Marcos Rocha se recusa a cumprir acordo judicial com agentes penitenciários mas não para de criar cargos CDS

O governador não cumpre acordo firmado com a categoria simplesmente por birra e problemas pessoais, afirma nota do Singeperon.

SINGEPERON
Publicada em 21 de fevereiro de 2019 às 14:46
Marcos Rocha se recusa a cumprir acordo judicial com agentes penitenciários mas não para de criar cargos CDS

O Sindicato dos Agentes Penitenciários de Rondônia (Singeperon) divulgou a seguinte nota em seu portal na internet: 

Segundo o site tudorondonia, o governador de Rondônia, Marcos Rocha (PSL), não para de criar cargos comissionados  com altos salários. Depois de nomear 4.094 CDS, Marcos Rocha vai criar mais cargos comissionados com salários entre R$ 4.500,00 e R$ 8.500,00. Desta vez na falida Companhia de Águas e Esgotos de Rondônia (Caerd). Tudo sem concurso público e de livre nomeação.

A proposta de criação dos cargos surpreendeu alguns deputados, que aguardavam justamente o contrário: a diminuição do número de CDS no âmbito estadual, como foi prometido pelo governador durante a campanha eleitoral.

A atuação do governador Marcos Rocha tem revoltado toda sociedade, pois  vai de encontro (no sentido de esbarrar)  com o que prometeu em campanha eleitoral, pois pegou  a “onda” com o candidato Jair Bolsonaro e  todo cidadão rondoniense depositou confiança no discurso de nova política pregada pelo então candidato ao Governo.

Mais revoltados ainda ficaram os agentes penitenciários, pois o Estado firmou um compromisso com a categoria, um acordo judicial firmado  entre ambas as partes. Ocorre  que o governador Marcos Rocha não quer cumprir o acordo firmado pelo próprio Estado, alegando suposto impacto nos cofres público.

Mas, na prática,  o governador tem provado o contrário:  além de gastos exorbitantes com a Intervenção militar, o Estado tem, também, gastos milionários com a criação de cargos CDS de altos salários, provando que ele não cumpre o acordo com a categoria simplesmente por “birra” e problemas pessoais, pois está mais que provado que dinheiro tem, o problema é que o  governo não quer investir na profissão dos agentes penitenciários, que sempre levaram os presídios nas “costas” como verdadeiros heróis.

O acordo judicial que trata sobre o realinhamento salarial dos agentes penitenciários não traz impactos e nem onera os cofres público, pois se trata do próprio orçamento da Sejus, sendo realizado estudo dos órgãos competentes do Estado para que se chegasse a  um consenso.

Confira a tabela de vencimentos dos cargos CDS

 

Envie seu Comentário

 

Comentários

  • 1
    image
    José Ricardo Freitas 22/02/2019

    Cada povo tem o Governo que merece, votaram nele agora aguentem.

  • 2
    image
    petista 21/02/2019

    ´Quando o povo é analfabeto político, o resultado é esse: entrou na onda do BOLSOBOSTA, levando essa íngua também de quebra. kkkkkkk. Agora, quem sabe o Estado de Rondônia não termine com os demais: MINAS GERAIS, RIO DE JANEIRO E RIO GRANDE DO SUL , com parcelamento de salários no futuro? Deus nos livre!

  • 3
    image
    João de Deus 21/02/2019

    Faz arminha com a mão que melhora.

Envie Comentários utilizando sua conta do Facebook