Faculdade da Prefeitura facilita acesso de estudantes ao ensino superior

Número de bolsas integrais para acadêmicos triplicou

Superintendência Municipal de Comunicação - SMC
Publicada em 03 de maio de 2021 às 10:59
Faculdade da Prefeitura facilita acesso de estudantes ao ensino superior

Silvana dedica diploma ao programa Faculdade da Prefeitura

Desde cedo, Silvana Cabral, de 46 anos, definiu que a educação seria o seu passaporte para uma vida melhor. Apaixonada pelos estudos, viu apenas um obstáculo: falta de recursos próprios para ingressar no tão sonhado curso de Administração.

“Eu sempre senti que tinha afinidade com essa área. Por ser mãe e chefe do lar, aprendi desde cedo a administrar os rendimentos da família e tinha curiosidade de levar a experiência para uma futura profissão”, explica Silvana.

Prestou o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em 2016. Com a nota obtida, optou por concorrer a uma das bolsas oferecidas pelo programa Faculdade da Prefeitura.

Embora fosse um dos cursos mais procurados do país, Silvana conseguiu ingressar na faculdade e concluir a graduação no tempo regular.

“Durante os quatro anos de estudo, recebi o mesmo tratamento e oportunidades que qualquer outro acadêmico. Mesmo com a pandemia afetando tudo, consegui o sonhado diploma. Uma conquista que devo ao município”, afirma ela.

ALTERNATIVA

Criada há 11 anos, a Faculdade da Prefeitura é um programa social que oferece bolsas integrais em instituições privadas de ensino superior a moradores de Porto Velho em condição de baixa renda. Augusto Leite, presidente do Conselho Gestor da Faculdade da Prefeitura (CGFP), explica que a atual gestão permitiu que mais pessoas, com a mesma trajetória da Silvana, tivessem a chance de obter uma graduação.

 

“Em cinco anos de gestão do prefeito Hildon Chaves, o município já disponibilizou o triplo de bolsas que foram concedidas nos anos iniciais do programa. Das mais de 700 bolsas ofertadas até hoje, 570 ocorreram só na atual gestão”, explica Augusto.

 

Além de ter participado da edição mais recente do Enem, o candidato precisa ser residente do município de Porto Velho há pelo menos cinco anos, ter renda familiar mensal de até três salários mínimos ou renda ‘per capita’ de até um salário mínimo, ter cursado todo o Ensino Médio em escola pública ou na rede particular na condição de bolsista integral e não ser portador de diploma de ensino superior.

A Prefeitura de Porto Velho trabalha para garantir que mais pessoas de baixa renda tenham a mesma chance. “O programa vai continuar ofertando bolsas semestrais. O conselho está preparando o processo seletivo 2021.2 que vai contemplar os moradores que prestaram o Enem 2020”, explica Augusto.

MUNDO

Larissa conquistou duas titulações em biologiaLarissa conquistou duas titulações em biologia

A dificuldade para ingressar no ensino superior é comum para muitos estudantes após a conclusão do Ensino Médio. Eles precisam enfrentar a alta concorrência nas universidades públicas e com as mensalidades em instituições privadas de ensino.

Esse foi o caso de Larissa Lobato. A bióloga, hoje com 25 anos, viu no programa da Prefeitura a oportunidade de ingressar no curso dos sonhos.

“Eu sempre gostei muito da natureza e da possibilidade de mostrar a Amazônia ao mundo. E acima de tudo, ensinar as pessoas sobre a importância de preservar a nossa casa”, explica Larissa.

A estudante conquistou uma bolsa integral no curso de Biologia em 2017. Amante da natureza, Larissa trabalha hoje com a educação ambiental, levantamento de fauna e no resgate de animais.

Nas redes sociais, ela mantém uma página onde divulga suas ações e a paixão pela Amazônia. “O mundo inteiro gostaria de estar aqui. E temos tudo isso bem do nosso lado. Nada mais justo do que mostrar isso e, acima de tudo, reforçar a importância de preservação da nossa fauna e flora”, explica.

FUTURO

Bióloga trabalha hoje com consciência ambientalBióloga trabalha hoje com consciência ambiental

Silvana e Larissa têm planos para depois da faculdade. Silvana pretende usar a titulação para participar de concursos públicos. A administradora também cogita uma especialização na área o quanto antes.

Larissa está finalizando o processo de registro no Conselho Regional de Biologia (CRBio) e já programa fazer mestrado fora de Rondônia. A bióloga quer desenvolver pesquisas em herpetologia, ramo que estuda répteis e anfíbios.

Para o presidente do CGFP, essas histórias mostram que a Prefeitura de Porto Velho vem cumprindo um papel importante na vida de futuros acadêmicos e ajudando, ao mesmo tempo, no desenvolvimento regional.

“O município vem atingindo a sua finalidade social ao permitir que esses estudantes tenham a chance de ingressar no ensino superior. Com essas conquistas, há melhoria de vida do estudante, de sua família, além de promover o desenvolvimento de todo a cidade”, finaliza.

VEJA O VÍDEO AQUI.

Texto: Pedro Bentes
Fotos: Saul Ribeiro e Arquivo pessoal

Envie seu Comentário

 

Comentários

    Seja o primeiro a comentar

Envie Comentários utilizando sua conta do Facebook