Sintero é contrário ao retorno das aulas presenciais em Porto Velho durante a pandemia

O Sintero ressalta que está acompanhando o processo, para garantir que nenhum estudante e profissional da Educação tenha sua vida em risco devido a ações precipitadas

Assessoria
Publicada em 06 de agosto de 2020 às 13:38
Sintero é contrário ao retorno das aulas presenciais em Porto Velho durante a pandemia

O Sintero está participando de um Comitê criado pela Secretaria Municipal de Educação de Porto Velho (Semed) que elabora o planejamento estratégico para retorno de aulas presenciais após o controle da pandemia no município. Não há data para volta das atividades presenciais até o momento, mas, o documento apresenta protocolos de segurança para que, no momento apropriado, o retorno aconteça de forma mais segura possível, tendo quatro etapas em seu cronograma.

Destaca-se que o posicionamento do sindicato continua o mesmo, defendendo a volta das aulas presencias somente quando o município apresentar diminuição e controle do número de infecções e óbitos pelo coronavírus, tendo foco nos protocolos de segurança que incluem distribuição de EPIs aos estudantes e aos profissionais em Educação, além de garantir o distanciamento social.

As quatro etapas anunciadas pela Semed acontecerão da seguinte forma:

Primeira fase: desinfecção das escolas com adoção de medidas sanitárias e mapeamento do número de profissionais da Educação e de alunos que fazem parte da comunidade escolar.

Segunda fase: início das aulas presenciais por meio de revezamento, sendo que cada estudante deverá comparecer à escola pelo menos uma vez por semana. As instituições de ensino terão capacidade total de 50% e deverão preservar o distanciamento mínimo de um metro e meio entre as carteiras.

Terceira fase: Nesta etapa, cerca de 50% a 70% dos alunos poderão voltar à escola. Entretanto, a meta será cumprida caso haja grandes medidas de flexibilização nas regras de distanciamento social do município.

Quarta fase: englobamento de 100% dos alunos, quando houver a possibilidade de cada um deles participarem de pelo menos dois dias de aulas presenciais. Destaca-se que essa fase poderá ser colocada em prática apenas quando o município apresentar no seu plano de flexibilidade o retorno das demais atividades e atendimento de 100% da população.

O plano estratégico para retorno das aulas em Porto Velho está diretamente ligado à certificação dos órgãos e especialistas de saúde. Sendo assim, o retorno gradativo acontecerá após o declínio da curva de infecção e óbitos da covid-19, respeitando o distanciamento social.

O Sintero ressalta que está acompanhando o processo, para garantir que nenhum estudante e profissional da Educação tenha sua vida em risco devido a ações precipitadas. Também reitera que não há data para esse retorno, pois o planejamento ainda está em fase de construção. Assim que for finalizado, o documento passará por uma minuciosa análise e, se for o caso, o Sintero irá intervir para garantir que as propostas resguardem a saúde e bem-estar da categoria.

Envie seu Comentário

 

Comentários

  • 1
    image
    Josineide Barbosa 07/08/2020

    Enquanto não criar se uma vacina que combata o efeito letal do Coronavirus não existe condição segura de retorno às aulas, a grande maioria dos profissionais em educação tem uma média de idade acima dos 45 anos, os pais de adolescentes tem basicamente a mesma média ou ambos têm pais em casa que são idosos e crianças e adolescentes são pessoas que gostam de estar próximos uns dos outros, não medem as consequências do mal que esse contato pode trazer e não existe um controle melhor para conter a aproximação entre eles, portanto é uma somatória de riscos que tem como resultado um corpo cheio de dores e depois morto sem que tenha dignidade de a família fazer um velório para a despedida tradicional e a separação que deixa dor na alma dos que amam essa pessoa, sem falar no aumento dos casos de contaminados e o sofrimento que isso trás

  • 2
    image
    Rita Lúcia 07/08/2020

    Sou contra a vouta as aulas a doença continua matando, não houve um bom direcionamento para combater essa pandemia e muitas vidas tem cido sacrificadas . Já faltam itens básico para a educação das crianças que é tratada co descaso pelas autoridades.Sou terminantemente contra a volta das aulas ,meu filho só tem uma VIDA e ninguém pode garantir a saúde dele e de criança nenhuma, se morrer só será mais um número nas estatísticas frias dos governantes IRRESPONSÁVEIS.

Envie Comentários utilizando sua conta do Facebook