Laerte denuncia descaso de direção e médicos do Heuro de Cacoal com paciente

​O deputado disse que se a paciente fosse encaminhada a Porto Velho, talvez tivesse sobrevivido.

David Casseb - Decom
Publicada em 29 de março de 2017 às 11:25
Laerte denuncia descaso de direção e médicos do Heuro de Cacoal com paciente

O deputado Laerte Gomes (PSDB) iniciou seu discurso falando de sua tristeza com o falecimento de uma amiga de muitos anos, Edna Maria Alves da Silva, servidora pública que residia em Alvorada do Oeste. Ela faleceu no último sábado (24), depois de uma semana internada no Hospital de Emergência e Urgência em Cacoal, sem que providências de remoção para a capital fossem tomadas.

O deputado leu uma carta enviada pelo filho e familiares, que relataram o descaso para com a paciente e cobram uma atitude sobre o atendimento no Heuro em Cacoal, pois segundo eles, nenhum sentimento humanitário foi visto por parte da equipe médica. Segundo o parlamentar, existem reclamações de vários casos. No caso de Edna, disse Laerte, se houvesse uma providência de mandá-la para Porto Velho, talvez pudesse ter sido salva.

A paciente com hemorragia cerebral, quando deu entrada no hospital, ficou sentada em uma cadeira de rodas por várias horas e quando conseguiram uma maca para colocá-la, até o lençol teve que ser providenciado pela família. Os familiares também afirmaram que somente tiveram contato com o neurologista uma vez, em uma semana.

Laerte salientou que já teve experiência em internação hospitalar quando seu pai ficou 20 dias no João Paulo II e o atendimento foi exemplar. Não só para ele, mas para todos que estavam na mesma ala, totalmente diferente do que aconteceu com a falecida Edna.

Finalizando, o deputado Laerte frisou que esse tipo de atendimento no Heuro de Cacoal destoa do atendimento das demais unidades de saúde do Estado, que estão fazendo um excelente trabalho, que é reconhecido pela população.

Envie seu Comentário

 

Comentários

  • 1
    image
    Marcelo 29/03/2017

    Façam uma inspeção surpresa e verás o abandono pela parte médica, na semi-intensiva a equipe de enfermagem que leva o setor nas costas, impossível prestar assistência adequada há 30 pacientes com apenas dois profissionais de enfermagem por plantão, vidas estão sendo ceifadas por falta de assistência adequada, prefiro cuidar em casa há deixar um parente meu lá. Um absurdo aquilo ser chamado hospital referência!

Envie Comentários utilizando sua conta do Facebook