Prêmio Mulheres Negras homenageou mulheres que contribuíram com a história de Porto Velho

Durante evento, público foi contemplado com a exposição “Mulheres Negras que Escreveram a História” do artista visual Edson Andrade

Texto: Adaides Batista Fotos: Wesley Pontes
Publicada em 16 de novembro de 2023 às 09:56
Prêmio Mulheres Negras homenageou mulheres que contribuíram com a história de Porto Velho

Prêmio homenageou 20 mulheres negras que contribuíram para o desenvolvimento de Porto VelhoPrêmio homenageou 20 mulheres negras que contribuíram para o desenvolvimento de Porto Velho

A Secretaria Municipal de Assistência Social e da Família (Semasf), da Prefeitura de Porto Velho, juntamente com o Conselho Municipal de Promoção da Igualdade Racial de Porto Velho (COMPIR), realizou, na noite do último dia 11, no Teatro Guaporé, a segunda edição do Prêmio Mulheres Negras. A iniciativa é ligada à criação do Dia da Mulher Negra Latino-Americana e Caribenha, celebrado em 25 de julho e criado mediante lei municipal, neste ano celebrado em novembro, também em alusão ao Dia da Consciência Negra, lembrado em 20 de novembro.

O Prêmio homenageou 20 mulheres negras que contribuíram com sua história para o desenvolvimento social, político, econômico e cultural de Porto Velho, sendo dez em vida e dez in memoriam. Às representantes daquelas que receberam a homenagem in memorian foi entregue um certificado. As homenageadas em vida receberam um busto de Tereza de Benguela.

HISTÓRIA

A Orquestra Chorus abriu a noite de homenagensA Orquestra Chorus abriu a noite de homenagens

O dia 25 de julho foi instituído em Porto Velho como "O Dia Municipal da Mulher Negra, Latino-Americana e Caribenha", visto que, a ONU, em 1992, institui-o como "O Dia Internacional da Mulher Negra, Latino-Americana e Caribenha". No Brasil a Lei nº 12.987, de 02 de junho de 2014, instituiu o dia 25 de julho como o Dia Nacional de Tereza de Benguela e da Mulher Negra e, no âmbito estadual, tem a Lei nº 4.266, de 27 de Abril de 2018, que instituiu a data de 25 de julho como o marco à “Memória de Tereza de Benguela e o Dia da Mulher Negra".

Tereza de Benguela foi uma líder quilombola que viveu no século XVIII, no Vale do Guaporé. Destacou-se na resistência à escravidão durante duas décadas, tempo em que lutou pela comunidade negra e indígena que vivia sob sua liderança no quilombo de Quariterê.

EVENTO
O Teatro Guaporé foi pequeno para acomodar todos que queriam prestigiar as mulheres negras homenageadas. O público foi recebido pela Orquestra Chorus que deu um espetáculo à parte na execução de músicas clássica, jazz, blues e popular.

O evento também foi um certificado de apoio à arte. Na música, o público foi contemplado com a Orquestra Chorus e as Pastoras do Asfaltão no encerramento.

As homenageadas em vida receberam um busto do quilombola Tereza de BenguelaAs homenageadas em vida receberam um busto do quilombola Tereza de Benguela

Antes de adentrar ao teatro, o público era contemplado com a exposição “Mulheres Negras que Escreveram a História” do artista visual Edson Andrade, com os 20 rostos das homenageadas desenhadas em grafite; na premiação, as homenageadas em vida, receberam um busto do quilombola Tereza de Benguela, eximiamente esculpido pelo artista visual Bruno Alves de Souza.

Todos que estiveram presentes ao evento receberam um folheto contendo um resumo da biografia das 20 homenageadas. “Está sendo produzido um livreto contendo uma minibiografia das homenageadas. É uma forma de não ficar somente no evento. O livreto faz com que as pessoas entrem em contato com a histórias dessas mulheres negras que muito fizeram e fazem pela nossa história. Assim vamos divulgar o trabalho dessas mulheres e a história de Porto Velho”, disse Elsie Shockness, assessora técnica da pasta de igualdade racial na Semasf e coordenadora do evento.

Claudi Rocha, titular da Semasf, agradeceu aos parceiros do PrêmioClaudi Rocha, titular da Semasf, agradeceu aos parceiros do Prêmio

A Semasf agradeceu as parcerias que ajudaram a realização do evento: Ministério Público/RO, Sebrae, Sistema Fecomércio, Sesc, InterFrazão, Jirau Energia, Vitor Noé Escritório Advocacia, Funcer, Orquestra Chorus, Grêmio Recreativo Escola de Samba Asfaltão.

“O Prêmio reconhece mulheres que lutaram e deixaram um legado para Porto Velho. São pessoas que nos inspiram e por isso é uma satisfação poder apoiar e estar junto, entendemos bem o significado dessa homenagem. Na Jirau Energia temos o cuidado de patrocinar iniciativas que estão alinhadas com a nossa cultura organizacional pelas questões de diversidade, e essa sem dúvida, reflete nosso posicionamento institucional”, disse Daiana Costa, Coordenadora de Comunicação Externa da Jirau Energia, parceira da Semasf no evento.

Devanildo Santana, subsecretário geral de Governo, representou o prefeito Hildon Chaves na premiaçãoDevanildo Santana, subsecretário geral de Governo, representou o prefeito Hildon Chaves na premiação

Devanildo Santana, subsecretário geral de Governo, no ato representando o prefeito Hildon Chaves, elogiou a organização do evento e observou que na gestão do prefeito Hildon Chaves se tem dado todo apoio para causa da igualdade racial e citou como exemplo a criação e a inclusão no Calendário de Porto Velho o dia 25 de julho e a criação do Conselho Municipal de Igualdade Racial. “Essa luta sempre teve e terá todo apoio da gestão Hildon Chaves”, assegurou Devanildo Santana.

De acordo com Claudi Rocha, secretário de assistência social do município, a premiação é o primeiro passo para trazer o reconhecimento da mulher negra na sociedade. “A Elsie é uma assistente social engajada na causa e damos todo suporte para que ela, com seu departamento, fizesse esse evento se tornar possível. É uma forma, ainda singela, mas já oficial, de homenagearmos as mulheres negras e deixarmos claro que elas podem chegar onde quiserem, e que nosso dever é assegurar isso”.

Envie seu Comentário

 

Comentários

    Seja o primeiro a comentar

Envie Comentários utilizando sua conta do Facebook