Assembleia legislativa concede medalha ao senador Rodrigo Pacheco

Proposta pelo deputado Adelino Follador a homenagem é um reconhecimento ao talento do senador que nasceu em Rondônia

Ascom
Publicada em 04 de março de 2021 às 08:33
Assembleia legislativa concede medalha ao senador Rodrigo Pacheco

A Assembleia Legislativa de Rondônia concedeu nesta quarta-feira (3) sua mais alta comenda, a Medalha do Mérito legislativo, ao senador Rodrigo Otávio Siares Pacheco (DEM), novo presidente eleito do Senado e do Congresso Nacional, para marcar sua trajetória de rondoniense nato e de grande brasileiro.

O deputado Adelino Follador (DEM) que propôs o Decreto Legislativo concedendo a honraria disse que esta é uma homenagem justa e merecida a este brasileiro que nasceu na Maternidade Darcy Vargas em Porto Velho, e que por mérito e talento representa com saber e dignidade o povo brasileiro, de modo especial os rondonienses e os mineiros. O senador Rodrigo Pacheco nasceu em 02.11.76 em Porto Velho, e aos dois anos retornou com seus pais – Hélio Cota Pacheco e Marta Maria Soares Pacheco - para a cidade de Passos e mais tarde para Belo Horizonte, em Minas Gerais, onde completou sua formação em direito, com o mérito de grande jurista.

JUSTIFICATIVA

Follador disse que é uma honra para Rondônia ter um filho tão ilustre, e que por isso sentia-se no dever se prestar esta homenagem do senador Rodrigo Pacheco, por sua relação filial com o Estado de Rondônia e pelo brilhante currículo que é também motivo de orgulho para os rondonienses e para todos os brasileiros neste momento tão ímpar da história do País que precisa de homens competentes e equilibrados no comando de sua gestão e destino.

Em sua história de vida consta que o senador Rodrigo Pacheco começou sua vida profissional muito cedo. Formado pela Pontifício Universidade Católica (PUC-Minas), ele atuou como advogado criminalista num dos principais escritórios advocatícios do Brasil, como sócio do também advogado Maurício de Oliveira Campos Junior, onde se destacou e ganhou reconhecimento.

Fruto desse reconhecimento Rodrigo Pacheco tornou-se conselheiro e presidente da Comissão de Defesa, Assistência e Prerrogativas dos Advogados da Ordem dos Advogados do Brasil, seccional de Minas Gerais, tendo sido eleito em 2012 conselheiro federal da OAB por Minas Gerais, sendo o mais jovem advogado a integrar o Conselho, defendendo a atuação da Ordem no sentido de inibir a corrupção na política e promover eleições limpas. 

CARREIRA POLÍTICA

Rodrigo Pacheco foi eleito deputado federal em 2014, para a 55.ª legislatura (2015-2019), pelo então PMDB, com 92.743 votos. Em seu primeiro mandato, passou a coordenar a bancada do PMDB, na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), onde se tornou primeiro vice-presidente e depois presidente. E em 2016, disputou a Prefeitura de Belo Horizonte, ficando em terceiro lugar com 118.772 votos.

Sua atuação em Brasília tem sido marcada por importantes decisões, a exemplo do voto favorável que deu à proposta de Emenda Constitucional (PEC) do Teto dos Gastos Públicos, destacando-se em março de 2017 quando foi eleito presidente da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) da Câmara dos Deputados, onde validou as assinaturas das "Dez Medidas Contra a Corrupção", reconhecendo que a proposta atendia aos requisitos necessários para um projeto de iniciativa popular, o que permitiu com que tramitasse na Câmara.

Corajoso Rodrigo Pacheco enfrentou grandes temas em Brasília, entre eles a Reforma Trabalhista, votando favorável a ela, e conduziu e recomendou, como presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), a continuidade do processo contra o presidente Michel Temer por corrupção passiva, no entanto, na votação em plenário, se absteve, justificando a abstenção com o fato de ter presidido a sessão e se baseando na imparcialidade.

Por fim, em 2018, deixando o atual MDB, filiou-se ao Democratas, como pré-candidato ao governo de Minas. Contudo, no curso do processo, sua candidatura foi abortada. Assim, Rodrigo Pacheco se candidatou ao cargo de senador da República por Minas Gerais, sendo o mais votado do Estado. 

Em janeiro deste ano (2021), indicado pelo partido, o rondoniense Rodrigo Pacheco foi eleito presidente do Senado Federal e do Congresso Nacional, com 57 votos, contra 21 da senadora Simone Tebet (MDB), e a partir de então vem apresentando posições bem definidas em defesa do interesse público e do povo brasileiro.

Envie seu Comentário

 

Comentários

  • 1
    image
    Mauro Oliveira 04/03/2021

    MUITO MERECIDO! PARABÉNS AO DR SÉRGIO ANDRADE, QUE DURANTE SUA TRAJETÓRIA, MUITAS VIDAS SALVOU E SALVA! Pioneiro de Ariquemes. Fez Jus!

Envie Comentários utilizando sua conta do Facebook