Governo de Rondônia falha em comunicar com a população

Ao insistir na estratégia de falar apenas por meio de redes sociais, Marcos Rocha se isola em uma bolha, que atinge menos de 50 mil pessoas

BLOG DO PAINEL
Publicada em 24 de março de 2020 às 17:02
Governo de Rondônia falha em comunicar com a população

O governador Marcos Rocha adotou algumas medidas importantes para evitar que a pandemia do coronavírus se alastrasse no Estado. Apesar disso, o governo erra feio no quesito comunicação e informação para a população.

Ao insistir na estratégia de falar apenas por meio de redes sociais, Marcos Rocha se isola em uma bolha, que atinge menos de 50 mil pessoas. Sua última ‘live’, registrou pouco mais de 43 mil visualizações.

O governo não tem uma estratégia de comunicação definida. Estão faltando campanhas educativas, hotsite com informações atualizadas e claro, campanhas objetivas pela internet. Durante vários dias a população ficou às cegas, patinando sem saber como proceder. De um lado, o presidente Jair Bolsonaro dizendo que tudo não passava de uma “gripezinha”. De outro o próprio governador, com uma forte gripe que quase virou uma pneumonia e o deixou de cama por vários dias.

E a comunicação do governo, tanto a institucional quanto a de marketing, totalmente paradas.

Agora deputados, vereadores e até o judiciário falam em “destinar recursos para combater o coronavírus”, mas ninguém fala em como isso vai funcionar. Um governo que até pode ter boas intenções, mas não sabe falar, nem se comunicar. Vai pagar caro por esse erro no futuro.

Como dizia o Chacrinha, “quem não se comunica, se trumbica”.

Envie seu Comentário

 

Comentários

    Seja o primeiro a comentar

Envie Comentários utilizando sua conta do Facebook

Resenha Política, por Robson Oliveira

Resenha Política, por Robson Oliveira

A pandemia que assola o mundo e tem exigido dos governantes muita capacidade para evitar que o coronavírus se alastre colocando o sistema de saúde em colapso, revelou também a falta de competência da maioria dos prefeitos brasileiros e alguns governadores – além do presidente – em lidar com a crise