Vídeo flagra filha suspeita de matar a mãe no quarto no dia do crime

Jovem e o namorado confessaram que planejaram a morte da empresária em Petrópolis, no RJ.

RJ Inter TV 2ª edição
Publicada em 11 de October de 2018 às 13:13

Imagens mostram filha suspeita de matar a mãe no quarto da vítima

As imagens de uma câmera instalada dentro do armário da empresária Dircelene Botelho Garcia, de 51 anos, mostram a filha suspeita de ter matado a mãe asfixiada no quarto no dia do crime em Petrópolis, na Região Serrana do Rio.

O vídeo foi cedido pela Polícia Civil nesta quarta-feira (10). A câmera foi instalada pelo marido da vítima, padrasto da suspeita, porque o casal desconfiava que Paloma Vasconcelos, de 21 anos estava roubando pertences da mãe. O padrasto descobriu o assassinato depois de ver as imagens.

A jovem e o namorado, Gabriel Molter, de 26 anos, confessaram o crime em depoimento prestado no sábado (6). Eles foram presos e levados para a penitenciária em Benfica nesta quarta. A mulher foi morta na noite do dia 2 de outubro.

Segundo a polícia, os suspeitos usaram formol para dopar Dircelene. Nas imagens é possível ver o casal mexendo no corpo da vítima inconsciente. De acordo com as investigações, ela foi torturada por 40 minutos até a morte.

No canto direito é possível ver o namorado da filha puxando Dircelene desacordada pelos pés — Foto: Reprodução/Polícia Civil

Na gravação, a filha aparece com um saco plástico e depois uma seringa na mão. Em seguida, a câmera flagra o namorado puxando a vítima pelas pernas.

Em outro trecho, o homem aparece mexendo no armário. As imagens mostram também o casal de roupas íntimas e usando luvas cirúrgicas, além de ter flagrado a jovem explicando ao namorado como se usa um estetoscópio, aparelho médico usado para escutar os batimentos cardíacos. Segundo a polícia, depois que confirmam a morte, o casal altera a cena do crime.

Delegados André Prattes e Claudio Batista falaram sobre o caso durante coletiva de imprensa — Foto: Marcello Santos/Inter TV

De acordo com o delegado Claudio Batista Teixeira, quando o marido chega em casa, se depara com a mulher trancada no quarto. Ele entra no cômodo pelo banheiro. Nas imagens, Paloma aparece acompanhando o padrasto e fala ao celular. Logo o Samu chega e tenta reanimar a vítima, mas acaba atestando a morte por causa indeterminada.

O casal foi indiciado e vai responder pelos crimes de homicídio duplamente qualificado e dissimulação.

Dircelene Botelho morreu asfixiada e filha e o namorado são suspeitos do crime — Foto: Reprodução/Facebook

Carta para a mãe

A Polícia Civil encontrou uma carta dentro de um caderno no quarto de Paloma. Um dos trechos diz:

"Você podia ter abortado, mas preferiu ter me criado com falta de seu amor materno. Você não sabe a falta que me faz".

De acordo com Claudio Batista, a carta "anuncia um sofrimento por achar que não tinha um tratamento que gostaria de ter por parte da mãe".

Entenda o caso

O laudo da exumação do corpo aponta que Dircelene morreu por asfixia mecânica por sufocação direta.

Vivian Andrade, advogada do viúvo da vítima, disse à Inter TV que toda a motivação do crime foi patrimonial.

"Não seria justo com a família que a autora do crime ficasse com os bens da vítima. Posteriormente, meu cliente vai abrir mão de toda herança em favor dos pais da vítima. O interesse dele não é algum pelos bens", afirmou.

Já Carlos Andrade, advogado criminal que atua como assistente no caso, disse que existia um "conflito pequeno" entre mãe e filha.

"Nos últimos seis meses, a mãe cobrava da filha uma postura em relação ao trabalho e a filha se negava. E também não aceitava o namorado da filha porque ele também não tinha essa postura e estava proibido de entrar na casa. Mas nós entendemos que isso não é um motivo para o crime", explicou.

G1 tenta contato com o pai de Paloma, que é advogado e responsável pela defesa da jovem.

Pedestre é atropelado ao tentar atravessar BR-364 no trevo do Roque

Pedestre é atropelado ao tentar atravessar BR-364 no trevo do Roque

De acordo com informações de testemunhas, o homem estava tentando atravessar a rodovia quando percebeu um carro. Ele  diminuiu a velocidade e tentou correr,  quando um outro motorista,  que seguia mais atrás,  não se atentou e atropelou a vítima,  que foi jogada  a vários metros,  ficando em estado grave.