Servidores que tomaram posse no 1º concurso do TJRO comemoram o marco histórico de 4 décadas dedicadas ao TJRO

O encontro das duas colegas de trabalho foi no quinto andar do edifício-sede do TJRO, onde está fixado um mural que registra a comemoração dos 40 anos do Tribunal

Fonte: Assessoria de Comunicação Institucional - Publicada em 21 de maio de 2024 às 15:55

Servidores que tomaram posse no 1º concurso do TJRO comemoram o marco histórico de 4 décadas dedicadas ao TJRO

No dia 14 de maio, duas servidoras do Tribunal de Justiça comemoraram um marco de suas vidas, que contribui para a trajetória da Justiça de Rondônia. Maria do Socorro Furtado Marques e Cecileide Correia participaram de uma singela cerimônia de posse, há 40 anos, e por isso fizeram questão de cumprir, na semana passada, alguns ritos para registrar a marcante caminhada de contribuição ao serviço público e jurisdicional.

A foto é  uma colagem das fotos 3 por 4 da ficha funcional das servidoras.

O encontro das duas colegas de trabalho foi no quinto andar do edifício-sede do TJRO, onde está fixado um mural que registra a comemoração dos 40 anos do Tribunal. Em seguida, foram até o térreo do edifício, em frente ao painel “Paragens do Poente Amazônico”, feito pelo artista Arthur Grangeia, em homenagem ao marco temporal do Judiciário rondoniense, para uma foto especial.

O cenário histórico também serviu para rememorar imagens do início da carreira. Fotos 3x4 da ficha funcional integraram as postagens das redes sociais que elas escolheram para eternizar o momento.

“Duas meninas, beradeiras! Que se inscreveram no I concurso para servidores do TJRO e tomaram posse em 14 de maio de 1984. E sem percebermos, 40 anos de vida funcional que muito nos honra. Nossas vidas estão permeadas por este viver de TJRO, da qual ganhamos amigos para toda uma vida. Tantas memórias, e aprendizados da qual é impossível elencar neste post. Gratidão por tudo que vivemos”, escreveu Cecileide.

A foto mostra a Cecileide ao centro de saia branca e blusa escura, no dia da posse com os colegas.

Ela contou que, mesmo quando ficou afastada por 3 anos da instituição para tratar de assuntos particulares, não perdeu o vínculo, tanto funcional quanto emocional, pois sempre se sentiu servidora do Judiciário.

Socorro Furtado, conhecida entre os colegas como “Help”, também se orgulha de ter ingressado no primeiro concurso do TJRO. “Fiz a prova de datilografia. Trabalhei com fichários, registros manuais. Hoje o tribunal é totalmente informatizado e referência em tecnologia. Eu acompanhei tudo isso, essa evolução, e evoluí também”, conta a servidora, que acabou fazendo outro concurso em 1988, que a alçou do cargo de auxiliar para o de técnica judiciária. Ela fez graduação em direito, pós-graduação e vários cursos, o que a proporcionou ocupar cargos de liderança ao longo da carreira. “Foi o reconhecimento do meu trabalho, me sinto muito feliz por essas conquistas. Afinal, sou uma mulher negra que conseguiu estudar e conseguiu ocupar cargos que poucas pessoas conseguem”, celebrou.

colagemCeciSocorro.jpg

Hoje, coordenadora do Pleno, Socorro admite que se sente bem em ser exemplo para muitas pessoas. “Eu, filha de mecânico da Estrada de Ferro e de dona de casa, que chegou em altos postos no TJRO pela competência, por não me acomodar e evoluir com o Tribunal de Justiça”, analisou.

Neste ano, mais três servidores completaram 40 anos de tribunal. Em janeiro, Raimundo Serafim da Silva e, em fevereiro, José Luiz de Andrade e José Rodrigues Alves, os três agentes de segurança, lotados no Núcleo de Apoio Operacional.

“É um feito a ser lembrado, celebrado e, sobretudo, valorizado, em virtude dos relevantes serviços prestados por esses dedicados servidores”, disse o presidente do TJRO, Raduan Miguel Filho.

Servidores que tomaram posse no 1º concurso do TJRO comemoram o marco histórico de 4 décadas dedicadas ao TJRO

O encontro das duas colegas de trabalho foi no quinto andar do edifício-sede do TJRO, onde está fixado um mural que registra a comemoração dos 40 anos do Tribunal

Assessoria de Comunicação Institucional
Publicada em 21 de maio de 2024 às 15:55
Servidores que tomaram posse no 1º concurso do TJRO comemoram o marco histórico de 4 décadas dedicadas ao TJRO

No dia 14 de maio, duas servidoras do Tribunal de Justiça comemoraram um marco de suas vidas, que contribui para a trajetória da Justiça de Rondônia. Maria do Socorro Furtado Marques e Cecileide Correia participaram de uma singela cerimônia de posse, há 40 anos, e por isso fizeram questão de cumprir, na semana passada, alguns ritos para registrar a marcante caminhada de contribuição ao serviço público e jurisdicional.

A foto é  uma colagem das fotos 3 por 4 da ficha funcional das servidoras.

O encontro das duas colegas de trabalho foi no quinto andar do edifício-sede do TJRO, onde está fixado um mural que registra a comemoração dos 40 anos do Tribunal. Em seguida, foram até o térreo do edifício, em frente ao painel “Paragens do Poente Amazônico”, feito pelo artista Arthur Grangeia, em homenagem ao marco temporal do Judiciário rondoniense, para uma foto especial.

O cenário histórico também serviu para rememorar imagens do início da carreira. Fotos 3x4 da ficha funcional integraram as postagens das redes sociais que elas escolheram para eternizar o momento.

“Duas meninas, beradeiras! Que se inscreveram no I concurso para servidores do TJRO e tomaram posse em 14 de maio de 1984. E sem percebermos, 40 anos de vida funcional que muito nos honra. Nossas vidas estão permeadas por este viver de TJRO, da qual ganhamos amigos para toda uma vida. Tantas memórias, e aprendizados da qual é impossível elencar neste post. Gratidão por tudo que vivemos”, escreveu Cecileide.

A foto mostra a Cecileide ao centro de saia branca e blusa escura, no dia da posse com os colegas.

Ela contou que, mesmo quando ficou afastada por 3 anos da instituição para tratar de assuntos particulares, não perdeu o vínculo, tanto funcional quanto emocional, pois sempre se sentiu servidora do Judiciário.

Socorro Furtado, conhecida entre os colegas como “Help”, também se orgulha de ter ingressado no primeiro concurso do TJRO. “Fiz a prova de datilografia. Trabalhei com fichários, registros manuais. Hoje o tribunal é totalmente informatizado e referência em tecnologia. Eu acompanhei tudo isso, essa evolução, e evoluí também”, conta a servidora, que acabou fazendo outro concurso em 1988, que a alçou do cargo de auxiliar para o de técnica judiciária. Ela fez graduação em direito, pós-graduação e vários cursos, o que a proporcionou ocupar cargos de liderança ao longo da carreira. “Foi o reconhecimento do meu trabalho, me sinto muito feliz por essas conquistas. Afinal, sou uma mulher negra que conseguiu estudar e conseguiu ocupar cargos que poucas pessoas conseguem”, celebrou.

colagemCeciSocorro.jpg

Hoje, coordenadora do Pleno, Socorro admite que se sente bem em ser exemplo para muitas pessoas. “Eu, filha de mecânico da Estrada de Ferro e de dona de casa, que chegou em altos postos no TJRO pela competência, por não me acomodar e evoluir com o Tribunal de Justiça”, analisou.

Neste ano, mais três servidores completaram 40 anos de tribunal. Em janeiro, Raimundo Serafim da Silva e, em fevereiro, José Luiz de Andrade e José Rodrigues Alves, os três agentes de segurança, lotados no Núcleo de Apoio Operacional.

“É um feito a ser lembrado, celebrado e, sobretudo, valorizado, em virtude dos relevantes serviços prestados por esses dedicados servidores”, disse o presidente do TJRO, Raduan Miguel Filho.

Comentários

    Seja o primeiro a comentar

Envie seu Comentário

 
Winz

Envie Comentários utilizando sua conta do Facebook