Deputado Lazinho sugere uso de drones no combate ao mosquito da Dengue

O deputado explica que a proposição tem por objetivo possibilitar uma maior efetividade no combate aos mosquitos, localizando possíveis focos.

Assessoria
Publicada em 27 de março de 2017 às 08:33
Deputado Lazinho sugere uso de drones no combate ao mosquito da Dengue

O deputado estadual Lazinho da Fetagro (PT) indicou ao Governo do Estado e Secretaria de Estado de Saúde (Sesau) a realização de parcerias com os municípios para a utilização de "drones" nas ações de combate aos mosquitos Aedes Aegypti e Aedes Albopictus, transmissores da Dengue, Zica vírus, Febre Chikungunya e Febre Amarela.

O deputado explica que a proposição tem por objetivo possibilitar uma maior efetividade no combate aos mosquitos, localizando possíveis focos. “O drone é uma tecnologia equipada para resistir a trabalhos pesados e ambientes hostis, que pode ter várias finalidades. Seriam utilizados sobrevoando bairros, imóveis abandonados, talvez locais que registrassem um aumento de casos, e através de vídeos ou fotos conseguiriam identificar aqueles pontos escondidos, como calhas, caixas d'água destampadas, lajes com água parada, enfim, locais onde a incidência do mosquito é maior”.

Lazinho destaca que o equipamento tem sido utilizado em vários Estados como auxiliar do combate aos mosquitos transmissores. “Minas Gerais, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Mato Groso, entre outros Estados já utilizam desta ferramenta. Rondônia também poderá, através do uso de drone, ter o índice de contaminação pelo mosquito, diminuído, já que a identificação de criadouros se dará de forma muito mais rápida”, acredita o deputado.

Segundo a Agência Estadual de Vigilância em Saúde (Agevisa) houve em 2016 no Estado de Rondônia 4.371 registros confirmados de dengue, sendo dois óbitos, revelando um aumento de 160% em relação ao ano de 2015, seguido por Zika, com 524 confirmados e, sete casos de Chikungunya.  

O deputado ressalta que o Estado tem executado ações de conscientização e defesa buscando minimizar os índices de contaminação, e o uso do drone, justamente para esse fim, será de grande ajuda. “É fundamental que as medidas de eliminação dos criadouros possam ser reforçadas e o drone virá contribuir para essa finalidade, identificando os terrenos, seus proprietários e por fim, notificando, caso não seja providenciada a limpeza”, completou.

A importância do uso de drone também é reconhecida pelo governo federal, que por meio da Secretaria de Aviação, adotou medida reduzindo o prazo para análise dos pedidos dos órgãos públicos interessados em utilizar o equipamento para o combate ao mosquito Aedes Aegypti, de 60 para nove dias.

Envie seu Comentário

 

Comentários

    Seja o primeiro a comentar

Envie Comentários utilizando sua conta do Facebook