“Governo está rasgando a Constituição na cara do trabalhador”, critica o deputado Anderson

Parlamentar saiu em defesa da aposentadoria especial, principalmente em relação aos profissionais de segurança pública.

ALE/RO - DECOM - Foto: Assessoria
Publicada em 15 de maio de 2019 às 12:05
“Governo está rasgando a Constituição na cara do trabalhador”, critica o deputado Anderson

A proposta de Reforma da Previdência do Governo Federal sofreu novamente duras críticas do deputado estadual Anderson Pereira (Pros), que usou a tribuna da Assembleia Legislativa, na sessão plenária de terça-feira (14), para afirmar que o Governo está rasgando a Constituição na cara do trabalhador.

“Essa reforma, aprovando do jeito que está, vamos pagar algo que não vamos usufruir. Isso não é respeito”, rechaçou o parlamentar.

Anderson afirmou que existem muitos pontos dúbios que vão prejudicar os trabalhadores, citando a falta de regras para a aposentadoria especial dos profissionais de segurança pública. “Lá (na proposta) não tem nada para os trabalhadores que laboram em locais insalubres ou com alto nível de periculosidade e stress. Se aprovar assim, haverá um prejuízo para esses profissionais”, alertou o deputado.

Em relação ao déficit previdenciário, que ultrapassa os R$ 195 bilhões, Anderson Pereira asseverou que o Governo está tentando imputar ao trabalhador uma dívida que não é dele. “Foram os bancos que não pagaram suas fatias, as grandes empresas que também não repassaram o valor correspondente cobrado dos trabalhadores e o próprio governo federal que fez aportes para investir em obras. Sem dizer também que isso ocorreu em nosso estado, onde o Executivo não fez os devidos repasses ao Iperon”, sustentou ao dizer que não vê o governo federal cobrando desses grandes devedores ou metendo a mão no bolso para devolver os valores à previdência.

Com o apoio do Parlamento, Anderson garantiu que buscará apoio da bancada federal para atuar junto à Comissão Especial que analisa a reforma da previdência, no sentido de viabilizar as emendas necessárias no projeto para amenizar esse prejuízo ao trabalhador.

Envie seu Comentário

 

Comentários

  • 1
    image
    Henry 16/05/2019

    André afastamento para tratamento de saúde difere do auxílio-doença, sendo que este é pago pelo IPERON, desde que preenchidos os requisitos da Lei Federal que regula a matéria e da Instrução Normativa da Receita Federal.

  • 2
    image
    ANDRE DORAZIO 16/05/2019

    E o estado está também ignorando o benefício do não desconto do imposto de renda em folha de pagamento do * AUXILIO DOENÇA *aqueles que se afastam para tratamento de saúde, com base em atestados médicos. Desrespeitar LEIS criadas por eles mesmos. E ai, alguém vai sair em defesa????

  • 3
    image
    Jsé 15/05/2019

    Excelentíssimo Senhor Deputado Estadual, No IPERON tem um monte de processo da segurança pública parados desde de 2017 até com decisão judicial favorável para aposentadoria quanto atividade insalubre. Então porque Vossa Excelência não vai até ao IPERON para saber da realidade em vez de ir até Brasília. Em Brasilia tem Deputados federais averiguando a situação da previdência como o Deputado Neto, Moraes .... Sei que é difícil enxergar o que está perto, mas enxergando fica possível de acreditar que os direitos do cidadão está sendo bem defendido pelo competente Senhor Deputado Estadual.

Envie Comentários utilizando sua conta do Facebook