luta incansável por justiça. Assim, personalidades que se destacam na defesa da ética, da moral e dos direitos da cidadania no Brasil são, anualmente, homenageados com o Troféu Dom Quixote.

Agora, com os 80 anos da Justiça do Trabalho e com a comemoração das 261 edições da Revista Justiça e Cidadania, o instituto entrega ao TST a estátua de Dom Quixote de la Mancha. “É uma singela homenagem a todos os magistrados, de hoje e de sempre, que dedicam sua vida ao fortalecimento da democracia e que zelam para que todos os brasileiros tenham justo acesso aos meios de sobrevivência e ao progresso social”, afirmou Tiago.

Envie seu Comentário

 

Comentários

    Seja o primeiro a comentar

Envie Comentários utilizando sua conta do Facebook