Incra capacita servidores em georreferenciamento de terras para regularização fundiária em Rondônia

O objetivo é preparar o pessoal para a certificação e conferência das peças técnicas resultantes do serviço de georreferenciamento de sessenta Projetos de Assentamento em andamento, além de outras demandas da Cartografia do órgão

Ascom Incra
Publicada em 21 de dezembro de 2020 às 13:19
Incra capacita servidores em georreferenciamento de terras   para regularização fundiária em  Rondônia

O Incra/RO está capacitando servidores no curso de pós-graduação Lato Sensu Especialização em Georreferenciamento de Propriedades Rurais ministrado pela Faculdade Faro, em Porto Velho (RO).

O objetivo é preparar o pessoal para a certificação e conferência das peças técnicas resultantes do serviço de georreferenciamento de sessenta Projetos de Assentamento em andamento, além de outras demandas da Cartografia do órgão.

Os servidores capacitados terão a meta de tratar as peças técnicas de 17.721 lotes de famílias beneficiadas em sessenta projetos de assentamentos, sendo 19 em Machadinho do Oeste, 11 em Ariquemes e 15 na região do Cone Sul. Esse trabalho é uma etapa essencial para a titulação das terras.

Entre as principais disciplinas estão a Topografia aplicada ao Georreferenciamento, Cartografia computadorizada, Sistemas de referência, Projeções cartográficas, Métodos e medidas de posicionamento geodésico, Legislação Aplicada, Cadastro Rural e SIGEF.

O curso tem duração de 320 horas e o investimento é de R$ 49.000,00, com recursos de emenda parlamentar do deputado Lúcio Mosquini,  para a capacitação de dez servidores do órgão com registro regular no Crea. 

Envie seu Comentário

 

Comentários

    Seja o primeiro a comentar

Envie Comentários utilizando sua conta do Facebook

A irresponsabilidade de quem deveria dar o exemplo

A irresponsabilidade de quem deveria dar o exemplo

E o pior de tudo é que os exemplos (péssimos, por sinal) partem de pessoas dotadas de elevada capacidade e conhecimento da realidade social e que, por isso mesmo, deveriam ter a noção do perigo a que se estão expondo