Hospital de Campanha de Rondônia começará a operar com leitos de UTI equipados para receber pacientes com Covid-19

A equipe multiprofissional que vai atuar no Hospital de Campanha já tem recebido treinamento para atender os pacientes com Covid-19

Dislene Queiroz - Fotos: Ítalo Ricardo | Secom - Governo de Rondônia
Publicada em 20 de junho de 2020 às 18:30
Hospital de Campanha de Rondônia começará a operar com leitos de UTI equipados para receber pacientes com Covid-19

Hospital de Campanha inaugura nos próximos dias

A obra do primeiro bloco do Hospital de Campanha de Rondônia (antigo Regina Pacis) já está concluída e a unidade começa a funcionar nos próximos dias com 10 leitos de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) e mais dois de retaguarda.

Na manhã desta sexta-feira (19) o secretário de Estado da Saúde, Fernando Máximo, esteve com a promotora de justiça da saúde, Flávia Schimid, no Hospital, juntamente com a equipe técnica da Secretaria Estadual de Saúde (Sesau) e também os responsáveis pela obra de infraestrutura, para verificar como estava a montagem dos leitos e finalização da primeira etapa.

“O Ministério Público veio analisar como estava o andamento da obra e principalmente os leitos de UTI, que são a maior necessidade nesse momento”, avaliou a promotora.

MONTAGEM E EQUIPE

A equipe multiprofissional que vai atuar no Hospital de Campanha já tem recebido treinamento para atender os pacientes com Covid-19. No primeiro bloco, além das UTI’s, também estão prontos os setores administrativo, descanso da equipe, almoxarifado, entre outros.

“Todos os leitos de UTI estão prontos com ventiladores de alta performance e todos equipamentos necessários para uma UTI e, além dos 10 leitos iniciais, ainda temos mais dois de suporte”, explicou o titular da Sesau.

Os 60 leitos clínicos desta primeira etapa do Hospital de Campanha também já estão montados com camas, colchões, suporte de soro, cilindro de oxigênio, entre outros itens. E, em breve, também começam a operar. O segundo bloco do Hospital, com mais 60 leitos clínicos, está sendo concluído e isolado da parte apta a receber pacientes.

Envie seu Comentário

 

Comentários

  • 1
    image
    Xxxxxx 21/06/2020

    O protocolo adotado é repouso, ainda que o paciente diga que é do grupo de risco e está com febre. Também dizem pra voltar ao posto de saúde caso apresente piora. Protocolos errados. Quando os pacientes voltam, já estão em fases avançadas da doença e muitas vezes são mandados para casa novamente, porque nem tomografia é disponibilizado. Depois quando ligam agonizando, recebem Informações que não tem leito em UTI e nem internação e acabam morrendo. A ambulância demora horas para chegar na residência e, em algumas vezes, quando chega, é para recolher o corpo.

Envie Comentários utilizando sua conta do Facebook