A saúde do município pede socorro

Situação como a que o município de Porto Velho vive em matéria de saúde denuncia a insensibilidade e a incompetência de certos administradores da coisa pública.

Valdemir Caldas
Publicada em 17 de abril de 2018 às 13:50

Situação como a que o município de Porto Velho vive em matéria de saúde denuncia a insensibilidade e a incompetência de certos administradores da coisa pública. Ao longo de décadas, os problemas se foram acumulando e, hoje, agravados pelo descaso, são como uma bomba relógio que pode explodir sem hora marcada.

O que se tem visto em algumas cidades brasileiras deveria servir como um alerta extremamente sério às autoridades municipais para que coloquem a mão na consciência, parem de fazer experiências desastrosas e tratem desse setor com a urgência e a responsabilidade que ele exige. Afinal, saúde é coisa séria. 

Quem procura uma unidade de saúde sai reclamando com a situação que ali encontrou, não importa o tipo de procedimento, ainda que seja para tomar uma vacina antirrábica. Nenhuma delas corresponde às expectativas da sociedade. Parece que, para essa regra, não há exceção.

Interessante observar é que o prefeito Hildon Chaves já diagnosticou o problema do paciente, mas, estranhamente, não consegue aplicar a medicação correta, que consiste na adoção de um método de gestão adequado, preferindo entregar os serviços a uma empresa privada, cujos objetivos podem até contemplar, mas nunca vão priorizar as políticas publicas que devem inspirar o setor.

Escrevendo assim, pode até parece ao observador incauto que o colunista tem alguma coisa contra a administração tucana. Não é nada disso. Escrevo e falo como alguém que já sentiu na própria carne a precariedade dos serviços prestados pela rede de saúde municipal, quando fui mordido por um cachorro e precisei recorrer à unidade de saúde do Bairro Tancredo Neves.

Esperava outra postura do prefeito Hildon Chaves, não somente no que se refere à área da saúde, como também no trato com outros setores da administração, mas a realidade é completamente diferente daquela cantada em prosa e verso durante a campana eleitoral.

Enquanto ninguém resolve nada, a saúde municipal vai expondo suas feridas, seja pela incompetência de uns, seja pela a apatia de outros. Os profissionais do setor até que se têm esforçado na execução de suas tarefas, mas acabam sendo vencidos pelo cipoal de dificuldades que asfixia o sistema.

Envie seu Comentário

 

Comentários

  • 1
    image
    Sebastião Farias 17/04/2018

    Meu caro, tudo isso, são consequências da falta de conhecimentos básicos de cidadania que, todo brasileiro precisa aprender, para ter consciência plena de cidadão e senso crítico justo, para compreender o seu poder e valor constitucional e, porque vota em alguém e não, em um projeto político claro e certificado pela Justiça Eleitoral, para ser confirmada e cobrada pelo eleitor, a sua execução e cumprimento. O começo para todos nós cidadãos, seria, fazer o inverso da grande maioria do povo, que vota sem consciência e responsabilidades e, depois, reclama, adotarmos daqui em diante, como ajuda para correção dessas deficiências de cidadania, começar por lê e conhecer a Constituição Federal, a Constituição do nosso Estado e a Lei Orgânica do nosso Município, para conhecermos a estrutura e divisão do Poder Público que governa, nos 03 Poderes já memorizados pelo povo. i) O Poder Legislativo, dentre outras competências, produz e aprova as leis, que aprecia e aprova as Políticas Públicas, os Planos Orçamentários, os Planos Estratégicos Diversos, etc, de interesses da União, dos Estados e dos Municípios, conforme o caso é, do povo, sendo ainda esse Poder Legislativo, o representante constitucional e fiscal público do povo. ii) O Poder Executivo, dentre outras competências, administra as UFs; planeja, executa e implementa com conformidade, qualidade e responsabilidade as Políticas Públicas, em benefício e satisfação do povo, etc. iii) O Poder Judiciário, dentre outras competências, é guardião da Constituição e dos direitos dos cidadãos e do Estado Brasileiro; tem a responsabilidade de dirimir conflitos e garantir justica imparcial e a pacificação da sociedade. Agora, depois das coisas e responsabilidades de cada um dos Poderes, imagine o resultado dos trabalhos e ações deles, se não houver controle e fiscalização séria, em respeito aos interesses do povo que é o patrão, da execução dessas Políticas Públicas? Imagine agora, a hipótese de você contratar uma pessoa ou empresa para realizar um serviço em sua propriedade e, se você deixá-los à vontade, sem supervisão, sem Fiscalização, etc, o que acontecerá? É isso mesmo, que você pensou. Serviços de má qualidade, com desperdícios de dinheiro e de materiais, com atraso de cronograma, com prejuízos para seu bolso e, sem funcionalidade e sem satisfação sua. Pronto, o país, os Estados e Municípios, sem contarem com povo consciente e cidadão, que conheçam seus direitos e saibam quando, onde é a quem reclamar, terminam como o exemplo da casa, citado antes. Mas, se o cidadão depois de conhecer a CF, as CEs e as Leis Orgânicas dos municípios, sabem que para cada Política Pública executada pelo Poder Executivo, através de uma Secretaria, Departamento, Coordenação, etc, existe uma Comissão Permanente ou de Fiscalização e Controle – CFC (exemplo: Saúde Pública), no Poder Legislativo, é só recorrerem a elas, que são os nossos Fiscais dos fiscais públicos, e exigir de seus Presidentes e de seus Membros, ação, efetividade e proatividade, obrigando-os, a bem da sociedade, que eles atestem a conformidade da boa execução dos bens, obras e serviços públicos realizados. Se assim fizermos, adeus corrupção, desperdícios, má qualidade de obras e serviços públicos sem funcionalidade. Vamos começar a partir daqui? A responsabilidade de corrigirmos esses desvios em nossa cidadania, é missão de educadores, religiosos, políticos, líderes dos movimentos sociais, sindicalistas, todos os cidadãos, a imprensa e mídias e demais formadores de opinião, contribuírem para a instrução de todos. Que tal vocês da imprensa, que têm um passivo grande a pagar, suas equipes e colaboradores, sabendo-se, que os problemas do Brasil só serão minimizados, a partir de um povo instruído e conscientizado politicamente e, com um Congresso Nacional e Poder Judiciario Imparcial éticos, que sejam fiéis aos cidadãos e que, respeitem a Constituição Federal e o povo, que é o Dono do PODER, urge que vocês e todos nós, assumamos essa bandeira de instruir e informar os cidadãos sobre isso, comecarem elaborando e distribuindo matérias bem esclarecedoras, da importância para todos nós, de que essas CFCs dos Poderes Legislativos, passem a funcionar e cumprirem a finalidade para as quais, estão nas Constituições? É com vocês.

  • 2
    image
    Eliane 17/04/2018

    Em toda Rondônia a saúde pede socorro ate as úteis estam sem material,pra que existe úteis se não tem recursos para nada Eles pedem dinheiro pra saúde mais não investem em nada isso é muito triste nossa onde vai parar o brasil com tanta corrupção.???:????

  • 3
    image
    Luter de Lima Gonçalves 17/04/2018

    Gosto muito de seus artigos. Leio constantemente. Gostaria que escrevesse alguma coisa sobre os pré candidatos do PSB a deputado estadual e federal: Leonel Bertolin e Mauro Nazif respectivamente. Um abraço

Envie Comentários utilizando sua conta do Facebook