Presidente Laerte Gomes denuncia abuso nas operações da Lei Seca

Empresários procuraram o parlamentar para reclamar das ações que estariam prejudicando o setor de bares e restaurantes

Juliana Martins-ALE/RO Foto: Marcos Figueira-Decom-ALE/RO
Publicada em 28 de novembro de 2019 às 10:38
Presidente Laerte Gomes denuncia abuso nas operações da Lei Seca

Esta semana, o presidente da Assembleia Legislativa, Laerte Gomes (PSDB) saiu em defesa de empresários proprietários de bares e restaurantes de Rolim de Moura, que afirmam estarem sendo penalizados com bruscas quedas no faturamento por conta da forma ostensiva que a Polícia Militar vem atuando nas blitz da Lei Seca. 

Segundo Laerte Gomes, os empresários não são contra as blitz, porém, consideram abusivo e exagerado o modo coercitivo utilizado pelos policiais que dão suporte para os agentes do Detran, departamento titular das blitz. 

“É um absurdo! Uma cidade do tamanho de Rolim de Moura, que até pouco tempo não tinha tantas opções do segmento gastronômico e de lazer, agora ter seu faturamento afetado por conta de ações como essas que se utilizam da blitz da Lei Seca com o único objetivo de punir e encher ainda mais a conta bancária do Detran”, declarou o presidente. 

Para o parlamentar, o objetivo da Lei Seca é a conscientização e a diminuição dos acidentes de trânsito e não uma ferramenta de perseguição e enriquecimento. 

“Blitz não foi feita para ser fábrica de gerar dinheiro, blitz é fiscalização, educação no trânsito, blitz é para salvar vidas, e tanto o Detran como a Polícia Militar estão fazendo isso errado”, ressaltou o parlamentar. 

Segundo os relatos dos empresários de Rolim de Moura, as blitze, comandadas pelo major da PM Thiago Campos, têm sido frequentes e assustado os clientes que buscam o lazer aos finais de semana. 

“A Polícia chega a fechar as poucas vias de acesso para o Centro, onde está o polo gastronômico de Rolim de Moura, que, aliás, gera emprego, renda e movimenta o setor. As rondas de motos da Polícia, feitas, praticamente, na porta dos bares e restaurantes constrangem os clientes, que óbvio, preferem pedir a conta e ir embora. Isso está acontecendo constantemente, não há estabelecimento que resista. É uma ação que está inibindo o cidadão no seu direito de ir e vir livremente”, enfatizou Laerte Gomes.

Envie seu Comentário

 

Comentários

  • 1
    image
    Mario Gomes Siqueira 29/11/2019

    Parabéns Deputado Laerte. Isso não acontece somente em Rolim de Moura, isso virou uma fabrica de dinheiro para o DETRAN, tirando o Direito Constitucional do Cidadão ir e vir, constringindo as pessoas sem o minimo de respeito. Não sou contra as Blitz, mas porem que sejam educativas, punitivas sim, quando o condutor comete alguma infração ou desordem no trânsito, levando o perigo para os usuários das vias. Fica só atrás dos cidadão que toma umas de leve, em vez de ir atrás de pegar ladrões, assaltantes e assassinos. E o DETRAN enchendo os cofres de $$$$$ as custas dos cidadãos e quebrando os empresários do setor.

  • 2
    image
    Aparecido Lucas 29/11/2019

    Isso já vem acontecendo faz tempo, realmente tirando o direito de "ir e vir" do cidadãos que está na Constituição e ainda penalizando o comercio em geral. Parabéns Laerte por essa iniciativa, tem que acabar com essa palhaçada.

Envie Comentários utilizando sua conta do Facebook